expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

#Livros - A Filha do Conspirador, de Philippa Gregory


#Livros - A Filha do Conspirador, de Philippa Gregory

Sinopse

"Perdi o meu pai numa batalha, a minha irmã às mãos de uma espia de Isabel Woodville, o meu cunhado às mãos do seu carrasco e o meu sobrinho às mãos de um seu envenenador, e agora o meu filho foi vítima da sua maldição..."

A apaixonante e trágica história de Ana Neville e da sua irmã Isabel, filhas do Conde de Warwick, o nobre mais poderoso da Inglaterra durante a Guerra dos Primos. Na falta de um filho e herdeiro, Warwick usa cruelmente as duas jovens como peões, mas elas desempenham os seus papéis de forma previdente e poderosa. 

No cenário da corte de Eduardo IV e da sua bela rainha Isabel Woodville, Ana é uma criança encantadora que cresce no seio da família de Ricardo, Duque de Iorque, transformando-se numa jovem cada vez mais corajosa e desesperada quando é atacada pelos inimigos do seu pai, quando o cerco em seu redor se aperta e quando não tem ninguém a quem possa recorrer, a quem possa confiar a sua vida.

Opinião

É fascinante a forma como Philippa Gregory consegue contar a mesma história sob diferentes pontos de vista e, ainda assim, mesmo quando todos sabem como termina este enredo complexo, ficamos presos até à última página. Como espreitar pelo buraco da fechadura e perceber o que se passa nos lugares secretos, entrar na mente dos protagonistas de épocas conturbadas e repletas de conflitos.

Sempre colocando as mulheres em lugar de destaque, como donas do seu destino, voltamos à Guerra dos Primos e a mais uma mulher que cresceu na corte de Eduardo IV, conviveu com a rainha, Isabel Woodville, e viveu em pânico por considerá-la sua inimiga. Enquanto que em A Rainha Branca, encontramos uma mulher bela, amada e desejada que chega ao trono de Inglaterra por amor e em A Rainha Vermelha assistimos à luta da fundadora da casa Tudor pelo que acredita ser o seu direito, neste livro ficamos a conhecer a rainha que substitui a primeira, que viveu com o sonho de concretizar as ambições do seu pai mas que, no fundo, só queria ser amada e admirada.

Ana Neville começa como uma menina inocente e deslumbrada pelo brilho da corte de Eduardo IV e da sua bela mulher. Contudo, rapidamente se deixa influenciar pelas opiniões familiares e cresce com a opinião dividida. Admira e teme Isabel Woodville. Tudo se agrava quando o seu pai se coloca na posição de inimigo mortal da rainha ao assassinar o seu pai e irmão numa tentativa de destronar o seu marido e colocar no seu trono a sua filha mais velha, Isabel.

O desprezo da rainha atinge as raparigas de uma forma que apenas as humilha e desprestigia junto da corte. Claro que os rumores que correm em torno desta rainha invulgar, que a ligam a maldições e feitiços só faz com que as irmãs fiquem aterrorizadas e certas de que irão sentir a vingança desta mulher até ao seu último suspiro.

As referências à roda da fortuna são uma constante em todos os livros e este não é excepção. Continuamos a ser apresentados à ideia de que os momentos altos da vida, em que alcançamos o sucesso, são apenas o que precede as quedas e assim sucessivamente. A verdadeira sabedoria está em aceitar os sucessos e as derrotas com a mesma serenidade e compreender que fazem parte do caminho.

Um dos meus momentos favoritos é o reencontro da anterior rainha, Margarida de Anjou e a sua antiga melhor amiga, Jaquetta. Uma amizade que descobrimos em A Senhora dos Rios e que levou uma grande reviravolta. Por fim, a intrépida rainha francesa compreende o que a sua amiga lhe tentou ensinar durante tantos anos e mostra não guardar ressentimentos pela sua queda final ser fruto do sucesso da filha da amiga.

Esta é mais uma história que nos revela os perigos que giram em torno da coroa inglesa e no que tanta gente foi capaz de fazer para se colocar nesse lugar privilegiado, onde a ambição é mais importante do que a verdadeira legitimidade para herdar o trono e ser rei de Inglaterra. É um caminho que destrói famílias, desperta assassinos e é motivo para as mais sangrentas batalhas.

Agora, que cheguei aqui mal posso esperar para me agarrar ao que se segue, A Princesa Branca e descobrir o que acontece quando se reúne numa mesma família a casa de Lencastre e de Iorque, dando origem à dinastia Tudor. Também gostas de romances históricos? Qual o teu autor favorito?

"Eu pensava que, se os príncipes estivessem mortos, não haveria nenhum outro pretendente ao trono, que o meu esposo poderia ocupá-lo sem perturbações, e que, quando Deus decidisse levar-nos, o meu filho tomaria o lugar dele. Mas agora vejo que todo o homem é um Fazedor de Reis. Mal um trono fica desocupado, por um instante que seja, já alguém está a ser considerado como candidato a usar a coroa. E, mal corre o rumor de que aqueles que antes reinavam estão agora mortos, novos príncipes surgem como ervas daninhas numa colheita."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis, ou a versão em inglês, na Book Depository, com 19% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo.

Outros livros de Philippa Gregory com opinião publicada no blog: 


A Senhora dos Rios
A Rainha Branca
A Rainha Vermelha

Duas Irmãs, Um Rei
A Herança Bolena
O Amante da Rainha

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

A Banda Sonora da Semana #21


A Banda Sonora da Semana #21 com Alfred Hitchcock, um destino de sonho e música dos Da Weasel

Depois de ter sentido uma quebra na minha veia criativa e produtiva e, portanto, ter-me dedicado mais a aproveitar um pouco este mês de Agosto, não quero permitir-me abandonar a navegação deste estaminé sem conteúdo por muito tempo. Nem sempre é uma tarefa fácil porque com este calor e tanta gente de férias, as distracções são mais que muitas, mas este espaço merece o esforço, não é mesmo? 

Efemérides de 13 de Agosto


Dia Mundial do Canhoto
1961 - Tem início a construção do Muro de Berlim.
1899 - Nasceu Alfred Hitchcock, cineasta inglês. 
1926 - Nasceu Fidel Castro, revolucionário e político cubano.
1996 - Morreu António de Spínola, militar e político português. 

Vamos começar por salientar o génio criativo de Alfred Hitchcock, um cineasta icónico, com um estilo inconfundível e sempre rodeado de musas inspiradoras de uma beleza estonteante. São inúmeros os filmes inesquecíveis e que marcaram a História do Cinema, servindo de inspiração até aos dias de hoje.

Como tal, precisas de começar a assistir às suas obras de arte sem demora, porque vale mesmo a pena. Assim, a minha sugestão cinematográfica da semana será A Janela Indiscreta, de 1954, com James Stewart e a sua musa mais famosa, Grace Kelly. Já conheces a obra de Alfred Hitchcock? Qual o teu filme preferido do realizador? 

A Banda Sonora da Semana #21 com Alfred Hitchcock, um destino de sonho e música dos Da Weasel

Depois de falarmos de Cinema, é preciso falar de destinos de viagem, dado que estamos numa época propícia às férias e às viagens de sonho. Foi a pensar nisso que a referência a Cuba não poderia nunca passar despercebida sem o destaque que merece. Será, sem sombra de dúvida, um destino de sonho para mim. Tanto é assim que ocupou o primeiro lugar no Top 7 de cidades da América Central a visitar e, depois de ler os posts publicados no Viajar entre viagens sobre Havana fiquei rendida e com a firme certeza de que esse será um destino incontornável na minha vida. Será Havana um dos teus destinos de sonho?

A grande dificuldade desta semana começou por ser eleger a música que nos irá acompanhar ao longo dos próximos dias. Contudo, a resposta veio por si própria ter comigo durante dias consecutivos da semana passada. Esta música, que não é propriamente recente, passou todos os dias na rádio em diferentes horários, como se a recordar-me tempo mais simples, onde sabia o que queria e, mais importante, o que não queria.


Devo dizer que fui muito feliz ao som das músicas dos Da Weasel e lamento de verdade que a banda tenha terminado. Resta-me o consolo de ter o nosso Carlão de volta ao mundo da música e a brindar-nos com a sua criatividade. Agora conta-me, qual a tua música favorita dos Da Weasel? E não te esqueças de partilhar as sugestões com os teus amigos! 

terça-feira, 7 de agosto de 2018

#Livros - Madrugada Suja, de Miguel Sousa Tavares


#Livros - Madrugada Suja, de Miguel Sousa Tavares

Sinopse

No princípio, há uma madrugada suja: uma noite de álcool de estudantes que acaba num pesadelo que vai perseguir os seus protagonistas durante anos. Depois, há uma aldeia do interior alentejano que se vai despovoando aos poucos, até restar apenas um avô e um neto. Filipe, o neto, parte para o mundo sem esquecer a sua aldeia e tudo o que lá aprendeu. As circunstâncias do seu trabalho levam-no a tropeçar num caso de corrupção política, que vai da base até ao topo. Ele enreda-se na trama, ao mesmo tempo que esta se confunde com o seu passado esquecido. Intercaladamente, e através de várias vozes narrativas, seguimos o destino dessa aldeia e em simultâneo o dos protagonistas daquela madrugada suja e daquela intriga política. Até que o final do dia e o raio verde venham pôr em ordem o caos aparente. 

Opinião

Depois da experiência tardia, mas fantástica, com o premiado Equador, mal podia esperar para ler mais obras de Miguel Sousa Tavares e perceber se tinha lançado uma obra de arte e apenas isso ou se valeria a pena continuar a acompanhar o seu percurso nos romances. E devo dizer que, se ainda me restavam dúvidas, elas ficaram completamente esquecidas e ultrapassadas depois da leitura deste livro.

O enredo não poderia estar mais distante do livro de época que foi Equador. Muito embora seja descrita a época da ditadura e do regime que se lhe seguiu, mas pelos olhos de uma aldeia do interior alentejano e dos seus habitantes, cada vez em menor número. No entanto, a maioria do enredo acontece na actualidade, com tráfico de influências, políticos locais corruptos e com tentativas de chantagem e até implicações em casos policiais.

Uma autêntica aventura com todos os ingredientes necessários para nos colar à trama do início ao fim. Devo dizer que, quando li a sinopse do livro, não esperava que se tornasse uma leitura tão interessante e impossível de parar. Uma prova de que, por vezes, a capa e a sinopse não fazem justiça à história que contém.

As personagens masculinas continuam a ser as mais interessantes e as mais ricas. Embora, também existam mulheres fortes e especiais, como a avó de Filipe, o autor coloca sempre como personagem heróica um homem. O carácter do protagonista é posto à prova e ele terá de mostrar se escolhe o caminho mais fácil e lucrativo ou o mais difícil e que irá provocar danos a si próprio e a outros à sua volta.

Tudo começa com uma noite de copos no clima estudantil que termina com um crime, sem que os intervenientes sejam chamados a responder pelo que aconteceu. Esse é o ponto de partida do livro mas vai muito para lá disso. Fala de lugares abandonados, de homens agarrados às suas raízes, de erros que custam caro e da incapacidade de perdoar e continuar a amar.

É uma história de pessoas que cometem erros e que, cedo ou tarde, pagam o preço pelo que fizeram. Trata os sonhos e a realidade com a mesma importância e destaque. Revela o lado negro que todos temos, boas e más pessoas. Os esqueletos no armário que, tradicionalmente, todas as famílias têm.

É todo um enredo complexo e simples ao mesmo tempo. Com histórias pueris e inocentes, bem como relatos obscuros de crimes, adultério e corrupção. Mais um excelente livro de um autor português que se afirma com todo o mérito e que, agora que o terminei, só me deixa com vontade de passar ao próximo, como é o caso do Rio das Flores. O único problema é que o livro encontra-se esgotado e só existem exemplares usados à disposição e, ainda assim, não são muitos.

Partilha com os teus amigos para que fiquem a conhecer mais um excelente livro e deixa o teu comentário também! Gostas dos livros de Miguel Sousa Tavares? Qual o teu favorito?

"Mas não adianta ir adiante: o tempo é que manda, ele é que sabe, desliza entre os dedos e os anos, apaga o que é próximo e ressuscita o que ficou longe. O tempo é que manda: é ele o único tirano invencível."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 30% de desconto e portes grátis. 

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

A Banda Sonora da Semana #20


A Banda Sonora da Semana #20 com um livro de Jorge Amado e uma sugestão musical

O que dizer deste mês de Agosto? Pela parte que me toca, mal posso esperar por ver o mês de Setembro e o aproximar das minhas últimas férias de 2018. O que depois destes loucos meses de horário de Verão e de pessoal a menos, irá saber como descanso divino. Só falta saber se irei conseguir escapar para algum lado nessa altura. Onde vais tu nestas férias?

Efemérides de 6 de Agosto


Dia da Independência da Bolívia
1881 - Nasceu Alexander Fleming, biólogo e farmacologista britânico. 
1928 - Nasceu Andy Warhol, artista e cineasta norte-americano. 
1660 - Morreu Diego Velázquez, pintor espanhol.
2001 - Morreu Jorge Amado, escritor brasileiro.

Independentemente de onde vais nas férias, com quem ou por quanto tempo, é impossível não levares pelo menos um livro para leres durante o período de descanso. Para algumas pessoas, é a única altura em que conseguem ter tempo para o livro que está encostado durante os longos meses laborais e que querem muito ler.

No entanto, se estás indeciso e não sabes o que deves ler neste Verão, porque não começar com o intemporal Jorge Amado? Aliás, no meu Top 10 de livros para ler nas férias encontra-se um livro de Jorge Amado que me parece uma excelente escolha para esta altura. No entanto, outros tantos poderia ser eleitos para esta época.

Poderia sugerir Gabriela, Cravo e Canela ou a célebre Tieta do Agreste, histórias sobre mulheres fortes e independentes. Só que, hoje, apetece-me sugerir um outro livro, com outra mulher como protagonista. Apetece-me sugerir, como leitura de Verão, o engraçado Dona Flor e seus dois maridos, que até serviu de inspiração para uma mini-série fantástica da Globo.

A Banda Sonora da Semana #20 com um livro de Jorge Amado, Dona Flor e os seus dois maridos

Também gostas de Jorge Amado? Qual o teu livro favorito desta autor brasileiro? 

Quanto à sugestão musical desta semana, trata-se de uma sugestão deixada nos comentários que, desse modo, passei a conhecer. Por isso, se queres partilhar uma música com todos nós, é o momento de deixares o teu comentário porque gosto muito de conhecer os teus gostos e preferências!


sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Uma noite com... #151


Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Uma noite com... #151 Tiago Nacarato


Uma noite com... #151 Tiago Nacarato

Tiago Nacarato
O talento para a música veio para ficar, mas que o rapaz é um verdadeiro gato ninguém pode negar!

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.