expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

Porque não tens namorado?



Depois da polémica instalada com um tema tabu, como a masturbação feminina, nada como regressar em força a assuntos do coração e que, certamente, deixam os cabelos em pé e a paciência no limite a todos os solteiros deste mundo. Quantas vezes, ao longo da vida adulta, ouviste a famigerada pergunta: Porque não tens namorado?, ou a sua alternativa: Quando arranjas um namorado? 

Como solteira assumida e feliz com a minha condição, já perdi a conta à quantidade de vezes que ouvi estas questões colocadas por familiares e até pseudo-amigos. No entanto, veio-me à memória novamente após ter escrito sobre o que fazer no Dia dos Namorados quando não tens namorado. Porque ainda existe um grande estigma sobre todas as pessoas que se passeiam pelo mundo sem um parceiro. Só que o estigma ainda é maior quando essas pessoas são do sexo feminino. 

Todos sabemos que as mulheres ainda são influenciadas para ter como máximo desejo o casamento e a maternidade. Desde a infância somos levadas a acreditar que esse é o propósito maior da vida de qualquer mulher que se preze. E que a possibilidade de ficarem sós, sem um homem que as proteja, é um destino muito triste, onde a alegria não tem lugar. 

Lamentavelmente, em 2018, ainda vivemos esta realidade, pois esta forma de pensar se encontra enraizada na cabeça de muito boa gente. Nos mais velhos, cujas vidas foram formatadas nesse sentido, até compreendo. Mais não seja, porque é muito complicado, em idades avançadas que não conheceram outra realidade, alterar a mentalidade. 

Agora, quando falamos de malta mais nova o caso muda de figura. Esta forma de pensar antiquada e desajustada à realidade das mulheres, aplicada em pessoas de vinte, trinta ou quarenta anos deixa-me muito confusa. É como se a sua existência servisse apenas para replicarem o que viram ou o que lhes foi ensinado como correcto. Incapazes de formular questões ou objecções próprias. Sem a menor capacidade de procurar em si as respostas e o caminho para a sua felicidade. 

Não me interpretem mal. Não estou aqui a criticar quem tem namorado ou marido e optou por ter filhos. Só não aceito que a opção contrária seja alvo de críticas e de olhares de pena. Porque é perfeitamente possível não ter namorado e, ainda assim, estar de bem com a vida, feliz e realizada. Então, afinal, porque não tens namorado? 

Se também se pode ser feliz com um companheiro, porque escolher a solidão de ser solteiro? Em alguns casos pode ser, realmente, uma opção por se sentirem melhor sem as pressões, as preocupações e os problemas inerentes a uma relação a dois. Será uma opção egoísta até, mas todos temos direito a sê-lo, desde que com isso não se prejudique ninguém. 

Por outro lado, pode ser apenas produto das circunstâncias. Ou seja, a pessoa não tem namorado porque não está disponível para relações infelizes, sem futuro ou sem amor. Está disposta a partilhar a vida com alguém, mas não a qualquer custo. Não admite baixar o grau de exigência para poder ter um espécime masculino na sua vida que lhe facilite a vida social e faça desaparecer estas questões incómodas e inoportunas. 

Pela parte que me toca, as minhas razões para não ter namorado encontra-se a meio caminho entre as duas que referi. Por um lado, sinto-me muito confortável com a vida de solteira, onde gozo a plenitude da minha liberdade, sem ter de fazer cedências ou agradar ninguém. O que não significa que não esteja disponível para o amor. Só não quero pagar o preço da aceitação social. Para abandonar a minha confortável vida de solteira, tem de valer a pena o esforço. Tem de me aquecer o coração e me dar vontade de abdicar do meu tempo pessoal em prol da companhia de alguém, efectivamente, especial. 

Se for o teu caso, porque não tens namorado? Ou pelo contrário, quais os motivos que te levam a ter um namorado a teu lado? 

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Desafio de Cinema (50/52) - Melhor Fotografia



E está iniciada a contagem decrescente para o final do Desafio de Cinema, minha gente! Estamos perante o antepenúltimo filme que irei partilhar contigo no âmbito deste desafio e a pessoa já se encontra em ânsias para perceber o que será do seu início de semana quando isto se acabar. Tens ideias para próximos desafios que posso adoptar? Seria de grande ajuda, ok?

Esta semana, o desafio proposto era encontrar um filme com a melhor fotografia. Muito embora, isso não seja suficiente para tornar um filme numa boa opção, ajuda bastante para que a história contada seja realçada em todo o seu esplendor. Foi precisamente isso que procurei para o filme desta semana e penso ter encontrado, uma mistura bem sucedida entre uma excelente fotografia e uma história soberba.

Assim, escolhi o incrível O Senhor dos Anéis - A Irmandade do Anel. Mais uma vez, falamos sobre o início de uma trilogia que só cresce em qualidade e intensidade. Sou uma grande fã de toda a saga e só estou em falta porque ainda não me dediquei a assistir à trilogia O Hobbit, onde são relatados os acontecimentos que antecedem esta aventura de Frodo e dos seus amigos.

É aqui, no primeiro filme, que conhecemos os nossos protagonistas e também a lenda dos anéis forjados por Sauron e que tanto tentaram os homens, a raça mais vulnerável ao poder e à ganância. No fundo, nada que já não soubéssemos, não é mesmo? Depois, a aventura começa porque, para alcançar a paz na Terra-Média, é necessário que todas as diferenças sejam esquecidas e só a união dos esforços de todos poderão permitir levar a bom porto a tarefa de destruir o anel e o seu poder.

Será Frodo, um pequeno e simples Hobbit, capaz de cumprir um propósito tão difícil e exigente? Será verdade que a união faz mesmo a força? Gostas da trilogia O Senhor dos Anéis? Qual o teu filme favorito? 


Sinopse
Em tempos remotos, Sauron tentou dominar toda a Terra-Média graças ao poder do seu anel. Após Sauron ser derrotado em batalha e durante muitas eras, o anel foi considerado perdido. Agora, através de um golpe do destino, o anel do poder foi encontrado e entregue a um hobbit chamado Frodo. Quando Gandalf confirma que este é o anel do Poder de Sauron, o Senhor das Trevas, Frodo tem de partir numa demanda até ao monte Doom para destruir o anel. Sob a liderança e sabedoria de Gandalf, a Irmandade do Anel atravessará as maravilhas e os pesadelos da Terra-Média para levar a bom termo a sua missão.


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê todos os filmes. 

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Uma noite com... #137











Joaquim Horta
Mais conhecido, por estes dias, como Ramón, na novela A Herdeira, na TVI.
Será impressão minha ou a idade tem feito muito bem a este senhor?

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui. 

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

#Review - Lima Electrónica Velvet Smooth da Scholl



O que custou para que este post visse a luz do dia, minha gente! Estou a tentar trabalhar nele desde o final do Verão passado e não tem sido fácil. Ora porque ainda não tinha uma opinião formada sobre o produto, ora porque não tinha tempo para dedicar à construção do post em si. Depois era porque ainda não tinha tirado as fotos necessárias para acompanhar o post e, por fim, porque a minha Internet fez boicote e não foi possível publicar nada durante demasiado tempo. 

Mas agora é de vez e vamos falar da Lima Electrónica Velvet Smooth da Scholl. Primeiro, quero-te contar como fiz o negócio do ano ao comprar esta lima. Andava eu nas minhas análises às promoções semanais dos supermercados para fazer a minha lista de compras, quando me deparo com uma promoção de 75% em dois produtos da Scholl. O que significava que esta Lima Electrónica custava menos de 10€! 

Com um preço destes tratei logo de rever os meus horários para ir a Santa Maria da Feira o mais rápido possível para adquirir a minha lima tão desejada e constantemente adiada. Claro que, quando lá cheguei, fui informada que as limas não tinham chegado e não esperavam receber antes do folheto terminar. Só que não sou pessoa de desistir à primeira contrariedade, portanto, tratei logo de ligar para senhor meu pai, que vive no Montijo, para ver se ele por lá teria mais sorte. E não é que teve mesmo?


Por fim, lá recebi a minha encomenda em casa e pude começar a dar uso à minha Lima Electrónica sem mais demora. E o que promete a Lima Electrónica Velvet Smooth? Segundo a Scholl, promete uns pés bonitos e suaves sem esforço. Com os seus cristais de diamante, esfoliantes naturais, elimina as calosidades após uma só aplicação. Junto com a minha Lima, veio também um Sérum Intenso da mesma marca, que contém Ácido Hialurónico e Caviar Verde, para ser aplicado após a utilização da Lima Electrónica mas que pode ser repetida sempre que se sentir a pele seca.

Entretanto, quis experimentar a Lima para calosidades difíceis, que me ficou mais cara que a própria máquina em si, pois pretendia resultados mais rápidos e que me custasse menos tempo. A minha preguiça é lendária e por muito que queira continuar a utilizar este aparelho, não tenho intenção de perder horas de vida agarrada aos pés. Assim, inicialmente utilizei a lima para calosidades difíceis para eliminar tudo o que estava a mais que, de facto, fez o seu trabalho e deixou os meus lindos pés suaves e macios. 

Claro que é necessário continuar a utilizar para manter os resultados, porque os nossos pés estão constantemente a trabalhar e a sofrer para sustentar o nosso peso e tudo o mais que decidimos fazer. Portanto, utilizo numa base semanal, com a lima normal, para manter os resultados e não deixar que as calosidades se voltem a instalar. Só que, por vezes, tenho ataques de malandrice aguda e falho uma semana. O que significa que, na semana seguinte, troca pela lima de calosidades difíceis para facilitar a minha tarefa e não perder demasiado tempo.


Posto isto, só tenho elogios a fazer sobre esta Lima Electrónica Velvet Smooth! Não poderia estar mais contente com a minha aquisição, especialmente pelo tanto que poupei com esta compra, mas também pelos excelentes resultados que consegui com ela. E tu? Já tens a tua Lima da Scholl? Qual a tua opinião sobre ela?

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Prémio Recebido - Viajar pela leitura



Cá estamos, em 2018, a marcar o regresso dos Prémios Recebidos, rubrica que tanto aprecio pois traduz-se em passatempos em que fui vencedora e devido aos quais novas coisas boas vieram ter a minha casa. Existe lá coisa melhor?

Bem, melhor só quando se tratam de livros! Foi o caso deste passatempo, realizado pelo blog Viajar pela leitura, que decorreu ainda em 2017 e chegou mesmo a tempo do Natal e de enriquecer o meu sapatinho, bem como o meu espólio literário. Portanto, o livro que veio morar para a minha nova estante foi O Guardião de Objectos Perdidos, de Ruth Hogan e conto, muito em breve, vir aqui partilhar a minha opinião sobre o mesmo. Já conheces este livro? Quem já o leu?


Mais uma vez, os meus agradecimentos ao blog Viajar pela leitura pela oportunidade e por incentivar à descoberta de novos autores! 

terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O flagelo dos máximos



Depois de um intenso desabafo sobre a alergia ao pisca-pisca, vamos dissertar sobre a utilização dos máximos na estrada. Se, relativamente aos piscas, eu me queixava da falta de uso que a malta lhes dá, com os máximos a história é outra. Torna-se altamente irritante conduzir de noite nos dias que correm e dá até vontade de pagar na mesma moeda e tornar o uso dos máximos um hábito, como se fosse regra ao invés do uso dos médios, como manda o código da estrada.

Só que não consigo. A pessoa foi ensinada e tomou moderada atenção aos ensinamentos dos seus instrutores de condução e aprendeu que, de noite, deve-se ligar os médios, deixando os máximos para zonas mal iluminadas e só quando não se encontram veículos a circular no sentido contrário, para que esses condutores não fiquem encandeados com as luzes fortes do nosso bólide. Tu, que tiraste carta de condução, não aprendeste o mesmo?

Às vezes pergunto-me onde as pessoas andam a tirar a carta! É que ultimamente tenho assistido a um fenómeno deveras interessante e desconcertante. Parece que todos os condutores nocturnos têm imensos problemas de visão e em toda e qualquer rua deste país sentem necessidade de circular com os máximos ligados, com uma descontracção incrível e sem a menor preocupação com quem vem de frente.

É que se, ao menos, mostrassem algum sinal de respeito por quem os rodeia, eu tolerava facilmente este novo hábito rodoviário. Só que não é isso que acontece. Parece que existe um novo tipo de condutor que acredita que as vias de circulação só a si pertencem e que só as suas necessidades importam para uma viagem segura. Mas a verdade é que este novo hábito pode ser perigoso e causar acidentes, minha gente!

Bem, e vou me abster de comentar esta moda dos faróis xenon aplicados à socapa que cegam as pessoas mesmo quando estão com os médios ligados que é para a minha tensão arterial não começar a subir e me dar uma coisinha má, ok? Quanto a ti, sofres do mesmo problema que eu? Ou és dos que andam de máximos pelas estradas a fora?  

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Desafio de Cinema (49/52) - Para ver com as amigas



Cá voltamos para mais um tema do Desafio de Cinema, que está quase, quase a chegar ao seu fim. O que é uma pena, pois foi a melhor forma que encontrei para ver e rever e até descobrir grandes filmes e ainda partilhá-los contigo. Quando terminar esta brincadeira, o que irei fazer? Bem, ainda tenho tempo para pensar no assunto e aviso já que aceito sugestões tuas, ok? Agora, vamos desfrutar ainda desde delicioso desafio.

O tema proposto para esta semana é encontrar o melhor filme para ver com as amigas. Interessante, certo? É o momento ideal para consumir comédias românticas, género tão desprezado pelos homens em geral. Portanto, nada como juntar as mulheres para uma agradável sessão de Cinema, onde os meninos estão dispensados.

Como melhor filme para ver com as amigas escolhi o título Amigos Coloridos, com Justin Timberlake e Mila Kunis. Uma animada comédia romântica que fala de um fenómeno relativamente recente, as amizades coloridas. Um registo que cada vez mais optamos para ter sexo, sem viver os problemas e as ralações de uma relação amorosa.

Neste filme, assistimos ao encontro entre dois amigos, desgastados com namoros terminados e sem sucesso, que decidem viver uma relação puramente sexual, sem qualquer ligação emocional. Parece perfeito, não é? Só que não. As gargalhadas estão garantidas e os momentos apaixonados também, como não poderia deixar de ser.

Já conhecias este filme? Qual a tua comédia romântica favorita? 


Sinopse
Dylan está farto de relações. Jamie decidiu deixar de comprar a ideia feita de Hollywood do verdadeiro amor. Quando os dois se tornam amigos decidem experimentar algo de novo e aproveitarem a atracção que sentem um pelo outro - mas sem qualquer ligação emocional. O prazer físico sem as outras complicações. Parece suficientemente fácil para dois adultos inteligentes, certo? Nem por isso! Os dois rapidamente percebem que se os estereótipos das comédias românticas existem deve ser por alguma razão... 


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os temas que ainda faltam. 

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Uma noite com... #68















Jamie Dornan
(mais conhecido, no momento, como Christian Grey)

P.S.: Nada como rever o galã do momento, agora que já estreou o último filme 50 Sombras. Temos fãs desse lado??

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

#Livros - Sinal de Vida, de José Rodrigues dos Santos



Sinopse
Um observatório astronómico capta uma estranha emissão vinda do espaço na frequência dos 1,42 megahertz. Um sinal de vida. O governo americano e a ONU são imediatamente informados. 
Um objecto dirige-se à Terra.

A NASA prepara com urgência uma missão espacial internacional para ir ao encontro da nave desconhecida. Tomás Noronha, o maior criptanalista do mundo, é recrutado para a equipa de astronautas. 

Começa assim a mais invulgar aventura do grande herói das letras portuguesas modernas, uma história de cortar a respiração que nos leva ao coração do maior mistério do universo. Será a vida um acidente ou resultará de um desígnio? Estaremos sós ou seremos um entre milhões de mundos habitados? 
A existência é um acaso ou tem um propósito? 

Sinal de Vida traz-nos José Rodrigues dos Santos, o escritor favorito dos portugueses, no apogeu das suas extraordinárias capacidades narrativas. Um romance empolgante que, pelo fio de uma intriga intensa e absorvente, nos interpela sobre a vida, o seu objectivo e o nosso lugar no universo. 

Opinião
A pessoa ainda não se tinha refeito do final da Trilogia do Lótus, com O Reino do Meio, quando descobre que, no mesmo ano, é lançado mais um calhamaço de José Rodrigues dos Santos. Sinceramente, não sei como é que este homem consegue escrever a este ritmo, sem perder o vigor nem a capacidade de nos deixar no fio da navalha ao longo de cada história. 

Mas quanto a isto, só a minha carteira se queixa por existirem novos livros que preciso ter com a máxima urgência! É a triste realidade da vida das pessoas remediadas que precisam fazer contas à vida a cada nova despesa. Só que quando se trata de comprar livros novos (ou usados), sempre se arranja um jeito, que a curiosidade pode matar. 

E assim me dediquei a mais uma leitura vertiginosa pela aventura de Tomás Noronha no Espaço. A verdade é que não sou a maior fã de ficção científica e quando li a sinopse pensei que seria isso que ia encontrar neste novo livro de José Rodrigues dos Santos. Não poderia estar mais errada. Claro que existe uma forte componente de fantasia, como sempre acontece, mas tudo bem sustentado numa base científica e com alguns factos históricos interessantes e que nos mostram o quanto desconhecemos sobre esta temática sobre a vida fora da Terra. 

O enredo acontece a uma velocidade vertiginosa, num instante estamos no Vaticano e no seguinte já estamos nos Estados Unidos, absorvidos pelo treino intenso e desgastante que os astronautas precisam fazer antes de ir para o espaço. Por entre os treinos, temos muita discussão sobre o que poderão encontrar neste contacto inesperado e muitos argumentos contra e a favor. 

Por fim, chegamos à viagem propriamente dita e os acontecimentos são assombrosos. A descrição da primeira vez que Tomás vê a Terra é deliciosa e quase que nos sentimos lá também. O que sucede nesta viagem é assunto proibido pois não sou adepta de spoilers e não quero mesmo estragar as surpresas que te esperam a cada novo capítulo. Porque é isso que vai acontecer. Quando pensas que sabes o que aconteceu, logo em seguida surge uma nova reviravolta e tudo muda. 

Mais um livro de leitura obrigatória onde José Rodrigues dos Santos explora um novo ponto de vista sobre a existência da Vida, através dos olhos da Biologia. Já leste Sinal de Vida? O que esperas para descobrir um pouco mais sobre os mistérios da Vida?

"O professor é um herói para muita gente, um homem comum que a todos representa, com a vantagem de possuir capacidades inigualáveis de decifração de enigmas. Além do mais, sendo português, vem de uma nação de grandes descobridores. O navegador que iniciou a globalização, Vasco da Gama, era português. Mais, o primeiro homem a dar a volta ao planeta, Fernão de Magalhães, também era português. Os seus antepassados foram os primeiros a cruzar os três grandes oceanos de uma assentada e chegaram aos cantos mais remotos da Terra, do Brasil ao Japão, de Angola ao Tibete, de Cabo Verde à Indonésia, da Índia à Austrália. Cruzaram-se com culturas diversas e tornaram-se intermediários de todas elas. Porque não fazer o mesmo no espaço?"

Podes encomendar o teu exemplar de Sinais de Vida aqui, com 10% de desconto imediato e portes grátis.

Outros livros de José Rodrigues dos Santos com opinião publicada: 

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

#Review - Verniz Avon Gel Finish Roses are red



E cá estamos de volta com mais uma review de uma gama de vernizes que tem sido a minha perdição. Na verdade, a sua relação qualidade-preço deixou-me rendida desde o primeiro a que pus a mão, ou as unhas. Além de ter um acabamento fantástico, a sua resistência é muito acima da média habitual, ainda por cima, é fácil encontrar promoções onde o preço se transforma ainda mais imperdível. 

Estamos a falar, desta vez, de um vermelho tão lindo que dá vontade de andar sempre a exibir as unhas de tão bonito que fica e do quanto enaltece a elegância das mãos. Este foi o verniz que escolhi usar no Natal, pois pareceu-me perfeito para a ocasião. Portanto, o meu objectivo era partilhar contigo esta sugestão natalícia, o que não foi possível pelos motivos que têm atrasado as publicações aqui no estaminé. 

No entanto, um vermelho como este faz a diferença em qualquer altura do ano. Mais ainda neste Inverno tão gelado. Nada como um boost de cor para animar o espírito quando o céu se encontra tão cinzento, não é mesmo? Sempre a correr contra o tempo, só passados cinco dias é que consegui tirar a foto que se segue. 


Como podes ver, começaram a aparecer algumas falhas na mão esquerda, embora a direita se tenha mantido perfeita mais um pouco. Portanto, durabilidade aprovada, que durar cinco dias nas minhas mãos trapalhonas é coisa de valor. Já conhecias esta gama? E esta cor? 


Outros vernizes Avon Gel Finish:

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

As mulheres masturbam-se?



Cada vez me convenço mais de que se fala muito pouco sobre sexo. Quer dizer, fala-se mais do que no tempo dos nossos avós, é certo. Só que se fala em tom de brincadeira, na palhaçada com os amigos numa noite de copos em que se contam histórias engraçadas. No fundo, fazem-se muitas piadas sobre o assunto, mas fala-se pouco a sério e ainda menos em termos pessoais. 

Claro que é compreensível que a malta não se ponha a discorrer sobre a sua vida sexual com o primeiro conhecido que lhe aparece pela frente. Existem coisas que são íntimas e gostamos de tratar com alguma contenção e até protegemos de olhares indiscretos para que a nossa sexualidade não acabe a ser tema de conversa e de piadas várias. 

O problema é que esta falta de diálogo faz com que muitos mitos ainda andem por aí e imensos preconceitos continuem a existir. Preconceitos como o número de parceiros sexuais aceitável ou mitos como o de que existem mulheres que não gostam de sexo. Gostaria de acreditar que o tempo de mitos e preconceitos pertence a séculos passados mas, infelizmente, basta olhar à nossa volta para perceber que não é bem assim. 

É por isso que ainda faz sentido, em 2018, em pleno século XXI, falarmos de masturbação feminina. Porque ainda existe a ideia absurda de que as mulheres não se masturbam. E as que admitem fazê-lo são umas grandes malucas que só querem é regabofe. No fundo, ainda é um tema tabu mesmo entre mulheres, o que se dizer quando se mete homens na conversa? Dificilmente irão assistir a uma conversa honesta e sincera. 

A verdade, meus amigos, é que as mulheres se masturbam, sim. Pelo menos, todas aquelas que se sentem bem com o seu corpo e aceitam a sua sexualidade como algo natural. Mulheres de uma geração livre, em que se sentem donas e senhoras do seu corpo e do seu destino. Em que olham para os seus desejos e vontades como primordiais. Regra geral, são mulheres que conhecem o seu corpo e o que mais lhes dá prazer. Algo de grande utilidade na hora de partilhar a intimidade com alguém. 

Depois, desenganem-se que as mulheres só se masturbam quando não têm parceiro sexual. Essa é a outra parte do mito da masturbação feminina e que talvez afecte também os homens um pouco. A pessoa pode perfeitamente ter namorado ou marido e, ainda assim, ter vontade em determinado momento de se satisfazer a solo. E isso não significa que esteja mal com a sua vida sexual a dois. Uma coisa não precisa obrigatoriamente de estar relacionada com a outra, ok? 

Portanto, fiquem a saber que a masturbação é uma coisa natural e não tem mal nenhum falar disso. Não como forma de nos expormos, mas como forma de desmistificar o tema para que, no futuro, cada vez mais mulheres se sintam livres e donas do seu corpo. E tu? Achas a masturbação normal ou ainda tens algum preconceito quanto a este assunto?  

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Desafio de Cinema (48/52) - Ano em que nasci



Ainda nos encontramos na recta final do Desafio de Cinema e regressamos com o melhor filme de todos os tempos. Ainda por cima, rodado durante o ano em que a minha pessoa nasceu! Lá poderia existir melhor combinação, minha gente? Tenho andado este tempo todo a ansiar pela momento em que irei partilhar contigo o filme mais inesquecível da minha vida, com um dos homens mais bonitos dos anos 80.

É um filme intemporal que, apesar de ser fruto de uma pequena produção com poucos recursos financeiros, transformou-se num filme de culto em todo o mundo. Pela parte que me toca, tento sempre evangelizar toda a gente para ver este filme nem que seja por uma vez apenas. A sério que ainda não adivinhaste de que filme estou a falar?? De Dirty Dancing, claro!

Como esquecer do momento em que vemos Johnny Castle pela primeira vez a dançar e a dar um show? Impossível descolar o olhar deste homem e do carisma que emanava Patrick Swayze, sem esquecer a forma apaixonada como dançava. Aqui aprendemos a força que a dança pode ter e como pode ser factor de união e de amor.

Todas as adolescentes (e não só) terão chegado ao final deste filme a desejar ardentemente encontrar o homem que as iria transformar em bailarinas talentosas e ainda lhes aquecer o coração com um amor de Verão como o de Baby e Johnny. É um filme para almas apaixonadas, com danças incríveis e frases icónicas, que conta uma história que certamente vais querer conhecer!

E tu, já conhecias este filme? Qual o teu momento favorito do filme?  


Sinopse
Estamos no Verão de 1963.

Baby, como a família ainda lhe chama, é uma adolescente idealista de 17 anos, em férias com a família numa estância de Verão. Uma noite, enquanto conhece o local, é atraída por uma música vinda do alojamento dos empregados. É lá que conhece Johnny Castle, um professor de dança, por quem se apaixona de imediato. 

Quando Penny Johnson, a parceira de dança de Johnny, fica grávida, Baby oferece-se para a substituir. É aí que começa a treinar com Johnny tornando-se a sua aluna preferida, tanto na dança como no amor. 

A actuação dos dois no hotel é um enorme êxito, mas o pai, quando descobre, não gosta, pois considera Johnny de classe social inferior. Mas o convívio diário que mantiveram nessa semana leva-os a apaixonarem-se um pelo outro, e nem a vontade dos pais os vai afastar.

Um musical que marcou uma geração, e que continua a ser um dos mais memoráveis êxitos do cinema. 


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê todos os temas. 

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

O que fazer no Dia dos Namorados quando não tens namorado



Em Fevereiro de 2018, as atenções estão divididas entre a loucura do Carnaval e a piroseira do Dia dos Namorados, dado que o calendário fez o favor de colocar o Carnaval no dia imediatamente anterior ao dia de São Valentim. Eu, que não sou apreciadora de nenhuma das datas, até fico contente, pois assim despacha-se as duas coisas num ápice. 

Quanto ao próprio do Dia dos Namorados, podes ler a minha opinião, escrita no ido ano de 2013, mas que se mantém totalmente inalterada. Como o título indica, este não é um post para quem se encontra feliz e apaixonado e a viver uma relação em plenitude. Portanto, se é esse o teu caso e se aqui entraste ao engano, quer-me parecer que não irás encontrar o que procuras. Porém, podes e deves inspirar-te com as minhas sugestões Low-Cost para celebrar este dia com a tua cara-metade ou aproveitar a minha Playlist com as melhores músicas para namorar

Neste momento, imagino que só tu, que estás solteira e a maldizer esta época, estarás ainda a ler este post. É mesmo para pessoas como tu e como eu, que te encontras sem namorado/a por uma casualidade do destino e que não sabes o que fazer neste dia tão direccionado para os casais aparentemente apaixonados. E não vale ficar a deprimir na cama, a ver as fotos dos "falecidos" e a acabar com todo o stock de comida altamente calórica que se tem em casa. Vamos às ideias para aproveitar o Dia dos Namorados quando não tens namorado? 


1. Tarde no Shopping
Se te sentes bem com o facto de não teres namorado e não te incomodas com as decorações cheias de corações e Cupidos em tudo o que é loja, podes juntar as amigas e fazer uma investida em grande pelo Shopping mais próximo e aproveitar o final dos saldos. A diversão está garantida quando se junta amigas + roupa nova + preços baixos! 


2. Sessão de Cinema em casa
No entanto, se preferes fugir do cenário exterior, perigoso para quem ainda se está a habituar à ideia de estar solteiro, podes aproveitar a noite livre para pôr em dia a lista de filmes que queres ver. Prepara as pipocas, desfruta do melhor lugar no sofá, apaga as luzes e faz uma viagem cinematográfica por umas boas horas. 


3. Organiza uma Festa do Pijama
Eu sei que nesta altura parece que tudo e todos à tua volta estão a viver uma linda história de amor, mas tenho a certeza que tens uma série de amigas também solteiras e que se podem divertir imenso numa animada Festa do Pijama. Ainda por cima, com o frio que se faz sentir, parece-me o outfit perfeito! 


4. Rever Séries de culto
E se não tens filmes em lista de espera para serem vistos, nada como dedicar a tua noite a rever os melhores episódios da tua série favorita. Como sabes, as séries estão na moda e melhores que nunca, além de que existem séries para todos os gostos. Se tivesse de te sugerir uma série de culto, só poderia ser O Sexo e a Cidade. Assim de repente, recordo-me de muitos e bons episódios perfeitos para celebrar o facto de estar solteira. 


5. O Jantar dos Solteiros
E que tal aproveitar a data e celebrar à grande? Reúne todos os teus contactos e elabora uma lista com todas as pessoas solteiras que conheces. Organiza um jantar onde só os solteiros podem entrar e prepara-te para uma noite bem divertida e animada. Para ser ainda melhor, pede aos teus amigos, solteiros e casados, que convidem também os solteiros que conhecem. Será uma oportunidade para a malta se divertir e enaltecer as vantagens de estar livre, além de ser uma forma original de conhecer gente nova e disponível. 


6. Azar no amor... Sorte ao jogo? 
Já diz a sabedoria popular que quando se tem azar no amor, a sorte ao jogo costuma dar um ar de sua graça. Portanto, uma noite no Casino ou mesmo numa sala de Bingo pode ser uma excelente forma de passar o Dia dos Namorados, não te parece? 


7. Uma aventura no Tinder
E se a solidão bater e precisares de uma massagem no ego, nada como te inscreveres no Tinder. Podes procurar por uns gatos interessantes, pôr à prova as tuas capacidades de sedução e, quem sabe, até encontrar o teu próximo amigo colorido ou namorado! 

Gostaste das minhas ideias para passar o Dia dos Namorados sem namorado? O que vais fazer nesse dia?