expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quinta-feira, 31 de maio de 2018

#Review - CGD versus Banco CTT



Depois de ponderar contigo sobre qual a melhor opção, comprar ou arrendar casa, decidi partilhar também um pouco da minha história bancária e as minhas opiniões acerca dos bancos com quem trabalho. Isto porque, nos últimos anos, temos visto uma escalada nos custos e taxas com o único propósito de pagar os problemas de pessoas que não sabem gerir o dinheiro que lhes é confiado. 

Quanto mais penso nisso mais injusto me parece. Já não é suficiente assistirmos, de braços cruzados, ao nosso dinheiro ser colocado, pelo Governo, em bancos na bancarrota como ainda, enquanto clientes de instituições bancárias, somos depenados com taxas e anuidades e coisas que tal. A pior parte é que muito boa gente não pode dar-se ao luxo de mudar de Banco e procurar melhores condições para o seu dinheiro ou para o seu ordenado por estarem amarrados por créditos habitação ou parcerias com a entidade de trabalho que os instiga a permanecer com aquele Banco. 

Felizmente ou infelizmente, não tenho esses constrangimentos e fui capaz de analisar todas as propostas que andam pelo mercado no que toca a conta ordenado e escolher a que melhor satisfazia as minhas necessidades sem me custar um ordenado por ano. Coisa que nunca ponderei fazer, pois estava satisfeita com o meu Banco.


Mas vamos começar pelo princípio. Como filha de funcionário público que se preze, tenho conta na Caixa Geral de Depósitos desde que me conheço por gente. Era uma conta jovem que me acompanhava desde a mais tenra infância e passou a conta regular quando cresci e comecei a trabalhar. Foi a evolução natural e, tal como já disse, nunca me senti mal com esta escolha herdada.

Até que, em meados de 2017, começaram a chegar informações sobre custos mensais para a maioria dos clientes e nem ter o ordenado domiciliado servia para obter uma isenção desse custo. Já tinha de pagar uma anuidade apenas por ter um cartão de débito, quando outros bancos não cobravam isso aos seus clientes. Com mais um custo, tomei a decisão de começar a procurar alternativas.

A ideia era encontrar um Banco onde este tipo de cobranças a troca de nada, que não fosse ter o meu dinheiro acomodado na sua instituição, não existisse. A pesquisa trouxe algumas opções, que analisei com calma e ponderação. Isto porque não tenho muita paciência para andar sempre a trocar de Banco e não me apetecia começar com um e logo me arrepender e passar ao próximo. Outro factor importante para mim são a existência de canais digitais, a segurança dos mesmos e a variedade de operações que posso fazer através deles.

Contam-se pelos dedos de uma mão as vezes em que me dirijo a um balcão porque não tenho tempo nem paciência para esperar, quando posso resolver a maioria das coisas de outra forma. No entanto, também me agrada que esses balcões existam e possa encontrar uma pessoa presencialmente e tirar as minhas dúvidas se necessário. Este último factor foi o grande motivo pelo qual não escolhi um Banco sem balcões físicos. E assim cheguei ao vencedor, o Banco CTT.


Aqui não pago anuidade de cartões, não existem custos mensais, nem taxas por transferências bancárias online. Desde que abri conta, só precisei de me dirigir ao balcão uma única vez porque pretendia abrir uma conta poupança paralela à minha conta à ordem. Tudo o resto consigo tratar no Multibanco ou através dos canais online. Devo dizer que, até ao momento, não tenho nenhuma reclamação e sinto-me totalmente satisfeita com a troca que fiz.

Tanto que já recomendei o Banco CTT a familiares, amigos e colegas de trabalho. Tudo para que possam poupar nos custos mensais neste sector, porque não é possível, nos dias de hoje, viver sem conta bancária e manter o pouco dinheiro que nos sobra debaixo do colchão, não é verdade?

Estes foram os Bancos com quem tenho mantido ligações próximas e sobre os quais posso opinar. E tu? Qual consideras o melhor Banco para trabalhar?

terça-feira, 29 de maio de 2018

#Livros - Mais Negro, de E. L. James



Sinopse

Em Darker, E. L. James revisita a história narrada em As Cinquenta Sombras Mais Negras, mas do ponto de vista de Christian Grey. Desde o lançamento de Grey, que os fãs têm pedido pela continuação da série através da voz de Christian. 

"O interior da cabeça de Christian Grey é um local fascinante para se estar. Em Grey, tivemos um primeiro vislumbre da razão dos traumas de Christian, mas em Darker vamos mais fundo, ficamos a conhecer as suas memórias mais dolorosas e os encontros que o tornaram no homem quebrado e exigente por quem Ana se apaixona. Escrever este livro foi uma jornada de descoberta, e espero que os leitores a vejam assim tão apelativa como eu achei.", afirmou E. L. James. 

Opinião

E cá continuamos a navegar pelas turvas águas de Christian Grey e pelas suas cinquenta sombras em todo o seu esplendor. Depois de terminar o primeiro volume, Grey, em tempo recorde, ainda mais depressa me agarrei à continuação da saga. Só me irrita que ainda não esteja disponível o último, o que encerrará esta aventura e que me irá permitir fechar um ciclo.

Mas não é do futuro que iremos falar hoje, mas do que está a acontecer com Christian depois de ter sido abandonado pela Anastasia. E o momento em que a procura e tenta uma reconciliação sob novos termos é apenas o início da aventura. Porque se para Anastasia foi um choque conhecer o mundo peculiar de Christian, onde existem submissas e dominadores e todo o tipo de artefacto sexual, para Christian a perspectiva de uma relação dita normal é algo assustador.

Muitas vezes vamos ler a palavra adolescente para qualificar a idade emocional de Christian, e essa é a grande verdade. Estamos perante um homem atraente, rico e aparentemente seguro mas que, no fundo, não passa de um adolescente que se apaixona pela primeira vez e não sabe o que fazer com os seus sentimentos nem como reagir aos estímulos novos e inesperados. Todo um mundo novo se abre perante os seus olhos e ele não sabe o que fazer quando é desafiado ou contrariado.

Por outro lado, temos a perspectiva da revolução na aparência da discreta Miss Steele pelos olhos do homem que se apaixonou por ela, bem como a sua confiança e auto estima crescem a olhos vistos com a protecção e o amor deste estranho e obscuro homem. Ambos crescem e evoluem com a ajuda mútua e em sentidos opostos. Um ajudando o outro a superar as suas fraquezas, a melhorar o que precisa de melhorar.

É muito interessante conhecer melhor o seu passado porque, com estas novas versões, somos brindados com verdadeiros flashbacks do passado triste e do passado alegre de Christian. O verdadeiro motivo, sem versões mais ligeiras para não chocar e não se expor, dos seus traumas e dos seus medos é nos apresentado com muito mais clareza e mais palavras. Mesmo o seu pânico por ser tocado é exposto e a superação chega, pouco a pouco, quase sem que o próprio dê por isso.

No fundo, estamos perante um menino perdido que acredita não ser merecedor do amor da família, dos amigos e, agora, da namorada. Alguém que tem medo de amar e demonstrar o seu amor. Portanto, é uma constante surpresa para este homem admitir que as palavras e as atitudes de Ana são verdadeiras. Bem como, perceber que toda a sua família o ama e se preocupa genuinamente com ele.

De facto, o nome, Mais Negro, encaixa que nem uma luva neste livro porque, de facto, a história aprofunda os mais negros aspectos da vida e da mente de Grey. Mas também mostra como tudo pode ser superado quando somos amados. É que, apesar de todo o sexo - novamente em demasiada quantidade e sem necessidade na maioria dos casos - escaldante e fantasioso, esta é mesmo uma história sobre amor nas suas variadas formas.

Agora só me resta esperar pelo último livro da trilogia com paciência. Entretanto, conta-me qual a versão que mais gostas? De Anastasia Steele ou Christian Grey? 

"Antes de Ana, eu era calmo e estável mas, caramba, tinha uma vida muito monótona. Isso mudou no instante em que ela caiu no meu escritório. Estar com ela é como estar dentro de uma tempestade, com os sentimentos a colidirem-se e chocarem, a irem e virem como ondas do mar."

Podes comprar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto imediato e portes grátis, ou comprar a versão em inglês, na Book Depository, com 13% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo.

E não te esqueças de ler as opiniões sobre os restantes livros de E. L. James


As Cinquenta Sombras de Grey
As Cinquenta Sombras Mais Negras
As Cinquenta Sombras Livre
Grey

segunda-feira, 28 de maio de 2018

A Banda Sonora da Semana #10



Quero começar por dizer que já chega de falar da crise no Sporting e ainda é um pouco cedo para começar a aquecer os ânimos para o Mundial que está aí à porta. Portanto, vamos começar com as efemérides que nos darão o mote para começar a divagar em novos temas. 

Efemérides de 28 de Maio


Dia Mundial do Bombeiro
1913 - Nasceu Ciro Monteiro, cantor e compositor brasileiro.
1889 - Morreu Francisco Otaviano, advogado, jornalista, diplomata, político e poeta brasileiro. 

Assim, como ponto de partida o Dia Mundial do Bombeiro parece-me uma excelente escolha. Porque estamos quase no Verão, o que não altera o facto de termos tido uns dias de muito e bem-vindo calor. Porque arriscam as vidas para ajudar e salvar todos nós. Porque ainda estamos a tentar compreender o que aconteceu no ano passado. E porque estamos todos a tentar colocar fora da nossa mente a possibilidade que algo do género se possa repetir.

Mas a verdade é que pode mesmo acontecer, infelizmente. As nossas autoridades e o nosso Governo não conseguem convencer-me de que estamos mais bem preparados do que no ano passado. Que algo foi feito para evitar tragédias futuras, a curto e longo prazo. Preocupa-me que os problemas não tenham sido corrigidos em tempo útil. Preocupa-me que a prevenção não tenha sido levada a sério por todos os envolvidos. Preocupa-me que o pesadelo possa voltar a repetir-se.

É por isso que precisamos estar atentos e prestar todo o auxílio possível aos bombeiros, quando chegar o momento. Talvez assim seja possível comprar tempo para tratar dos problemas de fundo da nossa floresta. Resta saber se teremos governantes capazes de ir contra os interesses instalados, contra os poderosos que pretendem continuar a lucrar com o caos que se instalou ao longo dos anos. Será utopia acreditar? 


Falando de assuntos mais alegres, esta semana também se celebra o Dia da Criança e o melhor do mundo são as crianças, não é mesmo? A sua inocência e a sua fome de descobrir o mundo são o que mais me fascina nelas. Algo que, a maioria das pessoas, vai perdendo com o passar dos anos. Porque manter o espírito jovem com o avançar da idade e após os altos e baixos da vida, é coisa apenas para alguns.

Este dia só está marcado no calendário porque continuam a existir crianças no mundo que não estão protegidas e sofrem atentados aos seus direitos todos os dias. É vergonhoso que assim seja e só revela como estamos longe da sociedade com a qual sonhamos. Faz-nos sentir a impotência de quem pouco pode fazer por elas. É um caminho longo o que ainda falta percorrer até que todas as crianças possam desfrutar plenamente da sua condição e dos seus direitos.

Pela minha parte, guardo doces memórias da minha infância. Foram tempos descomplicados, sem responsabilidades de maior, sem sombra de problemas a diminuir a felicidade do dia-a-dia e das brincadeiras e das fantasias. Como filha única, passei muito tempo a brincar sozinha e só quem cresceu nesta condição entende o que isso faz pela nossa imaginação.


Sinto-me privilegiada pela infância que tive, por ter-me sido dado tempo para ser criança. Por ter-me sido oferecida a oportunidade de estudar e as ferramentas necessárias para aprender o que quisesse. Por ter crescido num lar onde o tecto e as paredes me abrigavam do exterior e, no interior, estava impregnado de amor e afeição. Em suma, tudo o que uma criança precisa: alguém que a proteja e que lhe dê o seu amor incondicional. 


Para a música da semana, escolhi a cantada por Ana Bacalhau para a série da RTP, 1986. Embora também pudesse ter escolhido esta. Ou esta. No fundo, poderia ter escolhido qualquer uma das músicas que fazem parte da banda sonora desta série, pois todas são fantásticas. E irão fazer-me companhia ao longo da semana, enquanto recordo os loucos anos 80 e a extensão da loucura até aos anos 90.

O que me dizes dos assuntos desta semana? Deixa o teu comentário sobre o que achaste d'A Banda Sonora desta semana e deixa também a tua sugestão para as próximas. Posso contar contigo? 

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Best of Cannes 2018 & Casamento Real & XXIII Gala Globos de Ouro



O mês de Maio tem sido uma correria de acontecimentos, festas glamourosas e figurinos de encher o olho. Têm sido tantos e tão consecutivos que a pessoa nem teve muito tempo para acompanhar tudo. É por isso mesmo que decidi compilar os looks que mais me apaixonaram no Festival de Cannes, no Casamento Real entre Harry e Megan e na XXIII Gala Globos de Ouro. 

Afinal, ando demasiado desligada destes eventos. Desde os Óscares, em Março, que nunca mais abordei ou critiquei os looks das famosas na passadeira vermelha e não quero que isso continue assim. A verdade é que, ultimamente, isto tem andado muito morno e parece já não existir ninguém capaz de fazer rodar cabeças numa cerimónia destas, as surpresas cada vez são menos e menores, e tudo isto desmotiva uma pessoa, não é mesmo? 

Pois que está na hora de fazer um esforço e procurar deslumbramento com mais atenção. Vamos a isto? Por onde começamos? 

Festival Cannes 2018


Cate Blanchett

Alessandra Ambrosio

Rita Pereira

Casamento Real


Gina Torres

Megan Markle

XXIII Gala Globos de Ouro


Mariana Pacheco

Raquel Strada

Estes foram os vestidos que captaram a minha atenção e me fizeram sonhar um pouco, fantasiar com o glamour que vemos ao longe, mas com o qual crescemos e que nos emociona. Agrada-me ver a nossa Rita Pereira a brilhar em Cannes, constatar que a Raquel Strada nunca desaponta e que um vestido preto e simples pode muito bem ser uma excelente escolha.

Sem esquecer o infant terrible, príncipe Harry que se tornou num homem e até casou, modernizando a casa real inglesa e aproximando-a das pessoas com a sua escolha feita por amor. Alguém estava à espera de menos, vindo deste rapaz?

Agora conta-me, entre os vestidos que partilhei, qual o teu favorito?

Fotos retiradas da Vogue.

quinta-feira, 24 de maio de 2018

#youzz - Ganha Vales de Desconto Catisfactions



Nada como animar o meio da semana com um pequeno passatempo, não é mesmo? Pareceu-me que merecias algo especial e nada como um meio de ficares a conhecer melhor um novo produto, melhor ainda quando estamos a falar dos nossos queridos e amados animais de estimação. Neste caso em particular, vamos conversar sobre gatos. 

Isto porque recebi um saco cheio de amostras e um número generoso de vales de desconto Catisfactions, o que tem feito as delícias dos meus gatos selvagens e é meu desejo que possa fazer os teus gatos felizes também. Assim sendo, teremos como prémio 1 vale de desconto e 1 amostra para um total de 10 vencedores. Parece-te bem?



Para te habilitares a este fantástico prémio só precisas de:





Algumas regras: 

  • Só é permitida uma participação por pessoa. 
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será anunciado aqui e será contacto por e-mail, ao qual terá de responder nas próximas 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 3 de Junho.
Apesar de não ser obrigatório partilhar o passatempo, são bem-vindas todas as formas de divulgação para que chegue ao maior número de pessoas :)

Boa sorte!!! 

terça-feira, 22 de maio de 2018

#Livros - Grey, de E. L. James



Sinopse

Veja o mundo de As Cinquenta Sombras de Grey, como se fosse pela primeira vez, através dos olhos de Christian Grey.

E. L. James oferece-nos uma nova perspectiva da história de amor que enfeitiçou milhares de leitores em todo o mundo, agora narrada pelo próprio Christian, que nos dá a conhecer os seus pensamentos e sonhos.

Christian Grey quer exercer um controlo férreo sobre todas as coisas, o seu universo é meticuloso, disciplinado e profundamente vazio - até ao dia em que Anastasia Steele dá um trambolhão no seu escritório, numa confusão de pernas bem torneadas e revoltos cabelos castanhos. Ele bem tenta esquecer que a conheceu, mas em vez disso é invadido por um turbilhão de emoções que não consegue compreender... e ao qual é incapaz de resistir. Ao contrário de todas as mulheres que conheceu antes, a tímida Ana parece conseguir vê-lo como ele realmente é - um coração frio e ferido que a faceta de génio dos negócios e o estilo de playboy não conseguem esconder.

Será que possuir Ana será suficiente para que Christian se livre dos horrores de infância que ainda hoje o perseguem, noite após noite? Ou será que os seus negros desejos sexuais, a sua obsessão pelo controlo, e o ódio contra si mesmo que lhe preenchem a alma vão afastar Ana e destruir para sempre a frágil esperança que ela lhe oferece?

Opinião

Depois de um pequeno interregno na história sombria de E. L. James, cá voltamos para conversar sobre os fascinantes Christian Grey e Anastasia Steele. Apesar de já conhecermos a história completa, desta vez, a mesma será contada através das palavras e dos sonhos de Christian. Enfim, todo um novo mundo de descobertas para serem feitas e assuntos para serem aprofundados.

É como entrar num filme, sabendo como termina, mas tendo acesso a pormenores e novos factos que compõem a percepção que tínhamos antes da leitura. Até porque para todas as histórias existem sempre duas versões. E depois de termos total acesso aos pensamentos engraçados e confusos de Miss Steele, está na hora de mergulhar nas memórias sombrias e nos pensamentos perversos de Mister Grey.

Já o disse anteriormente, mas tenho de me repetir, pois Christian Grey é um personagem muito mais interessante e completo do que a sua namorada. As suas sombras apenas foram reveladas à superfície, nos livros anteriores. Após a leitura deste novo livro, percebi o tanto que ficou por explorar, por divulgar. E o quanto tudo isso é interessante e de valor para quem apreciou a história e não apenas as cenas de sexo escaldante.

Essa torna-se, de facto, a parte menos interessante do livro porque as cenas são iguais às descritas anteriormente e não existe muito a acrescentar aos relatos feitos por Ana. É mais do mesmo, numa perspectiva masculina, mas que não traz nada de novo e relevante para o enredo. Agora percebo o que algumas pessoas disseram acerca da dificuldade que sentiram em levar o livro até ao fim. Afinal, as cenas que inicialmente eram novas e diferentes, com uma segunda leitura só se transformam em entediantes e aborrecidas. Portanto, um ponto que a autora poderia ter melhorado, poupando a nossa paciência e muito papel.

No entanto, entrar na estranha mente de Christian e ter um vislumbre dos seus fantasmas e do que o atormenta é fascinante. Enquanto que Anastasia ficava perdida, sem saber o que o fazia oscilar entre a boa disposição e o mau humor, agora temos acesso aos pensamentos por trás do semblante com o qual pretendia mascarar os seus sentimentos. E como são profundos e complexos os sentimentos deste homem, minha gente!

Só aqui tomamos consciência do quanto este homem estava apaixonado, muito antes de sequer parecer estar. Sem sequer se ter dado conta, pois esse era um sentimento desconhecido para ele até então. Os seus pensamentos traem as suas palavras e até os seus actos. Ele até pode acreditar que procura uma submissa e que é assim que se sente feliz e satisfeito, afinal nunca conheceu outra realidade diferente dessa. Mas a verdade é que a dor de Ana e as marcas que lhe deixa no corpo começam a suscitar confusão e incompreensão. As suas reacções são cada vez mais distantes do que costumavam ser e isso, por si só, seria um indício a ter em conta para qualquer homem mais experiente nas coisas do amor.

Não é o caso de Mr. Grey. Mesmo a sua relação com a família adoptiva é dúbia. Embora todos se mostrem verdadeiramente interessados no bem estar de Christian e determinados a fazer parte da sua vida, a sua auto-estima é de tal forma baixa que está constantemente a ler erradamente os sinais que todos eles lhe dão. A sua beleza, a postura confiante e até intimidadora apenas servem como máscara para a sua insegurança e para esconder o quanto se despreza a si próprio.

É uma viagem bem mais sombria e misteriosa a que fazemos neste livro. Os momentos de humor já não marcam presença como anteriormente, porque a própria personagem não tem muito dessa qualidade em si. No entanto, pergunto-me como seria para alguém ler o relato ao contrário. Se, em primeiro lugar, lessem a versão pelos olhos de Christian e só depois fossem ler a verão contada pela romântica Anastasia. Alguém está, por acaso, a fazer isto neste momento? Teria muito interesse em ouvir a tua opinião!

Posto isto, quero apenas dizer que, se gostaste dos livros anteriores, tu não deves, tu precisas de ler este livro e perceber o tanto que ainda tens para descobrir! No entanto, se te encontras entre os que desistiram do livro e nem percebeste como isto termina, aconselhava-te a dares uma oportunidade a este porque pode ser que tenhas uma agradável surpresa. Da minha parte, só me resta agarrar já a sequela que se encontra na minha mesa de cabeceira.

"A sua infelicidade desesperada encontra eco numa versão mais jovem e desconsolada de mim mesmo. Tento abafar as memórias, mas a zanga e a desolação dos meus anos de adolescência vêm à tona e não desaparecem. Isso traz-me à memória a minha dor e a forma como descarregava em toda a gente quando era jovem. Tive muitos pensamentos suicidas, mas resisti sempre, por causa de Grace. Sabia que ela ficaria devastada." 

Podes comprar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis, ou encomendar a versão em inglês na Book Depository, com 18% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo.

E não te esqueças de ler a opinião sobre os livros anteriores de E. L. James: 

As Cinquenta Sombras de Grey
As Cinquenta Sombras Mais Negras
As Cinquenta Sombras Livre

segunda-feira, 21 de maio de 2018

A Banda Sonora da Semana #9



Nem dá para acreditar que, depois do desaire da Eurovisão, o cenário poderia ficar ainda pior na semana que se seguiu. A pessoa passa toda uma semana a tentar sorver inspiração com o grande Frank Sinatra, como sugeri aqui, para ser interrompida pelas notícias cada vez mais preocupantes. Mas antes disso vamos começar pelo princípio, as efemérides.

Efemérides de 21 de Maio


1904 - É fundada a Fédération Internationale de Football Association, mais conhecida como FIFA, em Paris.
1974 - Nasceu Maria Fernanda Cândido, actriz brasileira.
1542 - Morreu Hernando de Soto, explorador espanhol.

E pensar que raras são as vezes que falo aqui no clube do meu coração e, agora, parece que é uma atrás da outra. Ainda me encontrava a digerir as alarvidades de Bruno de Carvalho, sucedidas no mês de Abril, e sobre as quais desabafei aqui, quando rebenta mais uma bomba em Alvalade. Não dá para acreditar o abismo para o qual um homem está a arrastar um clube desportivo, sem apelo nem agravo. Sem ter a dignidade de admitir que cometeu erros ou apenas admitir que não está a ser uma boa influência para o seu clube, ou o que diz ser o seu clube. 

O homem simplesmente não consegue largar o poder que pensa ter e tomar a decisão inevitável, aquela que poderá, talvez, garantir um futuro digno para o Sporting. Depois dos acontecimentos em Alcochete e das suas declarações desapropriadas, outra coisa não seria de esperar. Mas parece que ele vai dar luta para largar a cadeira. E com isto arrasta tudo e todos para o buraco onde acabará por se enfiar. 

O que se tem sucedido envergonha não apenas os sportinguistas, mas todas as pessoas que apreciam a prática desportiva, a competição entre clubes, em campo, nas quatro linhas e não a que acontece em programas que se dizem sobre desporto ou nas redes sociais. Existir tensão entre equipas rivais é natural e nunca servirá de desculpa para actos violentos, mas faz-nos entender os ânimos exaltados e algumas atitudes menos correctas. 

Agora agredir a própria equipa, o seu treinador e ainda destruir as instalações do próprio clube é algo que vai para lá da minha capacidade de entendimento. Por muito fanatismo que possa existir na mente de uma pessoa, este comportamento é incompreensível e não me admira que se fale em terrorismo. Afinal, se não for terrorismo, não está muito longe disso. 

Só me espanta que ainda existam sportinguistas a defender um homem que apenas nos divide e coloca em guerra uns contra os outros. Como é possível que isto aconteça? Alguém me consegue explicar?? 


A mim preocupa-me o futuro do meu clube. Pergunto-me como estarão os jogadores psicologicamente, certamente a desejar ir jogar para qualquer lugar que não ali. Pergunto-me, também, quem serão os jogadores que terão vontade de abraçar o Sporting como o seu clube, depois do que viram acontecer aos seus colegas. As dúvidas são imensas e as respostas tardam em chegar.

Quero acreditar que, no final, o que voltará a contar no coração de todos os sportinguistas é o lema que nos inspira: esforço, dedicação, devoção e glória. É isso que se espera de nós e só assim poderão regressar as vitórias, as alegrias, o entusiasmo e a esperança. Agora, peço desculpa aos adeptos dos outros clubes, mas a música da semana terá de ser um hino ao meu clube do coração, uma forma de recordar aos descrentes que melhores dias virão! 


O que me tens a dizer sobre esta crise no Sporting? Achas que Bruno de Carvalho se deve demitir ou tem condições para continuar como presidente? 

sexta-feira, 18 de maio de 2018

Uma noite com... #141










João Sousa
Tenista português e vencedor do último Estoril Open.

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

#Review - Somersby Melancia



Ora que o Verão está quase aí e parece-me uma boa altura para começar a eleger a bebida da estação, aquela que irá refrescar-te nos dias de calor que começam a dar um ar de sua graça. Já sabemos todos que os cafés são presença assídua durante todo o ano, faça chuva ou faça sol, e que os aconchegantes chás são a melhor companhia para as noites de Inverno. Agora, o que vamos beber no Verão? 

Para muitos, a cerveja está no pódio das bebidas refrescantes e marca presença em todas as esplanadas do país. Eu, dispenso e quero distância que não gosto de bebidas à base de cevada. Nem mesmo as artesanais me conquistaram, pelo menos até ao momento. A bebida que me faz companhia nas tardes e nas noites de Verão é a Sidra. E embora tenha experimentado outras que cumpriam o seu propósito, nenhuma se compara à sidra da Somersby. 

Inclusivamente, este é um produto que se encontra sempre na minha lista de compras à espera da promoção certa para trazer para casa. Foi dessa forma que descobri que existia um novo sabor na oferta da Somersby. Para falar a verdade, já tinha visto uma referência na NiT a esse respeito e quando a vi não resisti a descobrir se seria tão boa como parecia. 


De todos os sabores lançados em Portugal, apenas me falta experimentar a sidra de limão, o que conto fazer em breve, quando encontrar um estabelecimento que a venda. A primeira que provei foi a de amora e fiquei apaixonada. Paixão é o que melhor define a minha relação com este sabor, ao passo que, com a sidra tradicional, de maçã, foi amor. Uma amor ao qual me mantenho fiel e que se revela a escolha acertada na maioria das ocasiões.

Foi quando provei a tradicional sidra da Somersby que percebi porque andava nas bocas do mundo e era a primeira escolha da maioria. Passou a ser também a minha e, até à data, nenhuma outra lhe tirou o primeiro lugar no pódio, nem mesmo esta nova Somersby de melancia. Não me interpretes mal, o novo sabor é muito bom. Diferente, refrescante. Uma excelente opção para as tarde de Verão, na esplanada com os amigos.

Só lhe acontece o mesmo que com a Somersby de amora, ou seja, é uma opção para beber ao final da tarde, mas é demasiado doce para ser a eleita para uma noite de copos. Para desfrutar de uma quente noite de Verão, a melhor é o sabor original, que faço questão de ter sempre em casa. Agora, vou aproveitar a minha Somersby de melancia. Quer dizer, não agora exactamente, mas mais logo, quando sair do trabalho e estiver a aproveitar a minha pré-folga e o tempo livre que ainda tenho pela frente.

Não te esqueças de deixar nos comentários a tua opinião sobre as sidras da Somersby. Qual o teu sabor favorito? 

quarta-feira, 16 de maio de 2018

#Livros - A Herança Bolena, de Philippa Gregory



Sinopse
Uma maravilhosa evocação da corte de Henrique VIII e da mulher que destruiu duas das suas rainhas. Estamos no ano de 1539 e a corte de Henrique VIII teme cada vez mais as mudanças de humor do rei envelhecido e doente. Com apenas um bebé de berço como herdeiro, Henrique tem de encontrar outra esposa e o perigoso prémio da coroa da Inglaterra é ganho por Ana de Clèves. Ela tem as suas razões para aceitar casar-se com um homem com idade para ser seu pai, num país onde tanto a língua como os costumes lhe são estranhos. Apesar de deslumbrada por tudo o que a rodeia, sente que uma armadilha está a ser montada à sua volta. 

Catarina tem a certeza de que conseguirá seguir os passos da sua prima Ana Bolena até ao trono mas a sua cunhada Jane Bolena, assombrada pelo passado, sabe que o caminho de Ana levou ao Relvado da Torre e a uma morte como adúltera. 

Opinião
Existem muitos livros históricos e novos autores que tornam em romances factos históricos do conhecimento geral, numa tendência que tem ganho novo fôlego em Portugal. Mas, até ao momento, não conheço ninguém que o faça com a mestria de Philippa Gregory. É como se lá estivesse, a cada página lida a sensação só se intensifica. Algo que já sabia após ter lido Duas Irmãs, Um Rei e que só se confirmou com a leitura do livro que vem contar o que aconteceu na corte de Henrique VIII após a morte de Ana Bolena. 

Na verdade, a história dá um pequeno salto, pois inicia-se após a morte prematura da terceira esposa, a que substituiu Ana Bolena e que deu à luz o primeiro e único herdeiro homem do trono. Assim, ficamos a conhecer a esposa que se segue, Ana de Clèves e, ainda, a que a irá substituir, Catarina Howard. Mas o rei que nos é apresentado está longe dos tempos áureos, em que fazia suspirar todas as mulheres da corte. Está velho, doente e com graves problemas na assimilação dessa nova realidade. 

O relato dos anos que se seguem é nos apresentado por três mulheres, totalmente diferentes entre si e com as motivações, aparentes e secretas, mais contrastantes que é possível encontrar. A mais fascinante é a rainha que não aqueceu o lugar, Ana de Clèves, mas a mais sombria e que mais nos dá a conhecer do que realmente se passa na corte é Jane Bolena. Uma personagem muito importante no livro anterior pois contribuiu com o seu testemunho para a sentença de morte do marido e da cunhada. 

Esses são os fantasmas que a assombram, pela culpa que não sente, e pelas saudades do que não foi capaz de ter, o amor e a atenção de ambos. Enquanto conspira para colocar no trono mais um membro da família, tudo a faz lembrar do passado e nas estranhas semelhanças com o que se passa no presente. No entanto, a sua ambição desmedida não a faz parar e o seu destino final será aquele que sempre mereceu. 

A rainha que chega da fria e distante Alemanha, é inteligente e perspicaz, mas incapaz de seduzir o rei de formas pouco ortodoxas e que seriam a única forma de manter o seu lugar como esposa de Henrique e rainha de Inglaterra. A saúde do rei está cada vez mais degradada e as dificuldades em manter uma erecção só atrapalham o projecto de ter um novo herdeiro ao trono, mantendo a linhagem dos Tudor. 

Claro que Henrique, eterno príncipe mimado, não é capaz de admitir os danos que a idade lhe fizeram e precisa encontrar um bode expiatório para os seus males, bem como, encontrar uma forma de lhe ser dado o que lhe apetece. O problema é que a sua inconstância transtorna todos os que o rodeiam. De manhã deseja uma coisa e no final do dia o seu contrário. Nunca foi tão difícil ficar nas boas graças de sua majestade, nem tão perigoso tê-lo como inimigo. 

Devo dizer que é incrível a forma como a leitura de uma história sobre a qual até sabemos o desfecho, nos deixa entusiasmados e com vontade de ler mais e mais até chegar ao final e descobrir o que a autora nos reservou. Claro que esta época em muito contribui para o sucesso, por ser rica em intrigas, mistérios e todos os ingredientes que constituem um bom enredo. 

Agora que terminei este livro, mal posso esperar para pôr as mãos no próximo livro e nos outros todos que fazem parte da obra desta autora brilhante. Agora, conta-me tudo nos comentário. Conheces os livros de Philippa Gregory? Qual o teu favorito? 

"Ele nunca vos teria amado. O vosso pai comprou-o para vós, e pagou uma fortuna, mas ninguém, nem nenhuma fortuna, vos poderiam fazer amada. Jorge sentia desprezo por vós, e Ana e Maria riam-se de vós. Foi por isso que os haveis acusado, nada nessa fantasiosa mentira de auto sacrifício tem um fio de verdade. Vós havei-los acusado porque, se não podíeis ter Jorge, perferíeis vê-lo morto do que a amar a irmã."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com portes grátis, ou a versão em inglês na Book Depository, com 18% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. 

terça-feira, 15 de maio de 2018

A minha experiência com Showroomprive



Hoje, trago-te um assunto sobre o qual já queria falar há imenso tempo. São muitas as pessoas, amigos e familiares, que me fazem perguntas sobre a Showroomprive. As dúvidas são imensas, mas a principal está relacionada com a fiabilidade do site de vendas. Se as encomendas são, efectivamente, enviadas, se são recebidas na data prevista e se os artigos correspondem ao que se pode ver nas fotos. 

Tudo questões pertinentes quando efectuamos uma encomenda pela primeira vez num site, por muito bom aspecto que ele tenha, por muita confiança que ele nos inspire, existe sempre um pequeno medo subjacente. O medo de ser enganado e perder dinheiro. É por saber disso tudo que decidi escrever sobre a minha experiência pessoal nesta plataforma. E estou a fazê-lo de forma independente, sem ter usufruído de qualquer contrapartida da marca para o fazer, sem que este post me tenha sido pedido ou encomendado por ninguém com relação com o site. 

E digo isto, não para diminuir a credibilidade de quem escreve nessas condições, mas para deixar claras as minhas razões para o fazer. Nunca teria pretensões de criticar essas acções, porque também as faço e isso não faz com que as minhas opiniões sejam menos verdadeiras. Pelo contrário, muitas vezes é através desse tipo de conteúdo que fico a conhecer marcas, produtos e serviços que muito me agradam. Posto isto, vamos falar sobre a minha experiência com a Showroomprive. 


Esta foi a minha primeira encomenda no site, após muitas hesitações e depois de pensar muito se deveria arriscar. Será que iria receber o produto nas condições apresentadas? Será que o produto iria corresponder à foto no site? Irei receber tudo sem danos ou defeitos? Irão existir atrasos na entrega? Tudo razões para deixar qualquer um a pesar os prós e contras e impossibilitando a compra do que queremos a um preço fantástico. 

Mas a verdade é que sempre ouvi falar muito bem do site e, portanto, decidi arriscar. O processo decorreu de forma simples, clara e sem que qualquer dúvida me tenha surgido ao longo do tempo que demorou a efectuar a encomenda, fazer o pagamento e aguardar pela entrega. Aliás, é preciso dizer que o site é muito intuitivo, fácil de avançar com qualquer encomenda, sem necessidade de colocar vezes sem conta os nossos dados, pois os mesmos ficam guardados na nossa conta após o registo. 

As formas de pagamento também são várias e garantem uma transacção segura e sem riscos para a nossa conta bancária. Podes fazer o pagamento com cartões Visa, Mastercard e American Express, através da tua conta PayPal ou pelo tradicional e seguro Multibanco. Esta última forma de pagamento, além de ser acessível a praticamente todos os mortais, tem a vantagem de assegurar tempo para pensar na compra e se, de facto, pretendes prosseguir com ela. Ao escolheres este método, é gerada uma referência Multibanco que ficará activa durante 24 horas, o que significa que os produtos da tua encomenda ficam reservados durante esse período e podes ponderar se queres avançar ou desistir sem qualquer problema ou penalização. 


Os prazos de entrega são do mais fiável que já tive oportunidade de ver. Das três encomendas que fiz no site, aconteceu receber um dia antes da data prevista, nunca após essa data. Pessoalmente, utilizo sempre a minha morada porque tenho sempre gente em casa que pode receber as encomendas. No entanto, para quem não tem essa disponibilidade, é possível agendar as entregas para a morada do emprego ou de algum familiar que esteja em casa para receber a tua encomenda. 

As encomendas que recebi até ao momento, chegaram em perfeitas condições. Bem embaladas, sem qualquer possibilidade de sofrer danos durante o envio, nem com sinais de manuseamento durante o transporte. Por fim, a pergunta que mais me fazem está relacionada com a fiabilidade das fotos apresentadas na plataforma. O que recebemos em casa corresponde aos produtos que vemos nas fotos? 

Pela parte que me toca, ainda não sofri nenhuma desilusão. O trem de cozinha era igual ao da foto, bem como ambas as capas de edredão. Sendo que, no caso da última, era ainda mais bonita ao vivo. A grande dificuldade prende-se com as medidas e com os tamanhos. Talvez por isso ainda não tenha arriscado na compra de roupas, porque tenho sempre algum medo de errar. Vai-se a ver e foi só a preguiça ou o facto de ainda não ter encontrado nada que me arrebate o coração, como aconteceu antes. Isto porque a Showroomprive tem uma política de devolução baseada na satisfação o que torna tudo mais fácil de se resolver no caso de erros ou maus juízos. 


Se os portes de envio te preocupam, devo dizer que os valores costumam ser bastante acessíveis e ainda existem campanhas regulares onde os portes são oferta durante o dia. Enfim, só boas razões para ser cliente Showroomprive. Nas minhas rotinas diárias encontra-se a Newsletter que recebo todas as manhãs e que merece sempre, sem excepção, a minha atenção. Nunca se sabe quando se vai encontrar o que se procura à distância de um clique e com a maior das seguranças. 

Eu estou muito satisfeita com a minha experiência com a Showroomprive. E tu, já utilizaste esta plataforma? Qual a tua opinião? Se ainda não te registaste, faz aqui a tua inscrição e descobre todo um mundo novo que tens à disposição e com provas dadas de que merece confiança. Se ainda assim ficaste com dúvidas, deixa o teu comentário e ajuda-me a perceber o que ainda ficou por responder! 

segunda-feira, 14 de maio de 2018

A Banda Sonora da Semana #8



A Eurovisão, realizada na nossa Lisboa, foi um sucesso, embora o resultado da canção portuguesa seja para esquecer. Passamos de vencedores a vencidos. De primeiro lugar, em 2017, para último em 2018. A Eurovisão, após eleger uma música com uma beleza capaz de emocionar o mundo, elege mais um espectáculo de som e luzes, sem qualquer conteúdo, sem mensagem. 

Contudo, mesmo tendo em conta o resultado da votação global, volto a defender o que escrevi na semana passada, ou seja, que levámos uma música que, não sendo tão brilhante e intemporal como a dos irmãos Sobral, não nos envergonha e que irá permanecer nas memórias dos portugueses. Posto isto, vamos lá mudar de assunto que este já deu o que tinha a dar e temos de descobrir o que irá sair como sugestão para Banda Sonora da semana. 

Efemérides de 14 de Maio

Dia da Bandeira do Paraguai
1265 - Nasceu Dante Alighieri, escritor italiano.
1969 - Nasceu Cate Blanchett, actriz australiana.
1998 - Morreu Frank Sinatra, cantor e actor norte americano. 

Já que este desafio semanal nos propõe encontram uma música para nos fazer companhia, nos entreter, nos inspirar, como poderia ignorar que se comemoram, hoje, 20 anos da morte do grande Frank Sinatra? A Voz já não se encontra entre nós, mas a sua obra é inesquecível e uma inspiração para qualquer pessoa que goste de música, de boa música. 

Muito apropriado depois de termos assistido, no final da semana anterior, a um Festival da Música Europeia. Parece-me conveniente que, tu e eu, façamos uso da memória. Porque o que fica na memória são as músicas de verdade, aquelas que se tornam intemporais e vão para além das modas e dos hits que passam na rádio sem descanso. Como Frank Sinatra, por exemplo. 


A minha escolha aqui tinha de ser a minha música favorita de Frank Sinatra, aquela que gostaria de sentir como minha daqui por uns bons anos. No entanto, são tantas as suas grandes músicas que me apaixonam que poderia perfeitamente ter sido esta a eleita. Ou esta. Mas se te apetece uma inspiração para te ocupar toda a semana, podes sempre abraçar o best of de Frank Sinatra e descobrir verdadeiras pérolas musicais. 

Conta-me nos comentários, qual a tua música favorita de Frank Sinatra? 

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Uma noite com... #140











Gabriel Macht
Também conhecido como Harvey Specter, na série Suits.

(Por falar nisso, ainda falta muito para a nova temporada sair???)

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quarta-feira, 9 de maio de 2018

#Review - Verniz Essence Winter Glow (02) I see ice



As férias acabaram, é certo, mas foram utilizadas devidamente para voltar a dar cor às minhas lindas unhas e para experimentar mais um verniz novo que vivia em minha casa, triste, só e abandonado e ainda sem ter sido utilizado. Assim, depois de dar uma voltinha pelo Nude da Oriflame, elegi um belo cinzento mate da Essence para dar cor às minhas férias espectaculares.

Tenho uma grande crush por vernizes mate e só estava à espera de algum tempo livre para experimentar este da Essence. Isto porque, das minhas experiências anteriores com este tipo de verniz, a sua durabilidade era algo verdadeiramente irritante. Recordo-me, inclusivamente, de me deitar com as unhas pintadas e de acordar sem vestígios de cor em várias unhas. Dá para acreditar?


No entanto, as minhas impressões quanto à Essence são tão positivas, sobretudo se olharmos ao custo dos seus produtos, que não resisti a dar uma oportunidade aos Mates da marca. Depois de ter experimentado a gama Road Trip, sobre a qual falei aqui e aqui, a boa imagem da Essence ficou consolidada e penso que era esta a marca certa para voltar a tentar encontrar um verniz mate que ficasse próximo da perfeição.

A decisão confirmou-se quando os meus olhos bateram neste cinzento mate e com pequenos toques brilhantes em simultâneo. Ainda por cima estava em promoção, na Well's, e custou-me pouco mais de 1€. Sou incapaz de resistir a um verniz desafiante, especialmente, quando se trata de uma pechincha de todo o tamanho.


Agora, só para começar, devo dizer que os pincéis dos vernizes da Essence são fantásticos! Para alguém com graves problemas de coordenação na hora de pintar as unhas, como é o meu caso, o pincel é uma ajuda incrível e permite cobrir a unha com duas passagens apenas.

Quanto à cobertura, também se encontra dentro do esperado. Bastam duas camadas para a cor ficar bonita e homogénea. E a cor deste verniz é mesmo especial. A verdade é que não é totalmente mate devido aos tais apontamentos brilhantes que se encontram e que fazem um belo contraste prateado com o cinzento rato mate.

Sem esquecer uma das características que mais me agradam nos vernizes mate, que é a rapidez de secagem e a forma óbvia como constatamos que está mesmo seco. Quando passamos na unha a superfície fica brilhante. Quando o brilho desaparece quer dizer que está seco, ou muito perto disso. Rápido, simples, sem complicações de maior.


Não posso terminar este post sem falar da durabilidade deste verniz, característica muito importante na hora de avaliar a qualidade global de um produto deste género. Como já antes referi, os vernizes mate revelaram-se sempre de curta resistência e, consequentemente, curta durabilidade. Este verniz, contudo, comportou-se melhor dos que antes havia experimentado.

De facto, também não posso dizer que tenha resistido uma semana inteira sem falhas. Mas durante três dias mantiveram-se impecáveis. Só depois disso as primeiras falhas começaram a surgir. Ainda assim, várias unhas mantiveram-se imaculadas durante toda a semana, o que me deixou a ponderar na hipótese da causa das falhas nas restantes estar relacionada com a minha falta de competência na hora de pintar as unhas. Será? Ou também te acontece?

Pela parte que me toca, estou muito satisfeita com a minha compra, tanto que continuo fiel a este verniz mesmo após o fim das férias, no regresso ao trabalho. Agora, deixa o teu comentário e conta-me o que achaste do meu novo verniz. É bonito? O que achas dos vernizes da Essence?  

terça-feira, 8 de maio de 2018

#Livros - As Cinquenta Sombras Livre, de E. L. James



Sinopse
Quando a jovem e inocente Anastasia Steele encontrou pela primeira vez o impetuoso e fascinante milionário Christian Grey, começou entre eles um affair sensual que lhes mudou a vida para sempre. Assustada e intrigada pelas singulares inclinações eróticas de Grey, Anastasia exige um compromisso total na relação. Com medo de a perder, ele aceita. 

Agora Anastasia e Grey têm finalmente tudo o que desejavam - o amor, a paixão, a intimidade, uma riqueza incalculável - e todo um mundo de possibilidades à sua espera. Mas ela sabe que amá-lo não será fácil, e que estarem juntos vai implicar ultrapassar barreiras que nenhum deles poderia prever. Anastasia vai ter de aprender a partilhar o estilo de vida de Grey sem sacrificar a sua identidade. E ela terá de aprender a superar o seu obsessivo impulso de tudo controlar, enquanto se debate com os demónios do seu terrível passado. 

E quando tudo parece estar conjugado para que ambos consigam finalmente ultrapassar os maiores obstáculos, o destino conspira para tornar dolorosamente reais os maiores medos de Anastasia. 

Opinião
Agora que já conheces a minha opinião sobre As Cinquenta Sombras de Grey e As Cinquenta Sombras Mais Negras, é chegada a hora de finalmente perceber como termina a nossa trilogia. Devo dizer que a curiosidade venceu-me e não descansei enquanto não descobri o desfecho desta estranha história. Acho que já referi isto numa conversa nos comentários, mas a verdade é que este enredo poderia ter sido contado em volumes bem mais pequenos ou até num livro só.

A narrativa foi esticada até ao limite, com cenas de sexo infinitas. Algumas pertinentes para a história que estava a ser contada, outras que fizeram sentido para melhor compor as personagens que estávamos a conhecer. Outras totalmente aborrecidas por nada acrescentarem, apenas uma ideia de apetite sexual próximo dos ninfomaníacos e uma invulgar capacidade para atingir orgasmos ao mesmo tempo. Sempre.

Sobre as descrições dos actos sexuais não vale a pena repetir. Para isso já basta a autora. A sua imaginação ficou-se pelas encenações originais, mas não chegou para diversificar as descrições. Contudo, neste último volume somos brindados com mais acção, com mais peripécias que vão para lá da vida sexual extravagante dos protagonistas ou dos fantasmas que os atormentam.

Todos os mistérios são revelados e todas as perguntas são respondidas, todos os inimigos são descobertos. Desta vez, o espaço temporal é maior, o que torna a história mais credível e menos vertiginosa. Embora Christian seja uma personagem muito mais interessante, ficaram algumas coisas por perceber relativamente a Anastasia. Nomeadamente, o mistério em torno do Marido nº 3 de sua mãe e o motivo da sua insegurança crónica.

Enquanto Christian se apaixona cada vez de forma mais profunda, os seus medos sofrem um aumento, perde o pouco controlo que ainda lhe resta e revelam-se comportamentos altamente irritantes e perturbadores para qualquer mulher independente que se preze. Revela o adolescente sentimental que é e isso não o torna mais atraente, por muito que Anastasia diga o contrário no seu relato.

Contudo, o melhor chega no final do livro, quando a autora nos apresenta um pequeno vislumbre da perspectiva de Christian Grey dos acontecimentos iniciais do primeiro livro. O primeiro encontro e todos os pensamentos ocultos de Grey são apresentados como um bónus extra que só veio confirmar o que já imaginava, que o nosso Christian é MUITO mais interessante do que Anastasia. Claro que a autora não perdeu a oportunidade de esticar mais a história que tanto lhe deu a ganhar e lançou a trilogia contada pelos olhos de Christian que foi mais um fenómeno de vendas, como seria de prever.

Assim sendo, conto voltar em breve com os livros publicados contados pela voz do nosso protagonista masculino. Deixa o teu comentário e conta-me o que pensas desta trilogia. És fã? Preferes a versão cinematográfica? Qual o teu livro favorito? 

"Ele será sempre o Cinquenta Sombras... o meu Cinquenta Sombras. Quererei que mude? Não, nem por isso - só quero que se sinta amado. Olhando para ele, tomo algum tempo para admirar a sua  beleza cativante... e é meu. E não é apenas o encanto do seu belo, belo rosto e do seu corpo que me fascina. É o que existe detrás disso que me seduz, que me atrai... a sua alma frágil e magoada."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis ou encomendar o teu exemplar em inglês na Book Depository com portes grátis para todo o mundo.