Subscreve a Newsletter Semanal

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Passatempo - Oriflame by Orineves



Quem quer um passatempo, quem quer? Eu quero e como, aqui, quem manda ainda sou eu, de forma absoluta, como antigamente, é isso mesmo que vamos ter. No entanto, quer-me parecer que não estou sozinha neste desejo, uma vez que tu também não resistes a um belo passatempo, especialmente quando os prémios são tão especiais como os que estarão a sorteio hoje. 

Como em equipa que ganha não se mexe, a parceria Orineves continua de vento em popa, rumo a mais uma série de posts imperdíveis. Primeiro, com os produtos que recebi e, agora, com este fantástico passatempo. Tudo a postos para te habilitares a estes prémios tão especiais?

E os prémios são:



Para te habilitares a estes prémios, só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio. 
  • Termina em 14 de Maio. 
Participa muito e chama todos os teus amigos e amigas, que quantos mais melhores prémios teremos no futuro. Enquanto esperas pelo resultado, aproveita para veres o quanto podes ganhar se te tornares Cliente VIP e inspira-te para os presentes para as mães na Loja Online

Boa sorte, gente! 

terça-feira, 25 de abril de 2017

Viva a Liberdade!



Hoje, celebra-se aquele que é o meu feriado favorito. A 25 de Abril de 1974, um grupo de pessoas acreditou e fez com que a Liberdade fosse uma realidade. Já por diversas vezes, como aqui, disse que a minha palavra favorita é, sem qualquer margem para dúvidas, Liberdade. Assim mesmo, com maiúscula. 

Porque para mim não existe liberdade, mas um conceito universal que, na minha vida, é tão vital como respirar. Felizmente, tive a sorte de nascer num país livre, sem repressões ou censuras. Onde posso ter as minhas opiniões, por muito erradas ou estúpidas que sejam. Onde posso estudar e onde posso ler os livros que entendo e ver os filmes que me apetece, ao contrário do que acontece noutros lugares do mundo

Onde posso usar calças e ser mulher de pleno direito, sem precisar de autorizações masculinas para fazer o que bem me aprouver. Já sabemos que, no que toca aos direitos das mulheres e conseguente igualdade de oportunidades, ainda temos um longo caminho a percorrer. Mas não posso ignorar o caminho já percorrido nem ficar insensível ao que não vivi. 

Nasci em 1986, logo passados doze anos da Revolução que nos libertou, o que não invalida que tenha uma percepção do que se vivia nessa época. Até porque acredito que temos muito para aprender com o passado. A História é cíclica e as coisas repetem-se mais vezes do que imaginamos. Além disso, um povo que não conhece a sua História será sempre um alvo fácil nas mãos das pessoas erradas. 

Basta olhar para a forma como o acto de votar é hoje encarado. Houve um tempo em que pessoas lutaram e morreram em busca do direito de votar nos seus governantes. Pobres e ricos. Homens e mulheres. Todos iguais e com o mesmo direito de se fazer ouvir. No nosso país, essa luta está ganha e é um dado adquirido. Tanto que muitos o ignoram e nem se dão ao trabalho de ir às urnas manifestar a sua opinião, ainda que seja em forma de protesto com um voto em branco. 

Não me venham com tretas, porque não ir votar NÃO é uma forma de protesto. É um desrespeito por um direito que deu tanto trabalho a conquistar. É um atentado contra a Liberdade com que desejamos viver. A Liberdade que despejamos em doses generosas nas redes sociais, quando utilizamos a caixa de comentários de qualquer publicação. Às vezes tenho a sensação que se perdeu o respeito pelas opiniões contrárias e utiliza-se o insulto gratuito sempre que se lê algo, em substituição da troca de argumentos. 

A 25 de Abril de 2017, gostaria muito que parasses para pensar no que significou esta Revolução e do quanto foi determinante para a forma como hoje vives e para os direitos que hoje gozas. Pensa também no que queres fazer com a Liberdade que tens nas mãos. Queres utilizá-la ou desperdiçá-la? Até que ponto é importante para ti viveres em Liberdade? 

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Desafio de Cinema (21/52) - Indicado por alguém



Como já vem sendo hábito, no início de cada semana temos um filme no âmbito do Desafio de Cinema. Vinte filmes já cá cantam e está na hora de passar ao vigésimo primeiro, que pretende que aqui traga um filme indicado por alguém. 

O eleito ganhou o seu lugar por já me ter sido sugerido por inúmeras pessoas, vezes sem conta. Já para não falar do quanto estou em falta por ainda não me ter sido possível assistir ao mesmo. Contudo, prometo corrigir esse lapso meu com a maior brevidade possível. 

Afinal, como poderia ignorar um filme como "Lucy"? Já me conquista por permitir dar rédeas à imaginação e ver como seria se utilizássemos o total potencial do nosso cérebro.A inteligência humana é assunto que me fascina e atrai, portanto tem sido inevitável que toda e qualquer pessoa que me conheça um pouco me fale deste filme. 

E tu? Já viste este filme? Qual o filme que me indicarias? 

Sinopse
O que poderia um humano fazer, se conseguisse desbloquear a capacidade total do seu cérebro e aceder às mais profundas aptidões da mente?

Lucy (Scarlett Johansson) é usada pelo seu namorado para fazer a entrega de uma mala num local onde acaba aprisionada pelo impiedoso Mr. Jang (Choi Min Sik). Ali, é-lhe cirurgicamente implantado no corpo um pacote com uma poderosa substância sintética, com o propósito de a fazer passar a fronteira. Mas quando o pacote rebenta acidentalmente, ela acaba por desenvolver aptidões sobre-humanas.

Lucy pede ajuda ao professor Samuel Norman (Morgan Freeman), cujas décadas de pesquisa sobre as verdadeiras potencialidades do cérebro humano, tornam-no incomparável neste campo e a única pessoa com capacidade para perceber até onde estas novas aptidões podem chegar. Perseguida incessantemente pelos seus captores, Lucy responde à altura das suas recentes capacidades que a transformam numa guerreira aperfeiçoada para além da lógica humana.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

domingo, 23 de abril de 2017

Comemorar o Dia Mundial do Livro com a Wook



Hoje é um dia feliz. Além de ser Domingo, que já é motivo de alegrias para muito boa gente, é também o Dia Mundial do Livro. Pela parte que me toca, aviso já que vou ter de comemorar de forma conveniente, que é como quem diz, vou ter de comprar um livro novo. 

No entanto, não será tarefa fácil. Porque não quero muito um livro. Quero uns vinte, no mínimo. Isto porque a lista não pára de crescer à medida que novos livros são lançados, cada um melhor que o outro. Do que não me posso queixar é da Wook, que tem sempre umas promoções fantásticas. 


E assim nos chega a promoção onde poderás pagar dois livros e levar três para casa. Assim, de repente fiquei com uma imensa vontade de mergulhar no site e começar a encher o carrinho de compras. Porém, o trabalho espera-me - que existe quem trabalhe ao Domingo! - e não posso ficar aqui a fazer sala. 

Só não resisto a partilhar uns livros que tenho debaixo de olho e que estão mortinhos para vir morar para minha casa e encontrar o seu lugar na minha estante. Afinal até parece mentira que tenha lido o último livro em Fevereiro e que só agora, em finais de Abril, volte a falar sobre um assunto que tanto gosto e que tanto prazer me dá, como os Livros

Entre o céu e o inferno. Assim foi a vida de Isabel de Aragão.

Nasceu envolta no saco sagrado, a 11 de Fevereiro de 1270, em Saragoça. Intocável. Protegida. Com poucos dias de vida o avô, Jaime I, levou-a consigo para Barcelona, no meio de uma tempestade. Cresceu a ouvir histórias de grandes conquistas, de reinos divididos por lutas sangrentas entre pais e filhos e entre irmãos. A história de Caim e Abel. Uma história que se repetiu ao longo da sua vida… 

Aos 12 anos casou com D. Dinis, rei de Portugal, e junto dele governou durante 44 anos. Praticou o bem, visitou gafarias, tocou em leprosos e lavou-lhes os pés, gastou a sua fortuna pessoal a ajudar os que mais precisavam e mandou construir o mosteiro de Santa Clara, em Coimbra. Da sua lenda fazem parte milagres, curas e feitos. Mas a melhor rosa de Aragão, que herdou o nome da Santa Isabel da Hungria, era boa para ser rei, como dizia muitas vezes o marido.

Junto dos seus embaixadores e espiões, com a ajuda da sua sempre fiel Vataça, jogou de forma astuta no tabuleiro do poder. Planeou e intrigou. Mas a história teimava em repetir-se. Caim e Abel. Pai contra filho, o seu único filho varão contra os meios-irmãos bastardos.

Morreu aos 66 anos, depois de uma penosa viagem de dezenas de léguas de Coimbra a Estremoz, montada numa mula, para evitar mais um conflito entre Portugal e Castela. Sempre acreditou que a película em que nascera a protegeria de tudo, mas nos últimos tempos de vida sentia-se frágil e vulnerável. E duvidava. Onde falhara como mulher e mãe?

A ação do filme Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los começa no ano de 1926, no momento em que Newt Scamander, representado por Eddie Redmayne, premiado com um Óscar da Academia, conclui uma viagem à volta do mundo para encontrar e documentar um conjunto extraordinário de criaturas mágicas.

Tendo chegado a Nova Iorque para uma breve paragem, ele poderia ter partido de imediato sem qualquer incidente... não fosse um No-Maj (termo americano para Muggle) chamado Jacob, uma pasta mágica perdida e a fuga de alguns dos monstros fantásticos recolhidos por Newt, que causam grandes problemas quer no mundo da feitiçaria quer no mundo No-Maj.

Marco Costa é hoje, seguramente, um dos pasteleiros mais jovens e talentosos do país. Os portugueses conhecem-no desde 2011, quando foi finalista da Casa dos Segredos 2 e conquistou Teresa Guilherme (e não só) com uma torta de laranja que se transformou no seu cartão de visita. Manuel Luís Goucha também se rendeu ao seu talento, assim como Cristina Ferreira, que confessou em directo na televisão não gostar de bolo-rei, mas que depois de provar o de Marco afirmou à boca cheia adorar o bolo. 

As receitas de doces que integram o Receitas com Segredo possuem o toque pessoal do Marco. São caseiras, autênticas e de qualidade, que pretendem fazer recordar os sabores das receitas das nossas avós, feitas com carinho e a transbordar de felicidade. D’«A Famosa» Torta de Laranja, que se tornou no seu cartão de visita, aos Brigadeiros, passando pelo Pão-de-ló Caseiro e a Tarde de Amêndoa, é só escolherem qual querem fazer para regressarem aos sabores da vossa infância. 

Podem igualmente experimentar aquelas receitas que todos adoramos - mousses, cheesecakes, gelados, tiramisus - que acham que não podem comer sem perder a forma, mas que apresento aqui numa versão do Marco, mais saudável. Por isso, não percam a Mousse de Chocolate Saudável, o Cheesecake de Manteiga de Amendoim Saudável, o Gelado de Banana Saudável ou o Tiramisú Saudável.

Os avanços tecnológicos vieram permitir a emergência de um novo tipo de influenciadores: os bloggers. Hoje em dia as pessoas recorrem cada vez mais a bloggers como fonte de informação e referência sobre um determinado produto, serviço ou empresa. Segundo dados do Bareme/Marktest, cerca de 1,8 milhões de pessoas visitam com frequência blogs em Portugal.

Ensinar como criar um blog, comunicar e gerar receitas é o objectivo principal deste livro que pretende reunir toda a informação essencial necessária para quem se pretende iniciar como blogger, elaborar a sua estratégia e pô-la em prática eficazmente. A perspectiva é de duas profissionais das áreas do marketing e da comunicação que ao longo das suas carreiras têm vindo a acompanhar de perto a blogosfera, não só na relação próxima com bloggers mas também na vertente de como pode um blogger gerar receitas com um blog.

Este livro para além de ser um facilitador na definição e orientação de quem quer ser blogger, proporciona também diversas soluções práticas e exemplos de ¿best practices¿ com testemunhos de alguns bloggers de relevo em diversas áreas em Portugal.


Bem, por hoje ficamos por aqui que não tenho tempo para continuar a divagar pela lista dos meus desejos maiores. Mas fica à vontade para partilhar e sugerir novos livros, que sou pessoa sempre pronta a aceitar ideias novas. Qual será a tua próxima compra literária?

sexta-feira, 21 de abril de 2017

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Parceria - Recebidos Oriflame 6-2017



E cá estou eu outra vez para te falar sobre mais produtos fantásticos e oportunidades únicas. Como certamente já percebeste, esta parceria já é um caso sério de sucesso neste blog e tem atraído a tua atenção, bem como, a atenção de pessoas novas que assim descobrem este espaço. 

Já conheces os produtos que recebi no Catálogo anterior, sobre os quais aqui deixei a minha opinião. Mas calma porque ainda falta falar sobre alguns, algo que terás a oportunidade de ler durante a próxima semana. Hoje, o que aqui me traz é mostrar-te a nova remessa de produtos Oriflame que recebi e que podes encontrar no actual Catálogo. 

Estamos em contagem decrescente para o Dia da Mãe e acredito que por lá encontres a prenda perfeita para tua. Quem sabe não te inspiras com algum destes produtos que te vou mostrar de seguida. Parece-te bem? 


Qual é a mulher que consegue resistir a um bom e bonito Batom? Desconheço. Não uso estas cores no dia-a-dia por razões puramente práticas, mas mal posso esperar para ver como resulta este Batom numa saída à noite com as amigas. E olha que quer-me parecer que a tua mãe também era capaz de gostar. Não achas?


Aqui podes ver o bloco, com íman, perfeito para colocar na porta do frigorífico e ir compondo a lista de compras ou deixar algum recado. Já para não falar da simpática mensagem de Páscoa que o Joaquim me deixou. 

O produto que mais curiosa me deixou foi o Creme CC em Spray HairX, pelo que promete e porque quero muito ver como se comporta no meu cabelo. Depois conto-te tudo! 

Por fim, na foto, vê-se ainda as Barras Natural Balance Wellness, na variedade Superbagas. Recebi esta encomenda quando cheguei a casa, vinda do trabalho. Traduzindo, estava quase na hora de jantar e, portanto, tive mesmo de resistir à tentação de lhes ferrar o dente mal lhes pus a vista em cima. Mas serão o meu snack nos próximos dias para as pausas no trabalho. 


Este Kit de Beleza Love Nature é tão fofinho que a pessoa quase tem pena de colocar a uso. Mas é isso mesmo que vai acontecer nos próximos tempos. Inclui um esfoliante de açúcar com alperce suavizante, uma máscara facial de mirtilo e um hidratante em gel com melancia. A combinação certa para uma pele perfeita. 


Por fim, mas não menos importante, recebi um saquinho com amostras diversas e para todos os gostos. Para a menina, o Eau de Toilette À Procura de Dory Disney Oriflame. Para as meninas adultas, o Baton Colour Unlimited The ONE, no tom Violet Extreme e dois perfumes que estarão com uma excelente promoção neste Catálogo. 

Assim, por cada 15€ em compras neste Catálogo, poderás comprar um perfume por um preço de sonho. São eles, o Eau de Parfum Love Potion e o Eau de Parfum Love Potion Secrets

Nos entretantos, podes seguir a página de Facebook do Joaquim Neves, nosso parceiro nesta aventura. Além disso, podes também inscrever-te e tornares-te Assessora ou Cliente VIP aqui, com condições especiais só por seres leitora do Não Digas Nada a Ninguém. 

Espero que continues com as antenas ligadas porque na próxima semana também sairá para o ar um novo passatempo para que possas conhecer novos produtos Oriflame. Conto contigo?

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Arquivo RTP - 60 anos de Televisão em Portugal



Em 2017, comemora-se 60 anos de Televisão em Portugal. Claro está que não acompanhei esse início, nem nada que se lhe pareça. É certo que sou uma pessoa, de certo modo, antiga, mas não assim tanto. Os meus meros trinta anos não me permitem existir nessas épocas de ouro, onde a RTP era rainha pela total ausência de concorrência. 

Porém, tenho as minhas memórias e uma curiosidade inusitada e impossível de saciar que faz com que me lembre de coisas bem velhinhas e tenha descoberto verdadeiras pérolas da nossa televisão. Para isso, muito contribui o abençoado Youtube e algumas almas iluminadas que nos permitem assistir a coisas de gerações anteriores, mas não menos talentosas ou interessantes. 

Contudo, as minhas memórias são ricas e existem inúmeras coisas que me recordo com clareza e alguma saudade. Nasci em 1986 e, portanto, faço parte da geração que descobriu a televisão na época em que nascia, em Portugal, o primeiro canal privado de televisão, a Sic. Com ela, muita coisa nova foi lançada, muitas vezes, com mais cor, brilho e barulho do que estávamos habituados até então. 

O que não invalida que guarde inúmeras recordações de programas emblemáticos da RTP. Penso que a minha memória mais antiga de um programa de televisão deve ser os Jogos Sem Fronteiras, com o carismático Eládio Clímaco. Era uma animação, ainda que não percebesse, nem estivesse interessada, no que consistia ao certo aquela competição.

Recordo alguns Festivais da Canção, muito embora os melhores sejam os anteriores ao meu nascimento, palco dos maiores êxitos da música portuguesa. Algo que, inesperadamente, voltou a acontecer na edição deste ano, com a música de Salvador e Luísa Sobral.

Por outro lado, temos os rostos que já fazem parte da família, tanto que estamos habituados a vê-los entrarem-nos em casa pela caixinha mágica e, sobretudo, através da RTP. A História que nos chegava através do Professor José Hermano Saraiva. O humor irreverente de Herman José. O criativo Carlos Cruz. O visionário Júlio Isidro. A Informação de José Rodrigues dos Santos.

Em sessenta anos, grande parte a trabalhar em regime de exclusividade, podes imaginar quantos por lá passaram, deixando o seu contributo e marcando gerações. Não irei nomear mais figuras, porque sei que por muitos que me lembre, sempre me vou esquecer de alguém importante.

O que nos leva, finalmente, ao motivo pelo qual escrevo sobre este assunto. Sim, o objectivo não foi apenas celebrar os 60 anos de Televisão em Portugal ou desfiar memórias longínquas. O verdadeiro, e espero que útil, propósito desta publicação foi informar-te que já é possível aceder ao Arquivo RTP, onde encontrarás conteúdos televisivos, mas também das emissões de Rádio desde 1936.

É aquilo a que chamo de verdadeiro serviço público. Afinal, se a RTP é a emissora do Estado, os seus conteúdos pertencem a todos os portugueses. Portanto, faz todo o sentido ser possível aceder aos mesmos de uma forma fácil e prática, tirando o máximo partido da era digital em que estamos.

Já conhecias esta plataforma? E já agora, qual a memória mais forte desta estação televisiva que guardas?

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Desafio de Cinema (20/52) - Ficção Científica



Já se passaram vinte semanas desde o início deste Desafio de Cinema a que me propus com tanta dedicação e empenho. A verdade é que tem sido uma enorme fonte de prazer puxar pela massa cinzenta para eleger um novo filme todas as semanas para aqui partilhar contigo. 

O tema de hoje é um género cinematográfico, ficção científica, que não está entre os meus favoritos, pelo menos, à primeira vista. Depois, quando me pus a pensar melhor no assunto, constatei que assisti a imensos filmes de ficção científica e alguns do melhor que já se fez. 

E foi durante essa espécie de pesquisa que me deparei com o filme que hoje te trago. Aliás, ainda muito recentemente falei sobre ele com um amigo e tenho a sensação que terá sido um dos filmes que mais marcou o nosso imaginário. Além de ter marcado uma viragem no que diz respeito ao uso de efeitos especiais. 

Ainda não sabes de que filme falo? Do célebre e inesquecível "The Matrix". Uma história complexa e que tem servido de base a inúmeras histórias de lá para cá. Sem esquecer que o elenco fantástico, que conta com um dos grandes gatos do cinema, Keanu Reeves

Quanto a ti, conheces esta trilogia de sucesso? O que mais te marcou?

Sinopse
Percepção: O nosso mundo é real.

Realidade: Esse mundo é uma mentira, uma elaborada fraude concebida por máquinas poderosas de inteligência artificial que nos controlam. Uah!

Cenas com duplos completamente alucinantes. Cenários techno de arromba. Acção como nunca imaginou. Keanu Reeves e Laurence Fishburne lideram a batalha para libertar a humanidade em Matrix, o thriller cibernético que quererá ver e rever, escrito e realizado pelos irmãos Wachowski (Bound). A história deslumbra, os efeitos especiais atingem um novo patamar na arte de realizar - o filme arrasa.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

domingo, 16 de abril de 2017

Vencedor Passatempo - Parceria Oriflame by Orineves



Pois é, meus amigos, o que é bom também acaba. Se bem que, no dia de hoje, ainda tem muitas coisas boas à vossa espera, não estivéssemos nós em plena Páscoa. O que interessa é que a parceria com a Orineves tem sido produtiva. Além de ficares a conhecer novos produtos, podes efectivamente experimentar alguns. 

Só assim me faz sentido, partilhar os proveitos contigo que me lês e fazes deste espaço o lugar maravilhoso que é. Aqui estão os produtos que vieram morar para minha casa e a opinião sobre alguns deles. Os que faltam serão publicadas durante a semana que se avizinha, é uma promessa. 

Mas o que hoje me traz ao blog, em pleno Domingo de Páscoa, é anunciar o vencedor do primeiro passatempo em parceria com a Orineves. Portanto, como não pretendo retirar-te mais tempo à mesa de petiscos que tens à tua espera aí em casa, vamos ao que interessa. 

O vencedor dos quatro produtos Oriflame é:

Vânia Marques, de Porto de Mós

Ainda hoje será enviado um e-mail à vencedora a solicitar os dados para envio dos prémios, ao qual terá de responder nas próximas 48 horas. 

Muitos parabéns à nossa Vânia e não fiques triste porque será lançado um novo passatempo muito em breve! :) 

Feliz Páscoa com muitas amêndoas e coelhos de chocolate!!! 

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Uma noite com... #128











João Paulo Rodrigues
Lembro-me de um tempo em que este rapaz só nos fazia rir.
Agora canta, apresenta e está de volta ao mercado dos solteiros!

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Ser Jornalista em 2017



Este é um assunto que me toca particularmente, não tenha sido a profissão de Jornalista a que sonhei ter um dia, como já aqui referi. Apesar de ter tido outros devaneios profissionais durante o início da adolescência, este foi o que perdurou no tempo e o que me fez mais sentido. 

Afinal foi devido a uma paixão que elegi o Jornalismo como a profissão perfeita, a mesma paixão que me levou a criar este blog, a escrita. E a vontade de ser lida, porque quem escreve precisa de leitores. Se assim não fosse, escreveria um diário que esconderia debaixo da cama.

Em pleno ano de 2017, a sensação que tenho foi de que não perdi nada em não ter enveredado por esse caminho. E isto é coisa que nunca imaginei que fosse possível acontecer, nem nos meus piores pesadelos, com desemprego, estágios medíocres ou empregos precários à mistura. Acreditei sempre que ser Jornalista era um profissão nobre, que tinha a missão de informar as pessoas.

Agora, imagina o meu espanto perante esta nova tendência de se escrever uma notícia e, na ânsia de escolher o melhor título para ela, colocar uma manchete falsa e que induz o leitor em erro. A pessoa compra uma publicação ou, na era moderna, clica num link e depara-se com uma notícia que em nada corresponde ao título inicial.

Não que esta seja uma tendência nova. Afinal, já perdemos a conta às vezes que foram noticiadas mortes de famosos que, pelos vistos, têm mais vidas que um gato. Contudo, era um fenómeno associado a publicações de pouca qualidade e sites duvidosos. O espanto maior surge quando me apercebo que esta tendência se alastrou a jornais e revistas que todos consideramos credíveis.

Eu sei que o mundo mudou muito, especialmente com o fenómeno tecnológico. A Internet tem crescido de uma forma assustadora, bem como as próprias redes sociais. Tudo isto tem tirado poder aos tradicionais órgãos de comunicação social. As receitas já não o que eram e a publicidade tem mudado a sua estratégia. Tudo coisas que compreendo e assumo que sejam necessárias estratégias de mudança que acompanhem esta evolução.

Mas, por favor, não me peçam que aceite ou compreenda esta forma de contra informação e de enganar as pessoas. É coisa que me deixa enojada e tenho a certeza de que não seria capaz de ser jornalista em 2017, porque não me sentiria uma boa profissional a fazê-lo com estas novas regras. Ainda que tivesse seguido este sonho antigo e hoje fosse jornalista, quer-me parecer que seria algures em 2017 que iria procurar um novo rumo profissional.

E tu? O que achas desta nova forma de ser jornalista? Aceitas ou rejeitas? 

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Desafio de Cinema (19/52) - Europeu



Vamos lá ver, eu gosto de Cinema e muito. Mas não sou propriamente uma especialista na matéria, nem pretendo ser. Gosto de olhar para filmes com os olhos leigos, sem prestar demasiada atenção a aspectos técnicos, e agarrar-me mais à mensagem e ao desempenho dos actores. 

Portanto, não quero passar uma imagem errada ou enganar-te sob que forma for. O que significa que não sou pessoa que preste muita atenção ao cinema europeu. Por vezes, nem ao cinema nacional presto atenção, quanto mais ao que se passa por essa Europa a fora. 

O que se irá traduzir numa escolha mais que óbvia para esta categoria que me pede um filme europeu. Acredito que toda e qualquer pessoa que ponha os olhos neste post já tenha visto este filme e fez muito bem. Porque é dos melhores retratos já feitos sobre a nossa emigração. Ou pelo menos, da nossa emigração de há trinta ou mais anos atrás. 

Falo do filme luso-francês, realizado por um realizador filho de portugueses emigrados em França, "A Gaiola Dourada". Além de contar com alguns dos melhores actores portugueses, a história retrata tão bem a realidade que até assusta. Claro que é uma visão algo caricaturada, mas não deixa de ter muitos aspectos onde todos nos revemos. 

Aliás, já tive oportunidade de aqui falar sobre este filme quando o vi pela primeira vez e a minha opinião mantém-se na totalidade. E continuo a afirmar que é impossível para qualquer português que se preze, mesmo sem querer, emocionar-se em determinados momentos do filme, pela forma como a nossa alma e a nossa cultura está tão bem retratada. 

Concordas com a minha opinião sobre "A Gaiola Dourada"? Qual a tua cena favorita?


Sinopse
Num dos melhores bairros de Paris, Maria e José Ribeiro vivem há cerca de 30 anos na casa da porteira no rés-do-chão de um prédio da segunda metade do século XIX. Este casal de imigrantes portugueses é querido por todos no bairro: Maria uma excelente porteira e José um trabalhador da construção civil fora de série. Com o passar do tempo, este casal tornou-se indispensável no dia-a-dia dos que com ele convivem. São tão apreciados e estão tão bem integrados que, nos dia em que surge a possibilidade de concretizarem o sonho das suas vidas, regressar a Portugal em excelentes condições, ninguém quer deixar partir os Ribeiro, tão dedicados e tão discretos. Até onde serão capazes de ir a sua família, os seus vizinhos e os patrões para não os deixarem partir? Mas estarão, a Maria e o José, verdadeiramente com vontade de deixar França e de abandonar a sua preciosa gaiola dourada?


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

domingo, 9 de abril de 2017

Liebster Award III


Está de volta ao estaminé pela terceira vez, e depois de mais de um ano, esta iniciativa que pretende divulgar blogs giros e que gostamos, mas que ainda não ultrapassaram os 200 seguidores. Desta vez chega-me pelas mãos da Márcia que está a começar nestas andanças da blogosfera mas que será certamente bem sucedida. Vamos lá às perguntas.

1- Apresenta-te como blogger e fala um pouco de ti.
Sou a Inês, actualmente vivo no Montijo, trabalho, estudo e o tempo não me chega para tudo o que gostaria de fazer e conhecer. No entanto, não pode faltar tempo para vir cá a este meu cantinho que cada vez é mais importante para mim.

2- Quais foram os  teus motivos para criares um blog?
A vontade de expressar todas as coisas que me passam pela cabeça sem restrições e sem filtros. E, claro, a paixão antiga pela escrita foi mais um factor decisivo.

3- Identificas-te com o nome que deste ao teu blog?
Claro, nem faria sentido se assim não fosse. É uma frase que fará sempre parte da minha vida e que atravessa várias fases e incluí diferentes pessoas.

4- O que pretendes publicar?
Tudo o que me passa pela cabeça. Não há limites nem barreiras.

5-  No que te inspiras, para criares os teus posts?
Tudo o que vejo e tudo o que sinto são grandes fontes de inspiração.

6-  Estas satisfeita com o teu blog e evolução do mesmo?
Muito satisfeita mesmo. Tenho tido um crescimento lento mas sinto que tem sido consistente. E o mais importante é que continua a dar-me prazer vir aqui.

7- Quais são os teus temas preferidos?
Os que me dão mais prazer são aqueles em que partilho pensamentos pessoais, sem dúvida.

8- Que dificuldades sentiste ao criar o  blog?
As ferramentas do Blogger são relativamente simples e acessíveis mesmo para quem, como eu, não tem conhecimentos aprofundados na área.

9- Pretendes criar amizades a partir do blog?
Sou uma privilegiada nesse aspecto pois sinto que já criei boas amizades através desta plataforma de comunicação.

10- O que achas do blog que te nomeou?
É um blog bastante recente e que acabei de conhecer, mas que irei continuar a acompanhar para poder assistir à sua evolução.

11- Quem convidarias para criar um blog?
Pessoas interessantes e com algo para dizer. Não perdi a esperança que existam mais gente deste tipo espalhadas por este mundo, prontas para serem descobertas.

Podem ver as minhas respostas anteriores aqui e aqui.



sexta-feira, 7 de abril de 2017

15 anos a sentir a sua falta



No dia de hoje faz precisamente 15 anos que partiu a única pessoa de quem sinto verdadeira falta. Uma falta que me rói e não acalma com o passar do tempo. Já aqui lhe prestei a merecida homenagem, no entanto, sinto que nunca serão suficientes. As palavras serão sempre poucas para lhe fazer justiça. A ele e a tudo o que me ensinou e a todo o amor que me pôs nas mãos, sem pedir nada em troca. 

Falo do meu avô, que partiu neste dia, no ano de 2002. Partiu o seu corpo, porque o seu espírito paira sempre sobre mim com o mesmo amor e instinto de protecção que o caracterizou em vida. Na época, lembro-me de sentir a enorme injustiça da sua partida. Tanto que ainda tínhamos para viver e conversar e aprender um com o outro. 

Hoje, irei ao cemitério acender uma vela e agradecer, porque sinto que sempre agradeço pouco, o tanto que me deu, em valores e carácter, e passear por entre os corredores, como sempre fez comigo pela mão, numa visita guiada pela família que não conheci. Um ritual que me traz memórias de férias de Verão e da doce e inocente infância. 

Depois, a vida segue, mas as memórias ficarão para sempre em mim. Quando penso na sua morte, reparo que ainda não a chorei, como seria suposto, com lágrimas de dor. Nem quero, porque isso seria admitir que não sinto a sua presença e protecção. As lágrimas são interiores pela falta de ouvir a sua voz e sentir o seu toque carinhoso. Tudo o resto, permanece igual e inalterável. 

Quinze anos se passaram e quando penso no meu avô é com os olhos da menina-adolescente que era na época. Com a admiração do ídolo, com o amor imenso que só os avós podem dar, sem o peso de educar. Foi a única figura e preencheu tudo, sem deixar margem para sentir falta de outras figuras de avós. A saudade ficará comigo para sempre, mas a sua presença constante na minha vida é o melhor legado que deixou. 

A única certeza que lhe posso dar, querido Avô, é que nunca será esquecido. Viverá em mim até ao meu último suspiro e isso é o que de melhor lhe posso oferecer. 

quarta-feira, 5 de abril de 2017

#Filmes - A Bela e o Monstro



Sinopse
O filme A Bela e o Monstro é uma adaptação em imagem real do clássico de animação. Esta versão moderniza as personagens clássicas para um público contemporâneo, mantendo-se fiel à música original e actualizando a banda sonora com novas canções. A Bela e o Monstro é sobre a fantástica história de Bela, uma jovem brilhante, bonita e independente, que é aprisionada por um Monstro no seu castelo. Apesar dos seus receios, torna-se amiga dos empregados encantados do castelo e consegue ver para além do terrível exterior do Monstro quando começa a conhecer a alma e o coração do verdadeiro Príncipe que vive no seu interior. 

Opinião
Cinema é uma parte incontornável deste blog, como já sabes. Infelizmente, acabo por não lhe dedicar tanto tempo e atenção quanto gostaria, o que não invalida que esteja a trabalhar com afinco e determinação para alterar esta situação precária.

E foi com isso em mente, bem como uma enorme vontade de ver o que fizeram com este clássico da Disney, que fui ver o tão falado A Bela e o Monstro. A fasquia estava bem alta, afinal o risco de errar e destruir o nosso imaginário desta bela história era gigante. Pois que não foi nada disso que aconteceu.

Confesso que olhar para a nossa Emma sem ver Hermione Granger está perto de uma missão impossível. Mais ainda quando a vemos fascinada por livros, como se fosse uma inevitabilidade colada à sua imagem. No entanto, está demonstrado o seu talento, porque deu vida a esta princesa a rasar a perfeição.

O enredo está muito bem construído e responde a algumas perguntas que são ignoradas na sua versão animada. E aquele Monstro, pessoas? Como não se apaixonar por uma personagem tão envolvente, embora com um génio terrível? Os empregados-objectos também têm a sua piada, embora tenham feito render a coisa dando-lhes algum protagonismo desnecessário e que nada acrescenta à história.

A banda sonora é das mais bonitas e, portanto, não fazia sentido mexer numa fórmula de sucesso. Ouvir o tema principal numa sala de cinema é de uma beleza sem par e levou, inclusivamente, a que algumas pessoas se esquecessem que se encontravam num local público e rodeadas de gente estranha. Tanto que as cantaram como se estivessem no seu sofá, de preferência sem testemunhas de tal figura.

Portanto, o que te tenho a dizer sobre A Bela e o Monstro é que, caso ainda tenhas reticências, vai ao cinema e esquece isso. Além de ser um filme que merece ser visto num ecrã gigante, podes ter a certeza de que não irás arruinar as tuas memórias de infância, bem pelo contrário, irás avivar as memórias e recordar o sabor da infância.

Quanto a ti que já foste ver, o que achaste deste filme? Vale a pena ir ver A Bela e o Monstro?


terça-feira, 4 de abril de 2017

#Review - Recebidos Oriflame I



Antes de começar a tecer os comentários que tenho planeados para o dia de hoje, tenho de informar os mais distraídos e os que só agora chegaram que este post é escrito no âmbito da parceria com a Equipa Orineves

Agora, passando ao que aqui nos trouxe, ou seja, aos produtos Oriflame que recebi. Como inicialmente planeado, fui experimentando, ao longo das últimas semanas, cada um dos produtos até formar uma opinião sobre os mesmos. Quem me conhece destas andanças, já sabe que não formulo opiniões ou juízos de valor até ter usado devidamente aquilo que me enviam. 

É por isso mesmo que esta Review será dividida em duas partes. Esta, a primeira, com os produtos dos quais já tenho opinião formada e sobre os quais posso falar um pouco melhor. Seguidamente, será publicada a segunda parte, assim que tiver reunido condições para opinar sobre os produtos que faltam. Parece-te bem?


Na foto estão três produtos, mas só irei falar sobre dois deles. Lamento desiludir-te, mas ainda não será desta que irei opinar sobre as Toalhitas Demovedoras de Verniz The ONE. E dou-vos todo o direito de reclamarem muito, porque a culpa é inteiramente minha e da minha preguiça para pintar as unhas. Mea culpa!

No entretanto, já experimentei o Sabonete Suavizante Milk & Honey Gold, cujo aroma é delicioso e deixa a pele limpa e perfumada, sem a secar. Neste momento, a minha mãe é que o está a usar e também partilha da minha opinião.

Já o BB Lip Balm The One passou para o top das minhas preferências. Sou a pessoa cujos lábios se ressentem no Inverno com o frio e no Verão com o calor. Portanto, isso faz com que precise sempre, 365 dias por ano, de um bom bálsamo para os manter hidratados e bonitos. E não poderia estar mais contente com este que recebi. Cumpre a sua função na perfeição e ficará para sempre comigo, quer-me parecer.


Mais uma vez vou ter de te desiludir. Ainda não será hoje que irei falar sobre os perfumes que me chegaram cá a casa. Já utilizei os dois, mas sinto que ainda não estou preparada para manifestar um parecer fundamentado acerca dos mesmos.

No entanto, já tive oportunidade de usar o Creme Protetor de Mãos e Unhas SoftCaress e fiquei muito bem impressionada, devo dizer. O aroma é suave e discreto, mas gostoso e deixa as mãos super suaves e bem hidratadas. Aliás, é tão bom que ganhou o seu lugar na minha mesa de cabeceira e já faz parte da minha rotina antes de dormir.

Entretanto, enquanto esperas pela review dos restantes artigos, aproveita para ganhares uns quantos artigos Oriflame no passatempo que está a decorrer, até 14 de Abril. Depois disso, podes entreter-te com o novo Catálogo Oriflame e comprar na Loja Online

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Desafio de Cinema (18/52) - Don Corleone feelings



O tema para a décima oitava semana do desafio de Cinema foi particularmente difícil. E, à primeira vista, nem parecia assim tão complicado. Afinal, filmes de mafiosos é coisa que sempre vendeu bem em Hollywood. 

O problema surgiu quando pensamos no mais óbvio, na saga O Padrinho e procuramos algo que se equipare em qualidade e talento. Assim, torna-se missão impossível, porque não existe comparação possível. Tudo o que se fez depois desta saga de sucesso, fica pequeno se olharmos com atenção. 

Apesar de não pretender eleger o filme mais fácil e que melhor se enquadrava nesta categoria, acredito que os deves começar a ver, no caso de fazeres parte dos 2% de pessoas no mundo que ainda não viu, ok?

Portanto, continuei à procura, até que me deparei com um filme, de um dos meus realizadores favoritos, Quentin Tarantino. Falo do icónico Kill Bill, dividido em dois filmes que contam a história de uma mulher e do seu desejo de vingança. Tudo regado com muito sangue, como seria de esperar de Tarantino e de um grupo de criminosos a lutar entre si. 

Já conheces este clássico do Cinema? Gostas deste género de filme?


Sinopse
Quatro anos depois de ser baleada na cabeça no dia do seu próprio casamento, A Noiva (Uma Thurman) acorda do estado de coma e decide que é tempo de alguém pagar as contas... com uma terrível vingança! Tendo sido traída pelo seu antigo patrão (David Carradine) e pelo seu mortífero esquadrão de assassinos, esta é uma luta de morte que ela não começou, mas que está determinada em acabar. Repleto de acção explosiva e de um humor irreverente, Kill Bill - A Vingança é um acontecimento cinematográfico que não vai querer perder. 


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...