expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

sexta-feira, 30 de março de 2018

Uma noite com... #139











Fernando Daniel

Mais um belo gato para nos cantar ao ouvido!

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 29 de março de 2018

#Livros - O Guardião dos Objectos Perdidos, de Ruth Hogan



Sinopse
Anthony Peardew passou metade da sua existência a guardar com todo o zelo objectos que encontrava perdidos, numa tentativa de se redimir de uma promessa quebrada muitos anos antes. Já perto do ocaso da sua vida, decidi deixar a casa onde vive, e os «tesouros» que nela foi reunindo, a Laura, sua assistente e única pessoa a quem ele pode confiar a missão de restituir aqueles objectos aos seus legítimos donos. Mas os últimos desejos de Anthony têm repercussões verdadeiramente inesperadas... 

Uma brilhante história de amor e redenção que explora a importância da memória, a magia dos objectos e o que eles representam na nossa existência, e os elos inesperados que se criam entre todos nós. 

Opinião
Este foi um livro que descobri, apenas e só, através do passatempo realizado no blog Viajar pela leitura, onde fui a feliz vencedora deste exemplar. Confesso que, de outra forma, não teria pegado nele pois não conhecia a autora nem a divulgação tinha prendido a minha atenção a ponto de pensar em comprar o livro.

Portanto, foi uma sorte que ele me tenha vindo parar a casa, porque esta história é mesmo gira. Não gira no modo fofinho e happy ending, onde todos viveram felizes para sempre. Parece uma história ligeira sobre objectos perdidos e encontrados por um senhor que decide reuni-los, usando-os para a sua inspiração enquanto escritor, tendo como ambição máxima procurar devolver esses objectos aos seus donos, no entanto, sem saber como o poderá fazer de facto.

Contudo, é uma história bem mais densa e profunda. A narrativa vai se passando no presente e no passado, acompanhando duas histórias de amor. Uma actual e que está a crescer e outra antiga que nunca passou da amizade. Sem esquecer a história de amor de Anthony pela mulher que perdeu uma semana antes do casamento, mas que nunca esqueceu e que lhe deu um sentido para continuar a viver depois de a perder.

Tudo contado com uma simplicidade desconcertante, com apontamentos de contos a explicar a origem dos objectos que se encontram no escritório, como se os objectos tivessem vida própria e um propósito oculto na sua perda. Tudo parece fazer parte de uma grande engrenagem que culmina num final onde todas as peças se encaixam como peças de um puzzle gigante e imperceptível ao início.

Das três histórias de amor centrais, a que mais me aquece o coração é a do amor que não se concretiza. Uma mulher que encontra a sua alma gémea, o homem da sua vida, e que lhe dedica toda a sua vida. Partilham uma vida inteira de momentos cúmplices, dos pequenos nadas que constituem a intimidade entre duas pessoas, conhecendo os gostos um do outro como ninguém. É o casamento perfeito e duradouro com que todos sonham. Só que sem sexo. Sem amor físico, apenas emocional e intelectual.

É um livro que se lê com alguma rapidez e que, ainda assim, nos transporta e nos envolve num universo de amor e de energias positivas. O romance de estreia de Ruth Hogan é apaixonante e deixou-me com uma vontade imensa de conhecer mais da sua obra literária. Portanto, não poderia estar mais contente com este prémio recebido e aconselho vivamente a que também entres nesta viagem pelo passado e dos fios condutores que conduzem ao presente.

Já conhecias O Guardião dos Objectos Perdidos? O que achas do romance de estreia de Ruth Hogan?

"A avó dissera-lhe uma vez que se podia culpar os genes pela fealdade e a educação pela ignorância, mas não havia qualquer desculpa para se ser desinteressante."

Podes adquirir o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis ou na Book Depository, na versão em inglês, com 30% de desconto e portes grátis para todo mundo. 

quarta-feira, 28 de março de 2018

Na minha secretária tem...



O mundo pode estar virado de pernas para o ar e o tempo escorrer por entre os dedos como grãos de areia, que a minha secretária se mantém inalterada e com um conjunto de essenciais que não podem faltar, seja sob que pretexto for. Seja porque me auxiliam a trabalhar no blog, seja porque os utilizo para me entreter e descomprimir. 

Por exemplo, para o trabalho no blog, tenho sempre à mão o meu exemplar do livro Ser Blogger. Para me entreter nas minhas andança pelo Youtube, embora também seja útil para assistir a alguns podcasts e vídeos educativos, tenho sempre comigo os meus Fones Brainwavz Jive. Claro que o portátil e a impressora são fundamentais, pelas razões óbvias, que isto do digital exige alguma tecnologia. 


No entanto, o que me apaixona é mesmo o material de papelaria. Sou daquelas pessoas que não resiste a mais um caderno, bloco de notas, caneta bonita, marcadores coloridos. Por muitos que tenha, nunca considero que sejam demais. Depois existe todo um mundo de planners e calendários e formas de organizar e inspirar as nossas vidas.


Nessa pilha, que aos teus olhos pode parecer uma confusão, encontra-se a minha agenda para 2018, bem como as agendas de 2017 e 2015 onde se encontram apontamentos e ideias que, por vezes, ainda vou consultar em busca de inspiração; cadernos e blocos de notas vários, e o meu planner com o planeamento dos futuros posts do blog. Parece muita coisa, mas tudo tem a sua função e utilidade, ok?


Por fim, quero apresentar um brinquedo novo que me tem feito companhia na minha secretária nos últimos tempos e que irá ser uma peça fundamental para a nova rubrica, A Banda Sonora da Semana. Trata-se de um Digitalizador de Negativos, que comprei no Lidl, e que me irá permitir ir buscar ao baú as centenas de fotos da minha infância, bem como as excelentes memórias que guardo de tempos que não voltam.





Gostaste da minha secretária? Deixa o teu comentário e conta-me o que não falta na tua secretária! 

terça-feira, 27 de março de 2018

#Filmes - As Cinquenta Sombras de Grey



Sinopse
A estudante de literatura Anastasia Steele, de 21 anos, entrevista o jovem bilionário Christian Grey, como um favor à sua colega de quarto Kate Kavanagh. Ela vê nele um homem atraente e brilhante, e ele fica igualmente fascinado por ela. Embora seja sexualmente inexperiente, Anastasia mergulha de cabeça nessa relação e descobre os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objecto de submissão do enigmático Grey.

Opinião
E depois de darmos uma pequena volta pelo Terror, com Get Out, vamos curvar de forma acentuada e dedicar-nos ao Cinema pseudo-erótico. Eu sei que pode parecer inacreditável, mas nunca me tinha sentido curiosa quanto à trilogia que tanto deu que falar pelo mundo a fora. Não sou pessoa de ir atrás de modas e, com todo o alvoroço em torno dos livros e do filme, o meu interesse foi diminuindo exponencialmente.

No entanto, este ano, no dia dos Namorados, o filme passou na TVI e, apesar de estar no computador e ter a televisão apenas como som de fundo, dei por mim a ver efectivamente o tão polémico filme As Cinquenta Sombras de Grey. E quanto mais fui vendo, mais interessante me pareceu. Mais curiosa fiquei para saber o que acontece com um casal tão improvável.

O que é certo é que fiquei fascinada com este nosso protagonista. Christian Grey é misterioso, frio, autoritário, arrogante e lindo de morrer. Com uma presença forte e poderosa, emana segurança e convicção. Sem esquecer o pormenor de que é estupidamente rico. Uma combinação explosiva capaz de deixar qualquer mulher de cabeça à roda, certo?

Por outro lado, a doce Anastasia Steele é uma pessoa estranha. Uma mulher que chega aos 21 anos virgem e inexperiente e que se perde de amores por um homem tão invulgar e que a quer levar para todo um mundo novo de sexo, prazer, fantasias e onde os limites são continuamente testados. Aparentemente frágil e submissa, revela-se forte e incapaz de corresponder aos desejos de submissão do homem que deseja.

Sexualmente, o filme não contém nenhuma cena chocante, apenas um lado alternativo que não costuma estar presente nas histórias de amor que nos são contadas em Hollywood. Acredito, contudo, que a versão apresentada no filme esteja suavizada e que as descrições da história original sejam mais hardcore. Poupem-me os púdicos que parecem nunca ter visto mamas e rabos em filmes no cinema, porque não existe mais nada explícito neste filme.

A história vai-se desenrolando e quando se pensa que o enredo seguirá o caminho óbvio, surge uma reviravolta, no final do filme, que nos confunde e a mim deixou-me sem saber o que poderia acontecer a seguir. Sem querer entrar em campo minado por spoilers, é óbvio o que irá acontecer, a dúvida prende-se com os termos em que isso irá acontecer de facto.

Como tal, a minha curiosidade já não me deu tréguas e só descansou quando vi chegar a casa a versão em papel desta história. Que é como quem diz, só descansou quando tive nas mãos As Cinquenta Sombras de Grey, o livro. Portanto, muito em breve, iremos conversar sobre a trilogia que enlouqueceu o mundo, assim que tiver terminado esta leitura inesperada.



Temos fãs das Cinquenta Sombras por aqui? Deixa nos comentários o que achaste do filme e, já agora, se faço bem em ler os livros. Conto contigo? 

segunda-feira, 26 de março de 2018

A Banda Sonora da Semana #1



Ainda me ando a sentir orfã do Desafio de Cinema e não fazia ideia do que iria fazer com as Segundas no blog. Talvez por isso (e pelo excesso de trabalho e falta de organização) acabou por ocorrer esta mini pausa no blog, que serviu também para me inspirar, agarrar uma ideia e explorá-la. E foi assim que me decidi a colocar mais música neste espaço e criar um espaço semanal que irá definir qual será a banda sonora que irá marcar e definir a semana. 

Esta espaço é meu, como é óbvio, mas quero que também seja teu e, por isso, sente-te à vontade para deixar a tua sugestão, seja na forma de comentário ou de forma mais privada, através de e-mail ou mensagem nas redes sociais. Irei procurar inspiração das mais diversas formas e nos locais mais inesperados. Pode ter origem nas minhas memórias, em datas festivas e comemorativas, efemérides mundiais ou nacionais, enfim, em tudo e mais um par de botas. 

Efemérides de 26 de Março:

1827 - Morreu Ludwig van Beethoven, compositor alemão
1911 - Nasceu Tennessee Williams, dramaturgo norte-americano
1995 - Entra em vigor o Acordo de Schengen

É importante não esquecer que Março é também o mês das Mulheres, dos Pais e da Primavera. Portanto, decidi inspirar-me no homem mais importante da minha vida e o maior impulsionador da minha paixão por música, ou seja, o meu pai. A ele devo a minha cultura musical acima da média, onde se incluem músicas e cantores que a maioria da malta da minha idade desconhece, e foi graças a ele que estudei música desde os cinco anos e aprendi a tocar um instrumento musical.


Nunca conheci ninguém tão apanhado por música como o senhor meu pai. Entre as suas "paranóias" encontra-se um aparelho de som em cada divisão da casa (incluindo a casa de banho), adormecer sempre com os fones nos ouvidos, ser incapaz de ter um carro que não tenho rádio e umas boas colunas. É preciso continuar? É desta forma que escolhi um dos seus artistas favoritos e que ouvi vezes sem conta em casa, Cliff Richard.


O que achas da nova rubrica semanal? E desta música? Já conhecias o artista?

domingo, 25 de março de 2018

Passatempo de Páscoa - Cookie TinyBite



Depois de ter partilhado a minha opinião sobre alguns produtos da Cookie TinyBite, e dado que estamos em contagem decrescente para a Páscoa, nada melhor do que combinar as duas coisas de uma forma espectacular. O que significa que estarão de regresso os passatempos em parceria com a Cookie TinyBite, que fazem as delícias de todos que por aqui passam. 

Assim sendo, terás a possibilidade de receber um lindo caderno A5, com cem folhas lisas, e uma ilustração da Cookie da Páscoa. Consegues resistir a um prémio tão especial? Eu sei que não consegues nem queres resistir, certo?


Para te habilitares a este fantástico prémio só precisas de:





Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será anunciado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder nas próximas 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 2 de Abril.
Boa sorte!!! 

sexta-feira, 16 de março de 2018

Uma noite com... #138











Vítor Hugo
Mais uma actor que nos chega do Brasil e que pode ser visto (e bem) como Diego, n'A Herdeira, na TVI.

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui. 

quinta-feira, 15 de março de 2018

Onde engatar em 2018?



Chegados ao século XXI, as técnicas e tácticas de engate estão cada vez mais apuradas e as regras são quase inexistentes. Longe vai o tempo em que tudo era processado sobre estreitas regras de conduta, onde a mulher tinha um papel passivo, cabendo ao homem toda a iniciativa. Por um lado, devia ser uma grande chatice ficar à espera de iniciativas alheias mas, por outro, era tudo muito mais simples e sabia-se com o que se podia contar. 

Agora é a loucura e um vale-tudo, onde os homens cada vez estão mais atados e revelam um comodismo irritante. Não é que não goste da liberdade de tomar a iniciativa no jogo de sedução, mas esta apatia masculina já irrita e desmotiva. No entanto, com todo este escândalo envolvendo assédio sexual, começo a perceber o medo que cada vez mais homens sentem na tentativa de seduzir uma mulher. Quem pode garantir que não vá ser acusado de assédio ao convidar uma senhora para jantar?

Bem, mas não é de assédio que quero falar hoje. Pelo contrário, quero falar do problema inevitável que é encontrar pessoas interessantes e interessadas. Porque a pessoa até pode não ter namorado, mas isso não significa nem que esteja desesperada por encontrar um, nem que viva uma vida de celibatária. Entre uma coisa e a outra, existe uma imensa área a ser explorada. 

O grande dilema prende-se com a dificuldade em conhecer pessoas novas a dada altura da vida. Por exemplo, tenho 32 anos e já não ando na escola, só trabalho com mulheres, o grupo de amigos já existentes não é opção. Não frequento ginásios, não pertenço a nenhum grupo de corrida, nem estou associada a nenhum grupo temático. Portanto, onde engatar em 2018?

A resposta óbvia deveria ser algo como o Tinder, uma aplicação que funciona como bar de engate digital, onde os propósitos estão em cima da mesa, e é possível encontrar sempre companhia. Só que não. Ainda não me dediquei a explorar o Tinder, embora esteja nos meus planos ir lá dar uma voltinha e descobrir melhor como tudo funciona. A resposta à questão de hoje será algo mais inusitado e inesperado. 


Sem mais mistérios, a resposta é o OLX. Caiu-te o queixo? Então, recompõe-te que estou a falar muito a sério. Sou utilizadora assídua desta plataforma. Tenho produtos à venda e pesquiso sempre por lá quando quero comprar alguma coisa, não vá encontrar o negócio perfeito. Portanto, contacto com muita gente seja quando vendo, seja quando compro. Já recebi mensagens e chamadas claramente pouco interessadas no que estava a vender. Pareceu-me apenas uma desculpa, um pretexto para meter conversa e tentar uma aproximação. 

Quando as vendas se concretizam com entregas em mão, então a coisa pode-se tornar ainda mais extraordinária. Qual não é o meu espanto quando, após concretizar uma venda que muito jeito me deu, começo a receber umas mensagens com convites para cafés e coisas várias. Confesso que o moço até não era anda de se deitar fora, só tinha o defeito de ser casado e não se mostrar nada incomodado com esse facto da sua vida. Enfim, mais um cretino no mundo. 

À primeira vista, este não parece um bom lugar para encontrar pessoas, mas após uma análise mais demorada é possível encontrar alguma lógica para que isto aconteça. É que quando alguém tem coisas que nos interessam, ainda que se queira separar delas, é fácil encontrar pontos em comum e interesses que se cruzam. Além de ser fácil alimentar alguma conversa e ficar a conhecer um pouco melhor a pessoa que está do outro lado. 

Também sentes dificuldades em conhecer pessoas novas? Qual o teu lugar de eleição para esse fim? E já agora, conta-me se tens histórias assim estranhas como a que te contei, pode ser?

quarta-feira, 14 de março de 2018

#Filmes - Get Out: Foge



Sinopse
Chris e Rose são namorados há já algum tempo. Com o evoluir da relação, ela acha que é chegado o momento de o apresentar aos pais, Missy e Dean. É então que resolve convidá-lo para a reunião familiar que todos os anos os pais organizam em sua casa, numa zona rural dos EUA. Apesar da  relutância dele, Rose acha que não há qualquer razão para comunicar aos progenitores, que ela considera cultos e esclarecidos, o facto tão pouco significativo de ele ser negro. Quando lá chega, apesar de toda a simpatia com que é tratado, Chris percebe que algo de muito estranho se passa naquela casa. E quando resolve fugir daquele ambiente bizarro e um pouco claustrofóbico, percebe que ninguém está interessado em deixá-lo partir...

Opinião
Depois de ver Tom Cruise aos comandos de um avião (não, não estou a falar de Top Gun, mas de Barry Seal), eis que regressei a um género que muito me apraz, o Terror. De facto, já não via nada de novo, dentro deste género, há imenso tempo e já tinha saudades. O espanto surgiu quando percebi que este era um filme nomeado para os Óscares. Dá para acreditar?

Claro que sim que, actualmente, temos uma dezena de nomeados e tudo é possível, desde trocas de envelopes até vermos ser sagrado vencedor A forma da água. Nem que o vencedor tivesse sido Get Out ficaria mais estupefacta. Mas falemos do nosso filme de terror, que isso é que interessa hoje e vale bem a pena, posso te adiantar.

O início do filme poderia fazer parte de qualquer comédia romântica, quando o namorado é levado para conhecer os pais da namorada, que é como quem diz os sogros. Uma situação já de si sujeita a muito stress e pressão, mais ainda quando estamos a falar da namorada branca apresentar aos pais o namorado negro.

A história começa a aquecer quando chegam finalmente à grande casa e o nosso protagonista é recebido pelos familiares da namorada. Simpáticos, talvez até demasiado. Os criados negros são ainda mais estranhos, chegando a parecer sinistros. A dada altura, uma festa de gente rica começa a levantar suspeitas e o convidado começa a questionar-se sobre o que realmente ali acontece.

Tudo se vai passando sem que o público seja informado das verdadeiras intenções daquelas pessoas tão bizarras, o que nos dá a perspectiva do Chris, que vai descobrindo ao mesmo tempo que nós os estranhos acontecimentos que o rodeiam. O que significa também que, até ao momento em que os reais propósitos da sua visita são revelados, estamos um tanto ou quanto às escuras.

Parece que todas as acções não têm sentido, embora seja notório um desconforto na trama que nos faz revirar na cadeira, quase com igual vontade de abandonar aquele lugar. Só que é impossível sair de lá sem entender e desvendar todos os mistérios. E, claro, perceber se o nosso herói se vai safar da alhada em que se meteu.

Um filme de terror invulgar, mas ainda assim bem assustador e desconcertante. Muito embora não sinta que seja um filme para Óscar, é um bom filme de terror que cumpre com excelência o seu objectivo. Já viste Get Out: Foge? Qual a tua opinião sobre ele? 


terça-feira, 13 de março de 2018

#Review - Cookie TinyBite



Tenho de começar por dizer que este post está tão atrasado que até me sinto envergonhada por tantos atrasos e adiamentos involuntários. Tudo começou com os primeiros Passatempos em colaboração com a simpática e prestável Teresa da Cookie TinyBite. Uma parceira sempre disponível e que proporcionou alguns dos melhores passatempos destas paragens e que fez feliz algumas leitoras deste estaminé. 

Como se isso já não fosse mais do que suficiente, a querida Teresa achou por bem mimar-me, também a mim, com alguns produtos da sua autoria. Foi devido à sua gentileza que tive oportunidade de escolher um par deles, ilustrados com as suas lindas bonecas, que me aquecem o coração e me dão vontade de encomendar tudo! Curiosos?


Assim e em primeiro lugar, recebi uma garrafa ecológica. Porque, de facto, utilizamos demasiado plástico e com isso só prejudicamos o planeta, pareceu-me importante procurar alternativas que me permitissem preservar o que temos, dado que ainda não me apetece ir viver para Marte. Foi por esse motivo que decidi aderir à moda das garrafas ecológicas e reutilizáveis e substituir as pobres e inestéticas garrafas de plástico que tinha na minha mesa de cabeceira.

Esta garrafa, além de bonita e fofinha, é resistente e pode muito bem ser levada na mala para ter sempre água fresca quando é preciso. Não o faço, pois onde trabalho tenho água engarrafada à disposição e é por isso que decidi usá-la em casa, onde é mais necessária e útil para mim.


A minha segunda escolha foi algo que adoro e ao qual dou imenso uso, uma linda caneca. Sou uma autêntica viciada em Cappucinos e bebidas do género, bem como nos meus amados chás e infusões que tanta companhia me fazem durante o Inverno. Portanto, faz todo o sentido ter muitas chávenas e canecas para poder usufruir das minhas bebidas favoritas com muito estilo. Pelo menos é isso que digo para mim mesma quando compro mais umas quantas canecas cá para casa.


A verdade é que esta caneca é tão linda que ainda não me atrevi a utilizá-la e tenho me limitado a deixá-la exposta a fazer um brilharete e a suscitar perguntas a quem lhe põe os olhos em cima. Agora já sabem, podem encontrá-la na Cookie TinyBite. O mistério está desvendado e agora a única dúvida é saber qual será a boneca que irás escolher para a tua caneca.

Agora conta-me nos comentários, qual o teu produto favorito da Cookie TinyBite? E qual a boneca que mais gostas?

Os produtos foram enviados de forma gratuita devido à parceria estabelecida com a marca, o que não inviabiliza que todas as opiniões expressas sejam verdadeiras e honestas. 

segunda-feira, 12 de março de 2018

Desafio de Cinema (52/52) - Tema Renovador



Pois que chegamos ao final do Desafio de Cinema, que pretendia partilhar 52 Filmes durante 52 semanas, com o intuito de preencher um ano inteiro com publicações. Na verdade, demorou mais do que 52 semanas devido a diversas interrupções que foram acontecendo, algumas planeadas outras nem tanto. Mas o que realmente importa é que temos mais um desafio bem sucedido.

Como último filme é suposto eleger um com um tema renovador. Um filme que nos revele uma ruptura, que marque uma viragem, seja de pensamento, seja de atitude. A pensar nisso, optei por um filme que retrate um momento de viragem na história de um país, na sua orientação política e na mentalidade do seu povo. Sendo que, esta última é a mais difícil de alcançar pelo tempo que é necessário para que as mentalidades sofram verdadeiras alterações.

E porque África também me corre nas veias, decidi escolher o filme Invictus, realizado pelo gigante Clint Eastwood e protagonizado por Morgan Freeman e Matt Damon. Só pelo facto de nos retratar o carismático Nelson Mandela este filme já seria interessante, mas ele vai mais longe. Assistimos à saída de Mandela da prisão e a sua ascensão até à presidência da África do Sul. Aclamado pelos negros, olhado com desconfiança e apreensão pelos brancos.

Só que Mandela não queria ser o Presidente dos negros, queria ser o Presidente de todos. O seu objectivo não era a vingança contra os brancos que o colocaram tantos anos na prisão. O seu propósito era unir um país racista e profundamente dividido por todas as diferenças entre os seus cidadãos. E para isso vai eleger um aliado que move multidões e alimenta grandes paixões, o desporto.

Já conhecias este filme? Deixa o teu comentário com a tua opinião sobre este filme! 


Sinopse
Após o fim do Apartheid, o recém-eleito presidente Nelson Madela lidera uma África do Sul que continua racial e economicamente dividida. Ele acredita que pode unificar a nação através da linguagem universal do desporto. Para isso, Mandela junta forças com François Pienaar, capitão da equipa de râguebi, para promover a união dos sul-africanos em torno da equipa do país na Taça do Mundo de Râguebi de 1995. 


Ainda podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver todos os filmes fantásticos que lá se encontram. 

sexta-feira, 9 de março de 2018

Top 10 Óscares 2018



O fim de semana passado foi marcado por mais uma edição dos Óscares da Academia e, novamente, esqueceram-se de me enviar o meu convite. Que pouca vergonha! É uma falta de consideração, mas quem perde são eles, que a minha presença só iria contribuir para aumentar a animação de um espectáculo que se revelou muito morno. 

Contudo, foi com muita alegria que vimos regressar a cor aos espectáculos de Hollywood, que isto de a malta se manifestar através da cor do vestido é uma coisa muito pequenina. Se bem que, existe sempre algumas senhoras que melhor ficavam se a coisa fosse controlada e só se pudesse usar preto. Pensando melhor, estou a lembrar-me de que vi uns quantos vestidos pretos pavorosos. 

Mas a tradição ainda é o que era e, por isso, cá estou eu para te apresentar o meu Top 10 de vestidos desta gala. Posso falhar todos os outros eventos de Passadeira Vermelha, mas estes têm de permanecer. Até porque ainda não perdi a esperança de um dia ir dar um ar da minha graça por lá. Sonhar não paga imposto, não é mesmo?

Allison Janney

Gal Gabot

Jane Fonda
80 anos, amigas. Vamos pedir a fórmula a esta senhora??

Jennifer Garner

Jennifer Lawrence

Maria Menounos
Este pode perfeitamente vir morar para o meu armário, ok?

Molly Sims

Samara Weaving

Sofia Carson

Zendaya
Apenas e só o meu favorito!

Podes gostar também de ver:

Óscares 2015: O melhor e o pior

Fotos retiradas da Vogue.

Uma noite com... #74



A pedido de várias famílias, melhor dizendo, a pedido de imensas mulheres de bom gosto, está de volta o post semanal para limpar as vistas e preparar o espírito para o fim de semana. Assim, teremos todas as Sextas algumas imagens de homens particularmente bonitos e/ou charmosos.
Para quem só agora chegou ou para quem está com saudades de alguns dos meninos que já por aqui passaram, podem revê-los todos na etiqueta Uma noite com... e ficam já avisadas que estou aberta a sugestões da vossa parte! Que pão/monumento/brasa é que me estou a esquecer? Digam de vossa justiça.
Posto isto, passemos ao gato desta semana, sim?










Diogo Piçarra
 Uma reposição muito actual, dado tudo o que se tem passado nas últimas semanas.

Polémicas à parte, o rapaz continua a ser um gato, certo?