expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #13 + #14


Desafio de Escrita dos Pássaros #13 - Reescreve o final dum filme #14 - Não nasci para isto

#13 - Reescreve o final dum filme
#14 - Não nasci para isto 

A vida tem sido complicada e na semana passada foi-me impossível cumprir o desafio, coisa que muito me irritou, devo dizer. Entretanto, esta semana não foi mais fácil e, como tal, decidi juntar os dois temas, o anterior e o actual e com eles criar um único texto. Eu sei que é um pouco batota, mas tenho a certeza que me vão perdoar. 

Alterar o final dum filme não é coisa que me ocorra com muita frequência. Já com livros isso acontece muitas vezes. Mas ao pensar em histórias que gostas mas que gostarias que tivessem terminado de outra forma, logo me ocorreu um filme que revi recentemente e sobre o qual falei aqui. É O Casamento do Meu Melhor Amigo, filme dos anos 90, com a popular Julia Roberts e que sempre deixou uma impressão incómoda em mim. 

Talvez porque o tenha visto pela primeira vez quando ainda acreditava que, quando duas pessoas se amam, isso seria suficiente para ficarem juntas e felizes. Hoje, aprendi a lição e sei que o amor nem sempre chega para unir duas pessoas. No entanto, é-me impossível ficar indiferente quando acho que aquelas pessoas seriam certas uma para a outra. Era o caso da Jules e do Michael. 


Para mim, esta é a cena onde tudo poderia ter sido diferente. Mais do que esquemas para separar o casal, a Jules só tinha que ter aberto o seu coração e exposto os seus sentimentos pelo melhor amigo. A cena do barco, uma despedida da amizade a dois, era o momento perfeito para o ter feito. Quando estão a passar debaixo da ponte, depois do Michael dizer que deveriam dizer quando se ama alguém, antes do momento passar, aquele era o momento dela e ela deixou-o passar. 

Claro que, se o tivesse feito, estaríamos perante outro filme que não este. Até porque acredito que, se ela tivesse dito o que lhe ia no coração, ele não casaria com a outra. Teria ficado com ela, a mulher que amou durante nove anos e com quem partilhava tanta história e tantos gostos. Aliás, com essa conversa parecia mesmo que era isso que ele estava a pedir, que ela mostrasse se tinha sentimentos por ele ou não. 

Como se pode perceber, não nasci mesmo para isto de rescrever finais de filmes. Primeiro, não escolhi alterar o final. Depois, percebi que, ainda mais difícil que escrever uma história, é alterar uma já existente e desvirtuar a mensagem. Até porque se o filme tivesse acontecido como eu gostaria, não estaríamos perante um filme diferente. Seria mais uma comédia romântica óbvia e pouco original. 

Assim sendo, é melhor deixar isto dos roteiros cinematográficos para quem sabe e limitar-me a piar com os pássaros, não é verdade? 

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

#Livros - O Último Tudor, de Philippa Gregory


#Livros - O Último Tudor, de Philippa Gregory

Sinopse

Três irmãs. Três vidas. Três formas de poder. 
A história de Joana Grey e suas irmãs que ousaram desafiar as suas rainhas.

Joana
O pai de Joana Grey e os seus conspiradores convencem o rei Eduardo VI a nomear Joana, sua prima, para o trono, em vez da sua meia-irmã Maria. Joana é aclamada rainha e reina durante nove dias. Maria rapidamente reuniu um exército e reivindicou a coroa encarcerando a prima na Torre. Quando Joana se recusa a trair a fé protestante, Maria manda executá-la. 

Katherine
"Aprende a morrer" são as palavras que Joana escreve numa carta para a irmã. Katherine só tem intenção de desfrutar da sua beleza e juventude e encontrar o amor. Mas a linhagem torna-a uma ameaça para a insegura e infértil rainha Maria e, quando esta morre, para a irmã, a rainha Isabel, que nunca permitirá que Katherine se case e produza um potencial herdeiro real antes dela. Quando o casamento secreto de Katherine é revelado pela sua gravidez, também ela vai para a Torre.

Mary
"Adeus minha irmã", escreve Katherine para a irmã mais nova. Mary está consciente da posição perigosa como possível herdeira do trono, mas está determinada a comandar o seu destino, enfrentando a desconfiança e a crueldade da sua prima Isabel.

Opinião

Hoje vamos falar de uma novidade literária que muito me surpreendeu mas que me agradou ainda mais. Estive quase para comprar este livro em inglês, tanto que estava a tardar a chegar em português. A única razão para estar triste é que este poderá ser o último livro desta época histórica fascinante que a autora escreveu. Foi uma viagem incrível por um longo período da História da Inglaterra, narrada por esta autora de talento mais que reconhecido.

A proposta continua a ser colocar o foco nas mulheres enquanto protagonistas e peças fundamentais nas engrenagens da História que todos conhecemos. Numa época em que não tinham existido rainhas inglesas a herdar o trono de forma directa, seguiram-se três de uma só vez. Este livro irá focar-se na primeira rainha, Joana Grey, curiosamente a menos conhecida, e nas suas irmãs com direito ao trono Tudor.

Podes ler também a minha opinião sobre A Espia da Rainha

O livro está dividido em três partes onde conta com uma narradora diferente, as três irmãs Grey. Começamos com a Joana e com o percurso que a leva ao trono, onde permanece por apenas nove dias. A ambição da sua família e o desejo de Eduardo VI de não permitir que a Inglaterra regresse ao Catolicismo, faz com que se tente afastar as irmãs do rei de herdar.

"A rainha Maria pode ter idade para ser minha mãe, mas sinto que poderia dizer-lhe: é isto que os homens fazem. Casam com uma mulher que é sua superior e no mesmo instante invejam-lhe a posição, e no mesmo instante tentam usurpá-la."

É assim que Joana surge como a opção perfeita para os protestantes e é levada para a Torre após a morte do rei, seu primo. Mas esse plano cai por terra após nove dias, quando Maria entra em Londres com todo o apoio do povo e os membros do Conselho passam para o seu lado apressadamente, deixando Joana à mercê da nova rainha.

Podes ler ainda a minha opinião sobre A Senhora dos Rios

A sua entrada na Torre foi de glória e repleta de esperança, mas sairá de lá em desgraça para a morte por se recusar a renegar a sua fé protestante. O legado e o peso da sua herança passa para a irmã Katherine que nos conta a sua vida na corte leve e alegre até que se apaixona e o drama se adensa. Afinal de contas, estamos perante princesas que não foram capazes de produzir um filho para lhes suceder, logo não poderiam aceitar de ânimo leve que a prima o fizesse diante dos seus olhos.

"Estou de verdade numa situação impossível, pois quem é capaz de provar a uma rainha Tudor que não está em perigo? Todos os monarcas Tudor pensam que estão num perigo mortal, muitas vezes sem causa."

É precisamente por se ter casado em segredo e estar grávida que acaba presa na Torre, como a sua irmã. Destino semelhante tem a irmã mais nova, Mary, que acaba presa por também se ter casado às escondidas e sem autorização da sua rainha. Aliás, a irmã mais nova é a personagem mais obscura da História mas no livro é, sem margem para dúvidas, a mais interessante e cujo relato é mais estimulante.

Podes descobrir mais sobre Joana Grey neste documentário

A verdade é que o trono dos Tudor sempre foi frágil e essa fragilidade só aumentou com a incapacidade de produzir herdeiros do sexo masculino e encontrou o fim da dinastia nas mulheres que existiam para suceder a Henrique VIII. Mas é curioso perceber que existiram outras opções para além dos Stuart e fiquei com muita vontade de saber o que terá acontecido aos filhos de Katherine Grey, sobretudo porque fui acompanhando o que acontecia a todos os pretendentes rivais ao trono inglês.

Este é mais um livro fascinante que nos transporta para uma época tumultuosa e repleta de mudanças determinantes para a formação do Reino Unido conforme o conhecemos. Quanto mais leio sobre os Tudors mais vontade tenho de viajar no tempo e visitar a corte destes monarcas icónicos cuja memória perdura cinco séculos depois, povoando o nosso imaginário de uma forma incomparável.

Já leste algum livro de Philippa Gregory? Costumas ler romances históricos? 

"Todos pensam que é uma mulher avassalada pela paixão, que põe o coração à frente de tudo. Mas não é verdade. É uma mulher que sente as suas paixões mas não se deixa influenciar por elas. É determinada e egoísta. Nunca renunciará ao Roberto Dudley, mas também nunca casará com ele. Ama o trono mais do que a ele. O Dudley continua convencido de que ela não consegue resistir-lhe, mas está enganado. Há-de descobrir que vai ficar com a pior parte do negócio: sempre perto de Isabel, mas nunca no trono." 

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 20% de desconto imediato e portes grátis, ou a versão em inglês na Book Depository, com 6% de desconto imediato e portes gratuitos para todo o mundo. 

Outros livros de Philippa Gregory com opinião publicada no blog:


A Senhora dos Rios
A Rainha Branca
A Rainha Vermelha
A Filha do Conspirador
A Princesa Branca
A Maldição do Rei

Catarina de Aragão
Três Irmãs, Três Rainhas
Duas Irmãs, Um Rei
A Herança Bolena
A Espia da Rainha
O Amante da Rainha
A Outra Rainha

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

#Compras & Recebidos - Novembro/2019


#Compras & Recebidos - Novembro/2019

A contenção de despesas continua a imperar por aqui mas ainda assim sabes que não sou pessoa capaz de resistir a uma boa promoção, sobretudo quando se tratam de livros a bons preços. Deste modo, não resisti às promoções do site da Bertrand e encomendei duas novidades com desconto imediato de 20%. Vamos ver o que comprei? 

#Compras & Recebidos - Novembro/2019 - Astrologia e Guia do Amor 2020

Este livro, Astrologia e Guia do Amor 2020, foi comprado para oferecer à minha mãe, pessoa que muito aprecia o trabalho do Paulo Cardoso. Claro que, estando o livro a morar cá em casa, também o consulto para ter uma ideia das previsões para o novo ano que se avizinha para o melhor signo do Zodíaco, Aquário. Uma leitura interessante para todos os interessados nestes temas mais esotéricos. 

Podes ver também as Compras & Recebidos de Outubro

#Compras & Recebidos - Novembro/2019 - O Último Tudor

Já é do conhecimento geral a minha paixão por Philippa Gregory e pela época dos Tudors, o que significa que não poderia ter ficado mais feliz pela publicação do livro que faltava da autora em Portugal. Por isso mesmo, sabia bem o que comprar nesta promoção das novidades e tratei logo de encomendar o meu exemplar de O Último Tudor, que até já terminei de ler. 

Podes ver também a minha opinião sobre A Espia da Rainha

O que achaste das minhas compras de Novembro? Tens aproveitado as promoções para comprar novidades literárias? 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

A Banda Sonora da Semana #73


A Banda Sonora da Semana #73 com um filme sobre o Marquês de Sade e música de Maria Callas

Eis senão quando estamos em Dezembro e o ano de 2019 está a dar as últimas. É chegado o momento de pensar seriamente não só no Natal, mas também na passagem de ano. Além de analisar o ano que termina e estabelecer novos objectivos para 2020. Mas não resulta só te limitares a estabelecer as metas e não procurares criar um plano para a sua realização, não é mesmo? O que andas a planear para o final de 2019 e para 2020? 

Efemérides de 2 de Dezembro


Dia do Samba
1804 - Napoleão Bonaparte autoproclama-se imperador de França na presença do papa Pio VII. 
1825 - Nasceu D. Pedro II do Brasil. 
1923 - Nasceu Maria Callas, cantora lírica norte-americana de origem grega. 
1814 - Morreu Marquês de Sade, escritor francês.

A Banda Sonora da Semana #73 com um filme sobre o Marquês de Sade e música de Maria Callas

Acho que nunca li nada do Marquês de Sade mas é uma figura incontornável e que rompeu com preconceitos e com os padrões estabelecidos. E foi assim que me lembrei que existia um filme sobre esta personagem da literatura que tem a incrível e talentosa Kate Winslet. Quills - As Penas do Desejo é um filme forte e que deixa marcas na memória dos que assistem. É o teu caso? Conheces este filme? 


Eu fiquei muito tentada para escolher como música da semana um samba bom, até porque sou uma grande fã da boa música brasileira. Só que não podia ignorar Maria Callas e a sua voz inesquecível. Ainda por cima este é um género musical ao qual damos pouca atenção, na minha opinião, e por isso deixo-te com a apresentação mais famosa desta cantora lírica. Gostas? Que outros cantores líricos acompanhas ou conheces? 

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

Desafio de Escrita dos Pássaros #12 - Aqueles pássaros não se calam


Desafio de Escrita dos Pássaros #12 - Aqueles pássaros não se calam

Quando se tem uma casa no coração de uma aldeia, como eu tenho a sorte de ter, não nos ocorre mandar calar os pássaros. Haverá melhor forma de acordar do que com os pássaros a cantar à nossa janela? Até me ocorrem algumas, que não envolvem pássaros, mas que não vêm agora ao caso. 

Por outro lado, se estivermos a falar dos pássaros que têm lançado os temas deste desafio, confesso que esse pensamento já me passou pela cabeça. Só que é um pensamento motivado pelos temas inacreditáveis que os ditos têm proposto ao longo das últimas semanas. Só que, na verdade, ainda não me arrependi de ter aceitado este desafio que coloca à prova a minha criatividade e me tem proporcionado a leitura de muitos textos incríveis dos outros participantes. 

Seremos loucos? É bem capaz que seja verdade, mas o que seria a vida sem um pouco de loucura? Dizem que é o tempero e o colorido dos nossos dias e tenho muito prazer em continuar a cultivá-la por estas paragens por mais algumas semanas.