expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

terça-feira, 19 de novembro de 2019

#Livros - O Alienista, de Machado de Assis


#Livros - O Alienista, de Machado de Assis

Sinopse

Simão Bacamarte, médico, decide dedicar-se inteiramente ao estudo da loucura. Em Itaguaí, sua terra natal, funda um hospício - a Casa Verde. Apresentado o alienista, quem serão os alienados? Autorizado pelas autoridades, passa a internar todos aqueles a quem aponta sinais de insanidade. Ninguém escapa: os que têm a mania de orar, os vaidosos, os que são demasiado gentis, os que emprestam dinheiro e até a sua própria esposa. A população revolta-se. É tempo do Dr. Bacamarte mudar o diagnóstico: afinal, loucos são os de mente equilibrada, as pessoas modestas e honestas. E se, afinal, o alienista for o alienado? 

Quais as fronteiras entre a loucura e a razão? Este é um livro em que, uma vez mais, Machado de Assis conquista o leitor pela sua maestria de escrita, com recurso à ironia, à metáfora, à sua visão pessimista e ao seu cepticismo. 
O Alienista é uma das narrativas mais célebres de Machado de Assis, um dos autores essenciais da literatura universal. As fronteiras entre a sanidade e a loucura, numa prosa absolutamente fascinante. 

Opinião

Este é certamente o conto mais famoso de Machado de Assis e aquele que mais me despertava a curiosidade, até porque é muitas vezes recomendado como porta de entrada para a obra deste autor brasileiro. E, apesar de já ter começado com os romances, não poderia estar mais de acordo, especialmente para quem não tem a certeza de que irá gostar ou perceber a sua escrita e para todos os que não têm ainda o hábito de leitura bem estabelecido. 

Aviso já que, caso a vossa edição tenha algum prefácio, tenham cuidado para evitarem spoilers indesejados. Regra geral, não é coisa que me incomode muito, sobretudo quando se tratam de livros escritos há mais de cem anos, só que, neste caso particular, saber o final acaba um pouco com a descoberta que vamos fazendo ao longo das páginas de forma mais subtil ou mais óbvia. 

Podes ler a minha opinião sobre Dom Casmurro

Sou uma fã declarada da cultura brasileira mas dou por mim cada vez mais rendida ao talento de Machado de Assis e sempre com a vontade dobrada de ler mais e mais. Com O Alienista, fica clara a fina ironia que usa nos seus textos e como consegue tornar divertida qualquer narrativa, por mais insana que seja, sem perder qualquer credibilidade com o que quer contar. 

A ironia começa com a descrição da cidade onde tudo vai acontecer e com a apresentação do nosso protagonista, acabado de chegar à sua terra natal, sem esquecer o episódio do seu casamento, até à implementação do seu projecto para tratar os loucos da cidade, criando a Casa Verde com a ajuda e apoio financeiro da autarquia. 

Vê também a minha lista de 20 Clássicos que me faltam ler

O nosso médico peculiar começa por internar os que estavam diagnosticados com problemas de saúde mental e não tinham onde se tratar, ficando obcecado por descobrir as causas da loucura o que o leva a começar a instalar na sua Casa todos os que perdiam o controlo de alguma forma e, desse modo, fugiam da norma e do comportamento que se espera em sociedade. 

Depois de ter à sua guarda quase a totalidade dos habitantes da cidade, incluindo a sua mulher, e sem conseguir chegar a nenhuma conclusão, decide libertar os ditos loucos e abraça outro ponto de vista para esse desafio de doidos. É assim que acaba por internar os habitantes que antes eram considerados normais e saudáveis, numa total inversão da ordem anteriormente estabelecida. Nesse ponto, só conseguimos pensar, onde irá parar esta busca pela causa da loucura nos Homens? 

Conhece o vídeo do Ler Antes de Morrer sobre O Alienista

Que livro espectacular e perfeito para ler num só dia! Tenho uma edição antiga e que, embora seja muito porreira, não me impede de desejar muito pela que está na foto, da Guerra e Paz. Aliás, pudesse eu e fazia esta colecção completa de clássicos da literatura. Quanto a ti, que livros já leste de Machado de Assis? Qual o teu favorito? 

"Simão Bacamarte explicou-lhe que D. Evarista reunia condições fisiológicas e anatómicas de primeira ordem, digeria com facilidade, dormia regularmente, tinha bom pulso, e excelente vista: estava assim apta para dar-lhe filhos robustos, sãos e inteligentes. Se além dessas prendas, - únicas dignas da preocupação de um sábio, D. Evarista era mal composta de feições, longe de lastimá-lo, agradecia-o a Deus, porquanto não corria o risco de preterir os interesses da ciência na contemplação exclusiva, miúda e vulgar da consorte." 

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão.  

sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #10 - Já chegamos? Já chegamos?


Desafio de Escrita dos Pássaros #10 - Já chegamos? Já chegamos?


Já chegamos? Já chegamos?

Memórias que todos partilhamos de viagens intermináveis, no banco de trás do carro do pai, onde o destino não era assim tão importante, porque a diversão acontecia no trajecto. Ainda que infernizássemos a vida dos adultos com este «já chegamos?», repetido até à exaustão, o melhor acontecia enquanto inventávamos jogos para passar o tempo ou brincadeiras parvas com coisa nenhuma que não a fértil imaginação das crianças que fomos.

Talvez esta seja a metáfora perfeita para as nossas vidas. Afinal, mais importante do que o destino é o caminho que percorremos para lá chegar. É nessa viagem que crescemos, aprendemos e nos tornamos em pessoas melhores. Isto, claro, quando percebemos e aceitamos essa verdade.

É evidente que alcançar os sonhos e objectivos é fantástico e provoca uma sensação de realização e nos faz sentir o sabor do sucesso. No entanto, quanto mais longa e difícil for a jornada, melhor será esse sabor, maior o prazer obtido.

Assim sendo, só me resta dizer-te para aproveitares a viagem da vida, saboreando cada momento com a consciência da sua unicidade, e retirando o máximo de proveito desta jornada tumultuosa mas divertida que é viver. E se ainda não tens filhos, aproveita enquanto podes porque não irás escapar ao clássico «já chegamos?», podes ter a certeza.


Vê tudo na Apresentação Desafio dos Pássaros

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

#Filmes - Quatro Casamentos e Um Funeral


#Filmes - Quatro Casamentos e Um Funeral

Sinopse

Esta é a história de um homem que não consegue manter nenhuma relação amorosa enquanto vê todos os seus amigos a casarem. Quatro Casamentos e Um Funeral foi um inesperado sucesso do cinema britânico e criou culto do outro lado do Atlântico, onde foi nomeado para os Óscares. É uma tentativa de conciliar a tradição da comédia romântica americana com os resquícios do realismo social britânico, numa história cheia de bom humor britânico e excelentes diálogos. O enredo gira em torno de Charles, o único de um grupo de amigos de infância que continua solteiro. Até ao dia em que, num casamento (o primeiro do filme), conhece a mulher da sua vida: uma americana chamada Carrie.

Opinião

Em Setembro, sugeri este filme numa Banda Sonora da Semana e não resisti a revê-lo e a relembrar dos encantos do Hugh Grant. Afinal de contas, este filme foi um sucesso incrível e fez verdadeira concorrência aos filmes de Hollywood e com muito mérito dos britânicos. 

Tudo começa, como não poderia deixar de ser, num casamento de amigos de Charles. Nesse casamento, conhece uma americana por quem sente uma atracção imediata e irresistível. Inevitavelmente, passam a noite juntos e no dia seguinte Carrie volta para a sua vida, longe de Charles. Apesar do rapaz romântico continuar a pensar na rapariga, a vida segue até que se voltam a encontrar num novo casamento. 

Podes ver também a minha opinião sobre Amor Sem Aviso

O casal continua a sentir-se irremediavelmente atraídos um para o outro, ainda que Carrie tenha um novo namorado e até fique noiva. Charles está profundamente apaixonado por Carrie, embora esta não lhe dê esperanças amorosas. O pobre coitado acaba, inclusivamente, a ajudar a amada a escolher o vestido de noiva para se casar com outro. 

#Filmes - Quatro Casamentos e Um Funeral

Esta comédia romântica destaca-se das outras não só pelo cenário britânico, mas pelos diálogos bem elaborados sempre apimentados com aquele toque de humor que só os ingleses sabem imprimir às coisas. Já para não falar nos protagonistas que têm um charme inigualável. 

Podes ver também a minha opinião sobre o filme O Casamento do meu Melhor Amigo

Este é mesmo um filme muito especial e é sempre um prazer rever, ainda que o tenha visto inúmeras vezes quando estava sempre a passar nos canais generalistas. Também fazes parte dessa geração? Quantas vezes viste Quatro Casamentos e Um Funeral? 


terça-feira, 12 de novembro de 2019

#Livros - As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino


#Livros - As Cidades Invisíveis, de Italo Calvino

Sinopse

«As Cidades Invisíveis apresenta-se como uma série de relatos de viagem que Marco Polo faz a Kublai Kan, imperador dos tártaros. [...] A este imperador melancólico, que percebeu que o seu poder ilimitado conta pouco num mundo que caminha em direcção à ruína, um viajante visionário fala de cidades impossíveis, por exemplo, uma cidade microscópica que se expande, se expande até que termina formada por muitas cidades concêntricas em expansão, uma cidade teia de aranha suspensa sobre um abismo, ou uma cidade bidimensional como Moriana. [...] Creio que o livro não evoca apenas uma ideia atemporal de cidade, mas que desenvolve, ora implícita ora explicitamente, uma discussão sobre a cidade moderna. [...] Penso ter escrito algo como um último poema de amor às cidades, quando é cada vez mais difícil vivê-las como cidades.»

Italo Calvino

Opinião

Este ano está a ser o ano dos Clássicos e tem sido um investimento de tempo muito bem empregue. Existem livros intemporais e que nunca irão passar de moda, por muito que os anos passem. É certamente o caso deste livro de Italo Calvino que fiquei a conhecer através da talentosa Tatiana Feltrin, embora seja inegável que as edições brasileiras são um caso sério de qualidade. Eu sei que também existem em Portugal, mas são bem mais raras.

Estamos perante um livro peculiar porque não nos conta nenhuma história comum, como as que estamos habituados. Acompanhamos uma conversa entre os famosos Marco Polo e Kublai Kan, onde as cidades tomam o protagonismo como verdadeiras personagens. Os relatos das suas viagens fazem Marco Polo contar com detalhes sobre as cidades por onde passou.

Podes ver também a lista de 20 Clássicos que me faltam ler

Cada cidade tem a sua descrição repleta de fantasia e poesia, embora seja escrito em prosa. Tudo se passa muito mais perto da imaginação do que dos objectos reais que vemos com os olhos nas cidades que conhecemos. No fundo, está mais perto da crítica social dos comportamentos que se encontram nos lugares e que se concretizam em consequências para quem por lá passa.

"As cidades como os sonhos são construídas de desejos e de medos, embora o fio do seu discurso seja secreto, as suas regras absurdas, as perspectivas enganosas, e todas as coisas escondam outra."

Não é um livro fácil nem de compreensão óbvia. É preciso encarar esta leitura com abertura de espírito e ser capaz de viajar pelos caminhos que o autor nos propõe. É um exercício muito agradável mas para o qual temos pouca prática. Tudo isto nos obriga a sair das nossas zonas de conforto e procurar pensar fora da norma.

Podes ler também a minha opinião sobre Orgulho e Preconceito

É importante não esquecer que estamos perante um diálogo entre duas pessoas que, no início, apenas se comunicavam por gestos e através dos objectos. Talvez isso mesmo potencie as descrições fantásticas e ao mesmo tempo vagas sobre as cidades. Porque a cada leitura tenho a certeza de que irei perceber esses textos de forma diferente, tal como cada pessoa o fará.

Para uma análise do autor, da obra e deste livro em particular podes ver o vídeo Literatura Fundamental da UNIVESP

Não fiquei imediatamente apaixonada por este livro, mas adorei o desafio de o ler e tenho a certeza de que voltarei a pegar neste livro e outras perspectivas serão encontradas. E tu? Já leste algum livro de Italo Calvino? O que pensas sobre este autor italiano? 

"O viajante reconhece o pouco que é seu, descobrindo o muito que não teve nem terá."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão. 

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

A Banda Sonora da Semana #71


A Banda Sonora da Semana #71 com castanhas, Dostoiévski e Michael Bublé

Como é, pessoas? Já comeram muitas castanhas? E esse Verão de São Martinho está a fazer-se sentir? Aqui nem por isso, antes pelo contrário. Mas confesso que acho muito mais agradável deliciar-me com as castanhas assadas com um pouco de frio do que num calor tremendo. E tu? Como preferes as tuas castanhas? 

Efemérides de 11 de Novembro


Dia de São Martinho
1918 - É assinado o Armistício de Compiègne, dando fim à Primeira Guerra Mundial. 
1975 - Angola torna-se independente de Portugal. 
1821 - Nasceu Fiódor Dostoiévski, escritor russo. 
1855 - Nasceu Joaquim Augusto Mouzinho de Albuquerque, militar e político português. 
1861 - Morreu D. Pedro V de Portugal. 

A Banda Sonora da Semana #71 com castanhas, Dostoiévski e Michael Bublé

Nada como um belo calhamaço e um clássico da Literatura para começar a semana, não achas? Deixo-te com Os Irmãos Karamázov, obra-prima russa e que quero muito ler assim que seja possível acrescentá-lo à minha estante. Já leste algum livro de Dostoiévski? Qual o teu favorito? 


Esta semana quero me sentir inspirada por esta música, muito bem interpretada pela voz de Michael Bublé, que me faz querer viver da melhor forma possível. Que me dizes? Feeling Good? 

sexta-feira, 8 de novembro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #9 - Acordaste nu, sem te recordar de nada, numa ilha deserta


Desafio de Escrita dos Pássaros #9 - Acordaste nu, sem te recordar de nada, numa ilha deserta

Abri os olhos lentamente, ainda confusa e sem saber onde estava nem tão pouco como ali fui parar. Sento-me e olho ao redor. Só vejo árvores exóticas e um mar incrível à minha frente. Quando me observo com mais atenção, reparo que estou nua e não faço a menor ideia do que me aconteceu. A única coisa que me resta é uma Natureza em estado bruto e a total ausência de memórias passadas. Sinto-me como uma folha em branco. Perdi a noção de passado, presente e futuro. Perdi até a noção de mim própria.

Como terei ido parar neste lugar? Quando me disponho a explorar o meio envolvente, descubro que me encontro numa ilha, aparentemente deserta, e sinto a solidão como um peso nos ombros. Não sinto falta de ninguém em particular, vantagem de não ter recordações na bagagem. Mas sinto falta da companhia que só um ser vivo te pode proporcionar. O que fazer nestas condições?

Será que existe alguém à minha procura? Serei lembrada por alguém? Estarão pessoas preocupadas com o que me aconteceu e desejosas de saber o meu paradeiro? Irá alguém encontrar-me nesta ilha deserta e paradisíaca? Tantas perguntas sem resposta à vista e que me invadem a mente sem que as possa evitar.


Assim se passou uma semana e quando já estava habituada à minha nudez e à ausência de memórias, eis que acordo sobressaltada e tomo consciência que se tratou apenas de um sonho dos muitos que daqui a umas horas não guardarei qualquer lembrança…

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

#Livros - D. Teresa, de Isabel Stilwell


#Livros - D. Teresa, de Isabel Stilwell

Sinopse

Esta é a história de Teresa, uma mulher de armas, à frente do seu tempo, que governou num mundo d homens e de conspirações. 

Filha de Ximena Moniz do Bierzo, de quem herdou os olhos verdes e a astúcia, e de Afonso VI de Leão e Castela. Viúva aos 25 anos do Conde D. Henrique de Borgonha regeu com pulso de ferro o que era seu por direito. Em 1116, o Papa Pascoal II reconheci-a como Rainha. 

Pelo Condado Portucalense confrontou a meia-irmã e rival Rainha Urraca de Castela, o pai, a igreja Católica, os nobres portucalenses e até mesmo o seu próprio filho D. Afonso Henriques, na lendária Batalha de São Mamede. Trinta e três anos depois de ter chegado ao condado, via-se obrigada a fugir, derrotada e traída. Restava-lhe o consolo de ter a seu lado o seu amado, Fernão Peres de Trava, e a certeza de que Alberto, seu fiel amigo, escreveria, com verdade, a sua história. 

Isabel Stilwell é a autora de romances históricos mais lida em Portugal. D. Teresa - Uma Mulher que Não Abriu Mão do Poder é um romance emocionante sobre esta personagem fundamental da nossa história - mãe de D. Afonso Henriques, amante de Fernão Trava e Rainha de Portugal. 

Opinião

A minha paixão pelo romance histórico levou-me a descobrir esta autora portuguesa e a render-me ao seu talento, especialmente porque retrata figuras da nossa História que estudamos na escola e que nem sempre compreendemos devidamente. Sobretudo, quando se tratam de mulheres que não se submeteram ao papel secundário a que os homens achavam ser o que lhes era devido.

Comprei este livro em Julho e mal podia esperar para me dedicar à leitura sobre esta personagem tão mal-amada da nossa História. Em D. Teresa, fazemos uma viagem até ao reinado de Afonso VI e ficamos a conhecer o envolvimento amoroso dos seus pais, o afastamento da sua mãe após ter dado à luz duas filhas, os primeiros anos no campo e a chegada das filhas bastardas à corte do seu pai e o início da rivalidade com a irmã legítima, D. Urraca.

Lê ainda a minha opinião sobre o livro Filipa de Lencastre

Fiquei muito intrigada com a fase complexa que se vivia nesse reinado aqui ao lado, num tempo em que ainda éramos vassalos dessas paragens, onde um rei tratou de afastar os seus irmãos, de forma a unificar o território até se auto-intitular Imperador. São sempre fascinantes os mistérios que se escondem e que nunca serão totalmente respondidos.

"Era dura a sina das mulheres, desprezadas desde o momento do nascimento, sem posses ou poder, filhas, depois esposas, de quem se esperava apenas que engravidassem e dessem à luz rapazes."

Essa primeira fase mostra bem o que precedeu a formação do nosso reino e as motivações para o desejo de independência. Depois de passearmos pela corte de Leão e Castela, o casamento de Teresa com D. Henrique tem como dote o Condado Portucalense onde ambos se estabelecem e criam a sua família e lançam as raízes para a ambição de se tornar rainha e suplantar a irmã.

Vê as sugestões para oferecer livros no Natal

Ao ficar viúva aos 25 anos de idade, agarra o seu destino nas mãos e decide lutar pelo que lhe pertence e que será a herança do seu filho, Afonso Henriques. O que mais me fascinou foi perceber a forma como nos é apresentada D. Teresa nos livros da escola, como uma mulher ambiciosa que lutou contra o filho, como se fosse uma usurpadora ou como não tivesse interesse na independência do Condado. Na verdade, já se intitulava rainha de Portugal e era assim tratada até por papas.

"À tia Elvira choraram-na genuinamente, era a princesa dos pobres, mas o que os fascinava na tia Urraca era o facto de ser uma mulher de poder, rainha como o meu pai, tão poderosa, dizem, como ele. Não gostavam dela, ninguém gosta de mulheres poderosas."

Claro que este livro é fruto de muita suposição, tendo em conta a distância temporal dos factos relatados e os relatos tendenciosos da época. Cada cronista respondia ao seu rei e, portanto, relatava os acontecimentos de forma a agradar a quem lhe pagava. A independência é uma coisa moderna e talvez até hipócrita. O olhar dos homens para com mulheres que estavam à frente do seu tempo seria sempre de censura e reprovação.

Apesar do romance, fiquei com uma imagem muito mais positiva acerca de D. Teresa e do seu legado como filha e mãe de reis, sempre com o objectivo de assumir o poder para si própria, por se considerar legítima herdeira de seu pai e perfeitamente capaz de ser mulher e rainha. Que leitura espectacular, fluída e cativante, num livro muito bem cuidado e com imensas imagens ilustrativas dos factos relatados.

"Fugia, trinta e três anos depois de ter chegado ao Condado Portucalense, com tanta esperança, tantos projectos, tantos sonhos. Ao lado de Henrique, entrara aos 15 anos na posse do reino que o pai lhe dera, num reino que seria seu para sempre."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis.

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

#Compras & Recebidos - Outubro/2019


#Compras & Recebidos - Outubro/2019

Este mês de Outubro que já terminou foi muito curto em termos de itens comprados e recebidos. A verdade é que até ao final do ano estarei em contenção de custos e as compras serão reduzidas apenas ao que não conseguirei resistir. Foi o caso dos objectos que hoje te vou apresentar. Vens comigo? 

#Compras & Recebidos - Outubro/2019 - Boneca Halloween

Esta foi A compra do mês, sem qualquer margem para dúvida. Esta obra de arte vem directamente d'O cantinho da Silvana, especialmente para o Halloween. Já te apresentei outros trabalhos desta página incrível e posso adiantar que já se encontram peças especiais para o Natal. Visita a página e rende-te ao talento da artista. 

#Compras & Recebidos - Outubro/2019 - Imortal de José Rodrigues dos Santos

Tenho de dizer que a foto usada é a do site da Wook, apenas porque este novo livro não se encontra em minha casa, mas na do meu pai. Trata-se do mais recente livro de José Rodrigues dos Santos, Imortal, e mal posso esperar para lhe pôr as mãos em cima em Dezembro. Já tens este livro na tua estante? 

Vê também as minhas Compras & Recebidos de Setembro

O que achaste das minhas compras deste mês? 

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

A Banda Sonora da Semana #70


A Banda Sonora da Semana #70 com o novo livro de Philippa Gregory, o novo filme Joker e uma música de Ornatos Violeta

Finalmente estamos em Novembro e está na hora de comer castanhas assadas junto à lareira e o frio já permite procurar conforto no quente e saboroso chá, enquanto nos enrolamos na manta mais quente da casa. Eu sei que o nosso Verão foi fraquinho, mas agora é tempo do frio e da chuva e como tal o melhor é resignarmo-nos e aceitar esta inevitabilidade. O que gostas de fazer no Outono? 

Efemérides de 04 de Novembro


Dia da Unidade Nacional na Rússia
1945 - É fundada a UNESCO.
1946 - Nasceu Laura Bush, ex-primeira dama dos Estados Unidos. 
1972 - Nasceu Luís Figo, futebolista português. 

A Banda Sonora da Semana #70 com o novo livro de Philippa Gregory, o novo filme Joker e uma música de Ornatos Violeta

Mal posso acreditar que vai ser lançado amanhã mais um livro da minha adorada Philippa Gregory! Como não podia deixar de ser, este novo livro, O Último Tudor, tornou-se na minha mais recente urgência literária e mal posso esperar para lhe pôr as mãos em cima. Também estás na mesma situação? 

A Banda Sonora da Semana #70 com o novo livro de Philippa Gregory, o novo filme Joker e uma música de Ornatos Violeta

Quer-me parecer que sou a única pessoa que ainda não fui ver Joker ao cinema, mas podes ter a certeza que não se trata de falta de vontade. Já li tanta coisa por aí que a minha curiosidade só aumenta. No entanto, estou interessada em conhecer a tua opinião nos comentários, enquanto não me decido a ir ver por mim.


A cidade está deserta, E alguém escreveu o teu nome em toda a parte:Nas casas, nos carros, nas pontes, nas ruas.Em todo o lado essa palavraRepetida ao expoente da loucura! Ora amarga! Ora doce! Pra nos lembrar que o amor é uma doença, Quando nele julgamos ver a nossa cura! 

Ouvi dizer, Ornatos Violeta

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #8 - Escreve uma carta para a criança que foste


Desafio de Escrita dos Pássaros #8 - Escreve uma carta para a criança que foste

Olá pequena Inês,

O que dizer a uma criança de oito anos de idade? Não penses que te estou a infantilizar, algo que sei que detestas. Mas valoriza essa inocência e ingenuidade que, muito em breve, irás perder de forma irreparável.

No entanto, não precisas de te assustar com o futuro. É verdade que não irás concretizar tudo o que sonhaste, mas isso não é motivo para ter medo do que vais viver. Fica certa de que irás crescer com uma capacidade de tomar decisões, de as assumir e de fazeres o melhor com o que a vida te dá.

Vais conhecer na pele o significado das palavras saudade, perda, amor, desilusão, amizade e outras coisas que tal. O caminho não será livre e desimpedido mas os obstáculos que irás encontrar irão tornar-te mais forte e uma pessoa mais interessante. Já para não falar de que irão proporcionar momentos divertidos e inesquecíveis e que nunca trocarias por nada.

Estes vinte e cinco anos que nos separam vão ser espectaculares, por isso, aproveita tudo ao máximo. Vive cada momento com a certeza de que é único e irrepetível. Recebe todas as pessoas que vão entrar na tua vida com a convicção de que alguma coisa irás aprender com essa relação, ainda que algumas fiquem e outras não.

Conforta-te com estas palavras de ti numa versão mais velha, mais adulta e mais madura. Depois de as leres, não lhes dês demasiada importância porque tens em ti tudo o que precisas para seguir viagem. 

Desafio de Escrita dos Pássaros #8 - Escreve uma carta para a criança que foste

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Top 5 - Sonhos de Consumo


Top 5 - Sonhos de Consumo

É tão bom sonhar, mesmo quando sabemos que existem sonhos que nunca passarão disso mesmo. É muito diferente ter objectivos, fruto dos nossos sonhos. Outra são as coisas com que sonhamos apenas pelo prazer de sonhar. São agradáveis ou divertidos, mas não são determinantes para a nossa felicidade. É o caso daqueles sonhos de consumo que decoram a nossa imaginação. E assim decidi apresentar-te o meu Top 5 de sonhos de consumo. Vens comigo? 

1. Piano de cauda

Este é talvez o meu sonho de consumo mais antigo de que tenho memória. O problema deste sonho é que não basta comprar um qualquer piano. Era preciso ter uma casa com uma sala com dimensões que permitissem colocar lá o meu belo piano. Assim sendo, contento-me com um órgão enquanto o euromilhões não chega. 

Top 5 - Sonhos de Consumo - Piano de cauda

2. Biblioteca

No seguimento de casas de sonho e com dimensão suficiente para albergar todos os meus, adoraria ter uma biblioteca, como vemos naquelas mansões. Como resistir a uma divisão repleta de livros e mais livros? 

Top 5 - Sonhos de Consumo - Biblioteca

3. Apartamento no Chiado

Tendo em conta o preço do metro quadrado em Lisboa, só mesmo com o euromilhões é que seria capaz de comprar alguma coisa dentro da cidade. No entanto, sonhar não paga imposto e por isso nada como viver em pleno Chiado, com vista para o Tejo. 

Top 5 - Sonhos de Consumo - Apartamento no Chiado

4. Computador Mac

Sou adepta de Windows desde sempre e confesso que nunca experimentei nenhum computador da Apple, mas todos falam tão bem que tenho muita vontade de descobrir as vantagens desse sistema e dos seus computadores. 

Top 5 - Sonhos de Consumo - Computador Mac

5. Volta ao mundo

Este talvez seja o mais realista dos meus sonhos de consumo, ou seja, aquele que mais gostaria de realizar. Certamente que não será fácil partir por longos períodos para fazer a minha volta ao mundo, mas um de cada vez a gente chega lá. 

Top 5 - Sonhos de Consumo - Volta ao Mundo


O que achaste dos meus sonhos de consumo? Quais são os teus? 

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

#Filmes - O Estranho Mundo de Jack


#Filmes - O Estranho Mundo de Jack

Sinopse

Jack Skellington é o Rei das Abóboras na cidade de Halloween. Ele está aborrecido de repetir sempre as mesmas coisas todos os anos para celebrar a Noite das Bruxas. Certo dia, por acaso, ele descobre a cidade do Natal e fica tão impressionado com a ideia do Natal, com a alegria, com a música e com a boa disposição que os seus olhos contemplam...! 

De regresso a casa, Jack conta a toda a sua cidade o que viu, mas aí, nem ele nem ninguém é capaz de perceber realmente o espírito do Natal. Jack continua inquieto até que, certa manhã, uma ideia genial e diabólica apodera-se de todo o seu entusiasmo: este ano, irá ele ser o Pai Natal e toda a cidade de Halloween ficará encarregue dos preparativos da quadra.

Opinião

Já não se falava noutra coisa, mas nesta semana em particular o tema «Halloween» é incontornável. É do conhecimento geral que não sou adepta destas celebrações e que, regra geral, gosto de ficar em casa, enrolada numa manta quente, a assistir a um bom filme que se encaixe nesta quadra. No entanto, novos planos surgiram e, desse modo, decidi antecipar o momento de ver o filme que tinha escolhido. 

Ainda por cima, este é um filme muito famoso e que todos que viram recomendam vivamente, como é o caso da minha amiga Liliana, pessoa cuja opinião muito prezo. Assim, passei uma bela noite de Domingo a ver O Estranho Mundo de Jack. Se tudo isto não bastasse, não podemos esquecer que esta é uma história escrita pelo próprio Tim Burton, realizador incrível e único. 


Este filme encaixa na perfeição nesta quadra não se passasse ele na cidade do Halloween. O nosso protagonista, Jack, é o melhor e mais criativo organizador das celebrações na Noite das Bruxas. No entanto, no final da última festa o cansaço e o tédio começam a invadi-lo e sente-se aborrecido de fazer a mesma coisa ano após ano. Sente que algo lhe falta, embora não seja capaz de compreender o que pode ser. 

#Filmes - O Estranho Mundo de Jack

Por mero acaso, descobre a cidade do Natal e fica fascinado com as cores, as luzes e, sobretudo, com a alegria de todos. Era um contraste muito grande com a realidade de Jack e ficou fascinado por esse universo natalício. Tanto que decide desistir do Halloween e dedicar-se a tratar do Natal desse ano. É deste modo que a cidade do Halloween e todos os seus habitantes acabam a tratar de todos os preparativos necessários. 

Podes ver também a minha opinião sobre o filme Coco

Para saberes o que acontece em seguida vais ter mesmo de ver o filme, mas adianto-te que os desenhos são espectaculares, as personagens fascinantes e o enredo muito divertido. Ainda por cima tem pouco mais de uma hora e que passa num piscar de olhos de tão interessante que é. 

Creio que é uma excelente opção para ver com crianças e onde os adultos também se entretêm facilmente. Agora conta-me, já viste este filme? Qual a tua opinião sobre esta história de Tim Burton? 


terça-feira, 29 de outubro de 2019

#Livros - Leonardo da Vinci, de Walter Isaacson


#Livros - Leonardo da Vinci, de Walter Isaacson

Sinopse

Arquétipo e símbolo do homem da Renascença, Leonardo da Vinci é universalmente reconhecido como o génio mais criativo e multifacetado da História. A sua criatividade, como aquela de grandes inovadores, nascia na intersecção entre as humanidades e a tecnologia. Esfolou rostos de cadáveres, desenhou os músculos que fazem mover os lábios, e depois pintou o sorriso mais memorável da História em Mona Lisa. Explorou a matemática da óptica, mostrou como os raios de luz atingem a córnea e produziu ilusões de perspectivas variáveis em A Última Ceia. No seu eterno entusiasmo pela encenação de espectáculos imaginava máquinas que subiriam aos céus, permitindo ao homem voar como os pássaros. 

Filho ilegítimo, à margem de uma educação formal, vegetariano, canhoto, distraído e, por vezes, herético, o Leonardo da Vinci retratado neste livro é uma pessoa  real, extraordinária pela pluralidade de interesses e pelo prazer que tinha em combiná-los.

Recorrendo a milhares de páginas dos impressionantes cadernos deixados por Leonardo da Vinci, e atendendo às mais recentes descobertas sobre a sua obra e trajectória de vida, Walter Isaacson revela-nos facetas desconhecidas do artista, desfazendo a aura sobre-humana que lhe é atribuída e mostrando como a genialidade de Leonardo se fundamenta em características bastante «humanas», moldadas por uma enorme vontade e ambição e assentes em  habilidades que cada um de nós pode cultivar, não isentas de imperfeições e fraquezas. 

Um livro indispensável, não só pela forma única de representar um dos grandes génios da História da Humanidade, mas também enquanto demonstração da capacidade humana de inovar, da importância de aprender e questionar, de imaginar e, sobretudo, de pensar de maneira diferente.

Opinião

Na última edição dos Momentos Wook, não resisti a adquirir uma das novidades literárias deste ano que mais desejava ter, especialmente porque foi possível comprar com desconto imediato de 20%. Usando ainda o saldo que tinha no cartão Wook, o preço final ficou ainda mais simpático. No entanto, estamos a falar de um verdadeiro calhamaço e que vale cada euro do seu custo real.

Estamos a falar de uma biografia exaustiva da vida e da obra do homem mais importante de todo o Renascimento e que melhor incarna a ideia de homem humanista. A primeira ideia que o autor pretende passar é a de que Leonardo da Vinci era um homem normal e não um génio dotado de poderes ou características fora do alcance do comum dos mortais. O grande motor da sua genialidade era a sua curiosidade transversal a todos os domínios do saber.

"Aplicar-lhe a etiqueta de «génio» minimiza-o, curiosamente, ao dar a entender que foi tocado por mão divina. (...) Na verdade, o génio de Leonardo era humano, forjado pela sua vontade e pela sua ambição."

Inclusivamente, ficamos a conhecer as suas origens familiares e a sua pouca educação formal. Nada disso impediu que a sua curiosidade e imaginação ficassem afectadas. Observador exaustivo, com uma obsessão por representar as coisas conforme eram vistas, cedo percebeu que todos os saberes estavam interligados e compreendeu a importância da arte e da ciência caminharem lado a lado.

Podes ver a minha lista de Novidades para ler nas férias

Os seus cadernos são famosos e lá se encontra a verdadeira amplitude dos assuntos do seu interesse, com anotações inacreditáveis e desenhos espectaculares, seja de invenções científicas ou de estudos para os seus trabalhos artísticos. É uma pena que nem todos tenham sobrevivido e não seja possível comprá-los e com eles aprender e sermos inspirados pela sua visão única do mundo em que viveu.

"Assim Leonardo se tornou discípulo tanto da experiência como do saber recebido. Mais importante do que isso, percebeu que o progresso da ciência resultava de um diálogo entre aqueles dois. Isso ajudou-o, por sua vez, a compreender que o conhecimento também adivinha de um diálogo correlacionado: aquele entre a experiência e a teoria."

Conviveu com algumas das figuras mais ilustres da sua época, como é o caso de César Bórgia, Maquiavel e Miguel Ângelo. Aliás, tinha uma enorme vontade de conviver com todos os que lhe poderiam ampliar ou fomentar os seus conhecimentos em todas as áreas do saber. Foi  através desse cruzamento de saberes que lhe permitiu criar algumas das obras mais icónicas e alguns dos projectos científicos mais arrojados.

Podes ler a minha opinião sobre O Príncipe

Este livro, além de nos dar uma imagem completa dos vários aspectos da personalidade, da vida e da obra de Leonardo da Vinci, é um verdadeira obra de arte de tão bonita que é. Repleta de ilustrações com imagens das obras que chegaram aos nossos dias e dos seus tão famosos cadernos. Desse modo, fica muito mais fácil compreender as explicações do autor sobre cada um deles.

"Durante os três meses do inverno de 1502-03, como  num filme de fantasia histórica, três das mais fascinantes figuras do Renascimento - um filho de papa, brutal e sedento por poder, um astuto e amoral escritor-diplomata e um fascinante pintor com o desejo de ser engenheiro -, estiveram refugiados numa pequena cidade murada e fortificada com cerca de cinco quarteirões de largura e oito de comprimento."

Fez inúmeros planos para escrever tratados sobre pintura, sobre anatomia e outros temas que tal, onde tinha muito para ensinar, mas nunca passou de um projecto que não se deu ao trabalho de organizar. Encheu páginas do seu caderno que nunca reuniu nem procurou publicar devidamente. Recusou trabalhos de ricos mecenas, pintando apenas o que tinha genuína vontade. Muitas pinturas e murais ficaram por terminar, porque o seu espírito inquieto o levava para outro caminho ou porque o seu desejo de perfeição não lhe permitia fazer nada que não considerasse excelente.

Podes ver também o vídeo da Tatiana Feltrin sobre este livro 

Fez descobertas, algumas séculos antes de terem sido conhecidas, que nunca lhe foram atribuídas inicialmente precisamente por não as ter publicado e divulgado devidamente. No final desta leitura, ficamos a conhecer o homem por trás do génio, compreendemos o tamanho da sua genialidade e podemos retirar importantes lições para as nossas vidas. Sem margem para dúvida, o melhor livro que li em 2019 foi esta biografia de Leonardo da Vinci. 

"Leonardo, ao deambular pela fronteira da fantasia com as suas máquinas voadoras, os projetos hidráulicos e os dispositivos militares, visionou aquilo que os inovadores inventariam séculos mais tarde. E ao recusar-se a produzir obras em série que ainda não aperfeiçoara, firmou uma reputação de génio, em lugar da de mestre artesão. Apreciava mais o desafio da conceção do que o trabalho da concretização."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto imediato e portes grátis. Se preferires a versão em inglês, podes comprar na Book Depository, com 18% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. 

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

A Banda Sonora da Semana #69


A Banda Sonora da Semana #69 com um livro de Alberto Manguel e música do Tio Jel

Outubro está a dar as últimas e esta semana temos Halloween, festa americana que foi tão amplamente introduzida em Portugal. Confesso que não entro nessa loucura das fantasias e coisas que tal, mas véspera de feriado é sempre uma boa altura para conviver com os amigos e ir beber uns copos a um sítio divertido e animado. O que vais fazer neste Halloween? Quais são os teus planos? 

Efemérides de 28 de Outubro


1636 - É fundada a Universidade de Harvard. 
1856 - Inauguração da primeira linha de caminhos-de-ferro em Portugal, entre Lisboa e o Carregado. 
1886 - O presidente norte-americano Grover Cleveland inaugura a Estátua da Liberdade. 
1909 - Nasceu Francis Bacon, pintor britânico. 
1955 - Nasceu Bill Gates, empresário norte-americano. 
1704 - Morreu John Locke, filósofo britânico. 

A Banda Sonora da Semana #69 com um livro de Alberto Manguel e música do Tio Jel

Em homenagem a esta quadra, tão propícia para o terror, deixo-te como sugestão um livro que já está na minha wishlist, Monstros Fabulosos, de Alberto Manguel. Esta é uma viagem pelos mais famosos monstros da Literatura mundial e a influência na sociedade e nos leitores de todo o mundo.

Se preferires sugestões cinematográficas, fica com o meu Top 10 de Filmes para ver no Halloween


E para animar a semana, mais curta para alguns, fica com a nova música do Tio Jel. É um daqueles casos que, depois de ouvir, não te sai da cabeça. Aconteceu-te o mesmo ou foi só a mim mesmo? 

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #7 - A Constança precisa duma máscara capilar...


Desafio de Escrita dos Pássaros #7 - A Constança precisa duma máscara capilar...


A Constança precisa duma máscara capilar mas o teu patrão só quer que vendas compotas de abóbora com amêndoa. Convence-a a escolher a compota para usar.

O que se passa com estes patrões? Quando penso que estou mal com a minha vida e com o patrão que me calhou em sorte, percebo que existe gente bem pior do que eu. Não faltam por aí patrões que acham que podem fazer omeletes sem ovos, que acreditam que excelentes trabalhadores podem receber o ordenado mínimo e que se acham donos da verdade.

Pela minha parte, dou por mim a vender compotas numa feira de Domingo, muito popular e com música pimba e ainda com direito a transmissão televisiva. O produto do dia é uma deliciosa compota de abóbora com amêndoa, que o patrão tem stock para escoar e decidiu impingir a estes domingueiros. Nada como juntar o útil ao agradável, não é mesmo?

Mas como os malucos não se limitam a ser patrões, o que não falta neste mundo é público alucinado e sem noção. Foi assim que conheci a Constança, rapariga simpática e vaidosa, que veio parar na minha barraca à procura de uma máscara capilar. Pretendia hidratação para os seus belos caracóis, danificados depois de um Verão a absorver pó dos festivais mais trendy deste Verão.

Mal lhe pus a vista em cima, tirei-lhe a pinta. Tinha todo o ar de ser uma das novas influencers, que ditam tendências no Instagram, muito adepta de causas nobres e humanitárias, mesmo quando não sabe exactamente o que significam. Foi deste modo que levou para casa uma bela compota de abóbora para hidratar os seus cabelos. Afinal de contas, os produtos vegan e naturais, que podem ter mais do que uma função nunca estiveram tanto na moda.

O sucesso foi tanto que, graças à Constança, o patrão ainda está para perceber porque miúdas de 14 anos lhe andam a encomendar as compotas como se não houvesse amanhã. Será que é desta que consigo um aumento? Ou uma promoção? Ou as duas? Bem, pensando melhor, será melhor despedir-me e ir à minha vida antes que isto dê para o torto…


Vê tudo na Apresentação Desafio dos Pássaros

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

A minha experiência com Continente Online


A minha experiência com Continente Online

Sou cliente de vários supermercados e até sou daquelas pessoas que gosta de ir às compras. Gosto de ver os folhetos, analisar e comparar as promoções para criar a minha lista de compras semanais. No entanto, depois de ter obtido entregas grátis através do MyNestlé, decidi experimentar e dar uma oportunidade à loja Continente Online. 

Aproveitei para encomendar de várias categorias, incluindo frescos, carne e peixe, para constatar melhor a selecção de produtos e a qualidade dos itens enviados. Mas vamos começar pelo início desta aventura pelo mundo das compras de supermercado online. 

A minha experiência com Continente Online

Primeiro, o site é muito intuitivo e é possível encontrar facilmente todos os produtos. Tanto pela caixa de pesquisa, como através das categorias ou até do folheto da semana. As promoções são facilmente identificáveis e podes também filtrar pelas marcas ou margens de preço que te interessam. 


Acompanhas o carrinho de compras e o total a pagar, sendo que dispões de vários métodos de pagamento para escolher. Entretanto, também podes escolher a data de entrega que foi o que menos me agradou nesta experiência. Achei que o calendário disponível era muito demorado, tendo em conta que fiz a minha encomenda numa Terça-feira e o calendário começava só na semana seguinte. 

A minha experiência com Continente Online

Tirando este aspecto menos positivo, toda a entrega aconteceu de forma perfeitamente normal. No dia anterior, recebi uma SMS com a indicação mais exacta do horário de entrega, horário que foi cumprido na totalidade. O rapaz foi extremamente profissional e simpático e tudo foi entregue dentro de casa sem ter o mínimo dos trabalhos. 

Os sacos utilizados foram pagos, mas o valor será creditado se os devolver na próxima encomenda e ainda recebi uma oferta do Continente, uma sopa de Courgete. A fruta e os legumes eram de excelente qualidade e a carne e o peixe foram entregues cortados como solicitei nas notas. Toda a restante encomenda foi seguida à risca, com excepção do detergente da loiça que estava esgotado e foi substituído por outro. No entanto, a diferença de preço foi creditada no meu Cartão Continente. 

Em suma, correu tudo às mil maravilhas e gostei tanto deste serviço que penso que irei recorrer ao Continente Online muito em breve. Ainda por cima ainda tenho mais duas entregas gratuitas que pretendo aproveitar. Já fizeste compras na loja online? Que outras utilizas? Conta-me tudo nos comentários. 

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

#Filmes - Amor Sem Aviso


#Filmes - Amor Sem Aviso

Sinopse

O milionário George Wade não dá um passo sem Kelson, a sua executiva directa na Wade Corporation. Lucy é uma advogada brilhante com uma mente estratégica. Mas também tem uma úlcera e não consegue dormir. Não é o trabalho que está a dar cabo dela. É George. Esperto, charmoso e egoísta, trata-a mais como uma ama do que como uma advogada competente e licenciada em Harvard. Ele quase que não consegue escolher uma gravata sem a ajuda dela! 

Depois de cinco anos a amparar-lhe todos os golpes, desde o acordo de divórcio até às roupas que tem de escolher, Lucy está farta e resolve ir-se embora. Depois de lhe dificultar a saída, George concorda finalmente em deixá-la ir-se embora, desde que arranje alguém para a substituir. Depois de uma pesquisa complicada, Lucy acaba por contratar uma jovem e ambiciosa advogada que obviamente está de olho no patrão. Confrontado com o facto de que Lucy está realmente a sair da sua vida, George tem de tomar uma decisão: será que é tarde demais para dizer «amo-te»?

Opinião

Depois de ter visto alguns vídeos no Youtube a relembrar o gato do Hugh Grant, decidi ver um dos inúmeros filmes que protagonizou e preferi um que nunca tinha visto do início ao fim. Foi desse modo que acabei a ver Amor sem Aviso, uma comédia romântica que conta também com Sandra Bullock como protagonista e par romântico do nosso Hugh. 

Vê também a minha opinião sobre o filme Refrigerantes e Canções de Amor

Tudo começa antes mesmo de Lucy e George se conhecerem pessoalmente, quando George se dedica a contratar mulheres bonitas e pouco competentes, e Lucy está mergulhada nas suas causas e pronta a defender o que acredita, desprezando os poderosos que passam por cima de tudo e de todos. É precisamente para defender um prédio na sua comunidade, prestes a ser demolido pela Wade Corporation, que se aproxima de George e acaba por trabalhar para ele. 

#Filmes - Amor Sem Aviso

O compromisso entre os dois consiste na manutenção do edifício em troca de Lucy aceitar trabalhar na sua empresa e, desse modo, ter uma forma de lutar melhor pelas causas em que acredita. Sendo uma mulher eficiente nos assuntos da empresa, torna-se também essencial na vida de George, que não dá um passo sem a consultar ou sem pedir a sua ajuda. 

Podes ler ainda a minha opinião sobre o filme La La Land

Mais do que advogada, transforma-se na assistente pessoal de George e também cresce uma amizade entre os dois que os torna cúmplices e íntimos. Não íntimos sexualmente falando, mas com a intimidade de quem está à vontade na companhia do outro, revelando-se sem filtros. A minha cena favorita que ilustra bem o que digo é quando vão almoçar num restaurante e, sem interromper a conversa, vão trocando elementos das suas saladas para o prato do outro, como um casal acostumado a partilhar refeições e que sabe o que cada um aprecia. 

Entretanto, cansada da carga horária a que o seu patrão a sujeita e consciente de se ter afastado do caminho das suas convicções, decide despedir-se e procurar um novo emprego. Inicialmente, George não aceita a sua decisão e dificulta a sua saída, até que concorda e permite que Lucy saia após encontrar uma substituta à altura. 

Podes ver também a minha opinião sobre O Casamento do meu Melhor Amigo

Este é um filme divertido, propício para uma tarde com as amigas ou uma festa do pijama. Faz bem às vistas, com protagonistas tão bonitos, e serve de entretenimento agradável para umas horas sem pensar em coisas tristes ou aborrecidas. Já conheces este filme de Hugh Grant? O que achas de comédias românticas? 


terça-feira, 22 de outubro de 2019

#Livros - O Hobbit, de J. R. R. Tolkien


#Livros - O Hobbit, de J. R. R. Tolkien

Sinopse

O Hobbit é a história das aventuras de um grupo de anões que vão à procura de um tesouro guardado por um terrível dragão. 
São relutantemente acompanhados por Bilbo Baggins, um hobbit apreciador do conforto e vida calma. Encontros com elfos, gnomos e aranhas gigantes, conversas com o dragão, Smaug, o Magnífico, e a presença involuntária na Batalha dos Cinco Exércitos são algumas das experiências por que Bilbo passará. O Hobbit é não só uma história maravilhosa, como o prelúdio a O Senhor dos Anéis

Opinião

Agora está na hora de regressar aos clássicos e logo com um autor incrível como J. R. R. Tolkien, que nos trouxe todo um mundo novo, repleto de fantasia e criaturas mágicas. Ainda na adolescência, tentei ler O Senhor dos Anéis, sem ter muito sucesso. Achei demasiado complexo e descritivo e acabei por ficar apenas pelos filmes na época. 

Entretanto, decidi voltar a este autor e começar pelo início da história com O Hobbit. Trata-se de um livro mais curto e de leitura rápida, com uma linguagem muito acessível, especialmente tendo em conta que foi criado como história para ser lida aos filhos do autor. Não penses que é infantil, nada disso. É uma aventura espectacular e cheia de elementos maravilhosos, mas sem palavras ou expressões difíceis. 

Podes ler a minha opinião sobre Orgulho e Preconceito

Aqui ficamos a conhecer um pouco sobre os hobbits e o seu modo de vida pacato, o seu gosto por boa comida e lugares confortáveis e o quanto apreciam as suas rotinas, temendo tudo o que os afaste delas. Somos também apresentados ao misterioso Gandalf e aos tumultuosos anões. Este estranho grupo reúne-se pela necessidade de encontrar mais um elemento para os acompanhar na jornada longa que pretendem iniciar. 

Os anões consideram o hobbit um elemento inútil, mas aceitam a sua companhia para evitar serem treze, algo de pouca sorte para uma aventura que tanta sorte exige. Afinal de contas, a viagem é longa e repleta de perigos, e o destino igualmente perigoso, dado que os aguarda um dragão que guarda o tesouro que os anões pretendem reconquistar. 


Ficamos também a conhecer os elfos, gnomos e outras criaturas sombrias. Algumas bastante familiares, mesmo para quem apenas viu os filmes. Ficamos também a saber como o famoso anel foi parar às mãos de Bilbo e como ele usou esse poder para contornar problemas e salvar os seus companheiros de viagem em diversas ocasiões. 

São pouco mais de duzentas e cinquenta páginas, onde as aventuras se sucedem a um ritmo alucinante e torna impossível parar de ler. Fiquei tão entusiasmada com esta leitura que fiquei a morrer de vontade de ler tudo e, especialmente, a trilogia incontornável, O Senhor dos Anéis

Podes ler também a minha opinião sobre O Grande Gatsby

"É uma coisa estranha, mas das coisas que são boas de ter e dos dias que são bons de passar depressa se fala e pouco se ouve; enquanto as coisas que são desconfortáveis, palpitantes e até sinistras, podem dar uma boa história e levar muito tempo a contar."

Este livro encontra-se esgotado em Portugal, infelizmente, mas podes encomendar o teu exemplar, em inglês, na Book Depository, com 6% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. 

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

A Banda Sonora da Semana #68


A Banda Sonora da Semana #68 com um Nobel da Literatura e música da Diana Castro

O frio e a chuva chegaram com tudo e agora só apetece ficar enrolados numa manta fofinha, alapados no sofá, a devorar filmes e séries ou até a ler um bom livro. Só falta mesmo acender a lareira e juntar um bom copo de vinho para ficar perfeito. Como tens vivido a chegada dos dias frios? Qual o teu programa perfeito para um dia de chuva? 

Efemérides de 21 de Outubro


1187 - É eleito o Papa Gregório VIII.
1838 - D. Pedro II do Brasil funda o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. 
1833 - Nasceu Alfred Nobel, inventor sueco e fundador dos Prémios Nobel. 
1422 - Morreu Carlos VI da França. 

A Banda Sonora da Semana #68 com um Nobel da Literatura e música da Diana Castro

A propósito do aniversário do fundador dos prémios, quero destacar uma das vencedoras anunciadas este ano para o Prémio Nobel da Literatura. Tendo em conta que não conhecia nenhum dos dois, preferi deixar como sugestão o livro Viagens, de Olga Tokarczuk. Costumas ler os autores vencedores do Nobel da Literatura?


A música da semana será da incrível Diana Castro, concorrente do The Voice do ano passado, que lançou agora o seu novo single. Esta miúda canta que se farta e fez algumas das prestações mais memoráveis do programa da RTP. Destaco, por exemplo, a sua versão de Ouvi Dizer, dos Ornatos Violeta, que nunca mais me saiu da cabeça desde que a ouvi. Conheces esta nova cantora portuguesa?