expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter

terça-feira, 28 de junho de 2022

#Livros - À Espera no Centeio, de J. D. Salinger

 

#Livros - À Espera no Centeio, de J. D. Salinger

Sinopse

A voz do seu protagonista, o anti-herói Holden Caulfield, encontrou eco nos anseios e angústias das camadas mais jovens, tornando-o numa figura icónica do inconformismo. Da mesma forma, os temas da identidade, da sexualidade, da alienação, e do medo de existir, tratados numa linguagem desassombrada e profundamente original, fizeram de The Catcher in the Rye um símbolo da contracultura dos anos 50 e 60. Mas, passados sessenta anos sobre a sua primeira publicação, vendidos mais de 65 milhões de exemplares em quase todas as línguas, e instituído marco incontornável da literatura mundial, À Espera no Centeio mantém toda a actualidade e a frescura da rebelião. 


Opinião

Este é um livro que se encontra esgotado em Portugal, e que só é possível encontrar procurando por exemplares usados ou em inglês, para os que conseguem ler nessa língua. Parece inacreditável que não tenha sido ainda lançada uma nova edição no nosso país, tal é a importância deste livro. Mal visto, por ser muitas vezes associado a assassinos e psicopatas, é um retrato da sociedade americana dos anos 50 e 60, que nos transporta para esse tempo, para esse lugar, para esse modo de estar e de ser dos jovens peculiares dessa época. 


O livro é escrito na primeira pessoa pelo nosso estranho protagonista, Holden Caulfield, um jovem que acaba de ser expulso de mais um colégio, após ter tido mau aproveitamento na maioria das disciplinas. A única onde tem boas notas sem grande esforço e com genuíno prazer é Inglês, tudo o resto é para ele um total aborrecimento e não tem qualquer espécie de vontade ou desejo de se esforçar, de agradar aos professores ou aos pais, nem tão pouco quer ser melhor aluno por orgulho ou ambição, ambos conceitos que a sua personalidade não alcança. 


Podes ler também a minha opinião sobre Coração das Trevas 


É escrito quase como se fosse um diário, que conta sobre os seus últimos dias antes de sair do colégio e antes de regressar a casa dos pais, a quem vai dar mais uma desilusão e onde teme o castigo que virá depois do fracasso. Pelas suas palavras ficamos a conhecer os seus colegas de quarto, alguns professores que o marcaram e foram importantes de alguma forma para si, e temos um retrato muito vívido dos seus irmãos, mais até do que dos seus pais. Como se estes últimos estivessem distantes de si, enquanto que os irmãos, mesmo o que morreu, fossem o mais próximo que alguém conseguiu chegar de si mesmo. 


"O que realmente me agrada é um desses livros que, quando estamos a lê-lo, gostaríamos que tivesse escrito por um amigo nosso a quem pudéssemos telefonar sempre que desejássemos. Mas isso é uma coisa que raramente acontece." 


Mas desengane-se quem pensa que estamos perante um rapaz burro ou idiota. Pelo contrário, é extremamente inteligente, com uma cultura acima da média, sobretudo se tivermos em conta a idade do Holden, com 16 anos apenas. No entanto, é preguiçoso, o que lhe dificulta muito a vida nas escolas por onde tem passado ao longo da sua educação formal. Além disso, logo no início, conta-nos que ele é um mentiroso compulsivo, que mente mesmo sem qualquer razão aparente. E é isso mesmo que acontece ao longo de todo o livro. Ao mesmo tempo que nos conta isto, conta-nos também episódios em que notamos claramente que estava a mentir para as pessoas sem sequer se tentar justificar ou esclarecer-nos. Isto sem contar com as inúmeras vezes com que nos deparamos com declarações contraditórias feitas por si mesmo. Num momento, por exemplo, está a dizer-nos que nunca se embebeda, por mais que beba, ficando apenas ligeiramente entorpecido, para passadas poucas páginas nos relatar uma bebedeira descomunal que apanha, com pormenores obviamente indicadores e que contradizem o que foi dito antes. 


Podes ler ainda a minha opinião sobre O Triunfo dos Porcos


A complexidade da obra e do seu protagonista é tal que muitas discussões foram tidas em torno deste livro, com gente a defender e outros tantos a atacar. Porque Holden critica e questiona tudo o que o rodeia, desde o sistema de ensino, à sexualidade dos jovens, passando pela hipocrisia e falsidades das pessoas no geral, às amizades que nunca são desinteressadas e verdadeiras. No fundo, não quer crescer e não aceita que terá de entrar na vida adulta, compactuando com as regras e a sociedade que despreza. É um livro escrito de forma simples, com a linguagem que seria própria de um adolescente da época, mas repleto de temas profundos e tantas referências literárias, que fazem pensar, que nos obrigam a colocar em causa tudo o que damos por garantido e certo, ao ponto de se tornar muito irritante. 


"Quando as pessoas sabem muito de literatura, levamos muito tempo até descobrirmos se são de facto estúpidas ou não."


Tudo se passa num curto espaço de tempo, a sua leitura é acessível e cativante, embora não vá explorar este título, tão controverso, e tão difícil de captar a sua essência. Em Portugal, chegou a ser traduzido como Uma Agulha no Palheiro, o que fazia com que se perdesse a mensagem e o entendimento da passagem que vai fazer luz sobre a expressão À Espera no Centeio, ou, como ficou no Brasil, O Apanhador no Campo de Centeio. No entanto, se ainda precisas de mais incentivos para leres este livro extraordinário do Salinger, podes ver os vídeos da Tatiana Feltrin e do Literatura Fundamental.


Conheces este livro icónico da cultura norte americana? Já leste? Que sensações te provocou? Conta-me tudo nos comentários! 


Podes adquirir o teu exemplar, se lês em inglês, através dos links abaixo, sem custos adicionais para ti, e contribuir para as próximas leituras deste blog


Wook | Bertrand | Book Depository 

quinta-feira, 23 de junho de 2022

#Review - ISDIN Ureadin Podos Gel Oil Hidratante

 

#Review - ISDIN Ureadin Podos Gel Oil Hidratante

Quanto mais conheço os produtos da ISDIN, mais rendida fico à sua qualidade e à sua eficácia. Hoje, venho te contar sobre um outro produto da marca que conheci no blog da Maça de Eva e que era recomendado por ela para tratar dos pés secos e gretados. Tudo o que experimentei, recomendado pela Ana, nunca desiludiu de forma alguma, por isso esta se trata de uma das minhas influenciadoras favoritas de sempre. 


O cuidado dos pés é algo muito importante, afinal sustentam o nosso peso e todas as horas que passamos em cima deles, é um grande esforço e por isso é preciso encontrar as melhores formas de os ajudar nessa missão. Especialmente, durante o Inverno, os meus pés ficam secos por passarem tantas horas fechados e a hidratação é essencial por razões de saúde, mas também estéticas, pois quando chega o Verão todos queremos andar a mostrar uns pés bonitos. 


Podes ler também sobre SVR Topialyse Stick Lábios Nutritivo


A embalagem deste creme milagroso tem 75 ml e deve ser aplicado duas vezes por dia, para pés secos e gretados e, quando os pés estiverem macios, pode ser aplicado uma vez por dia. Os resultados são visíveis passados poucos dias de utilização contínua e a sua eficácia é um caso sério, em comparação com tantos outros que já utilizei ao longo dos anos. Refiro-me ao creme da marca referida acima Ureadin Podos Gel Oil Hidratante.


#Review - ISDIN Ureadin Podos Gel Oil Hidratante

Promete reparação, hidratação e suavidade, promovendo uma acção esfoliante e nutritiva, retendo a água na pele para que esta fique realmente macia. Tudo graças à sua fórmula com 10% de ureia, ácido lático, ácido hialurónico e Bacillus ferment. Além disso, tem também uma acção calmante por causa da alantoína e do pantenol. O aroma é agradável e a sensação na pele é refrescante e muito confortável. A textura não é de todo gordurosa e de rápida absorção. 


Podes ler ainda sobre o Fotoprotector FusionWater SPF 50+


Pessoalmente, estou rendida às qualidades deste creme e não quero nenhum outro na minha rotina de cuidados e é por estar tão contente com os resultados deste produto da ISDIN que achei importante recomendar-te também que o conheças, experimentes e descubras os seus efeitos milagrosos. Que creme utilizas para os pés? Já conheces este da ISDIN? Conta-me tudo nos comentários. 

terça-feira, 21 de junho de 2022

10 Novidades para ler nas férias

 

10 Novidades para ler nas férias

O Verão começa hoje e é o momento certo para começar a pensar no que vais ler nas férias, isto se ainda não decidiste e planeaste. Para a maioria das pessoas, é o momento em que temos mais tempo para dedicar a este hobby e por isso é importante escolher com cuidado qual será a nossa companhia nos tempos de lazer mais prolongados. Procurei várias opções, dentro de diversos géneros literários, romances, clássicos que voltaram a ser editados, livros técnicos, biografias e até livros mais leves, que pretendem proporcionar um bom momento de entretenimento. 


Ou seja, procurei opções que possam servir de inspiração e ir ao encontro de todos os gostos, para que não inventes mais desculpas para não ler. Não defendo a ditadura do livro, não pretendo obrigar ninguém a fazer algo que não gosta, mas acredito sinceramente que quem diz não gostar de ler é apenas porque ainda não encontrou o livro certo para si, para o seu gosto, para o que procura. Aceitas o desafio? Aposto que vais encontrar aqui o livro certo para as tuas férias de Verão deste ano. 


1. A Falência, de Júlia Lopes de Almeida

Francisco Teodoro é um homem ambicioso à frente de um florescente negócio de exportação de café. Na busca de protagonizar um quadro social ideal, casa com a bela Camila, jovem de origens humildes, para com ela constituir família. Com o passar dos anos, a paixão de Teodoro continuará a ser o dinheiro; a de Camila, o dr. Gervásio. Acomodada ao conforto que o marido lhe providencia, mas totalmente alheia aos negócios do mesmo, é apanhada de surpresa quando, num revés do destino, a fortuna se eclipsa. 

Considerado um dos romances brasileiros mais emblemáticos do final do século XIX, A Falência expõe a decadência económica e moral de uma burguesia urbana hipócrita, dominada pelo machismo e incapaz de superar a sua dependência das estruturas esclavagistas que acabavam de ser abolidas. 

Uma obra lúcida e sagaz de Júlia Lopes de Almeida, ícone do modernismo brasileiro. 

Introdução de Alva Martinez Teixeiro


Wook | Bertrand


10 Novidades para ler nas férias - A Falência

2. A Mais Breve História da Rússia, de José Milhazes

Nação de proporções colossais ou continente? Luz do mundo ou terra condenada? Aliado da Europa e do Ocidente ou seu adversário mortal? Território de santos, czares, poetas, pintores, revolucionários e músicos, a Rússia é um enorme mistério que importa desvendar. Esconde uma história tão rica, antiga e diversa quanto desconhecida. 

José Milhazes, o grande especialista português da Rússia, propõe neste livro uma viagem fascinante que atravessa séculos e séculos da história, cultura e civilização russas, que começa nos povos eslavos vários séculos antes de Cristo e acaba na actualidade, com Putin. 

Nesta edição que inclui dezenas de fotografias e mapas - além de uma cronologia e de bibliografia aconselhada para quem quiser saber mais - fique a conhecer a geografia, os povos, as grandes figuras, efemérides e feitos desta grande nação em permanente devir. 


Wook | Bertrand


10 Novidades para ler nas férias - A Mais Breve História da Rússia

3. A Noite é um Jogo, de Camila Läckberg

Quatro amigos

Liv, Martina, Max e Anton são melhores amigos há anos. Na véspera de Ano Novo, estão mais do que felizes por passar a noite juntos - a beber, a namoriscar e a jogar. 

Quatro segredos aterrorizantes 

Mas cada um deles guarda um terrível segredo. E, quando um jogo de verdade ou consequência toma um rumo sombrio, não demora muito a emergir uma verdade chocante. 

Uma noite que terminará em assassinato 

Agora, os segredos já não o são. Nada mais será o mesmo. E nem todos viverão para ver chegar o novo ano...


Wook | Bertrand | Book Depository


10 Novidades para ler nas férias - A Noite é um Jogo

Podes ver também outras sugestões para ler nas férias

4. Apontar é Feio, de Joana Marques

«A humorista mais querida dos portugueses», disse ninguém sobre ela. Autora de uma rubrica de rádio de referência, que é também o podcast mais ouvido em Portugal, o Extremamente Desagradável, colunista da Visão, guionista do programa Isto é Gozar com Quem Trabalha e a jurada menos habilitada do programa de televisão Ídolos, Joana Marques partilha agora o seu bloco de notas com toda a gente. 

Apontar é Feio trata-se de um caderno com apontamentos que obedece à estratégia que Joana Marques sempre usou para tomar notas na escola: enquanto lá à frente o professor dava a matéria, ela ia escrevendo sobre assuntos irrelevantes. Em dias bons, porque nos outros fazia só um jogo do galo contra ela própria (e às vezes perdia). 

Nestas páginas, reflecte sobre temas tão importantes como compostagem humana, queijo comido às escondidas dos filhos, juízes sem juízo nenhum, sintomatologia do mau perder, neologismos das Spice Girls, festas da espuma, veados em Odivelas, o Ranger do Texas, um divórcio provocado por bananas, pijaminhas de sobremesas, viagens a Bali, lançamento de búzios, alinhamento de chakras ou a importância dos cheeseburgers no sucesso de Cristiano Ronaldo.


Wook | Bertrand


10 Novidades para ler nas férias - Apontar é Feio

5. Pessoa. Uma Biografia, de Richard Zenith

Fernando Pessoa é, a par de Luís de Camões, o maior poeta português. E é uma das figuras proeminentes do modernismo europeu, juntamente com escritores como Kafka, Joyce e Proust. O seu vastíssimo legado - da poesia, drama e ficção ao artigo de opinião e escrita mediúnica, cruzando e aprofundando inúmeros domínios do conhecimento (da literatura à religião, passando pela história, a filosofia, a astrologia e tantos outros) - tem vindo a ser progressivamente conhecido pelos leitores portugueses e de todo o mundo. 

Porém, o homem por detrás da extraordinária multiplicidade de vozes (os heterónimos e dezenas de outros autores ficcionais), e de uma das obras literárias mais complexas e ricas de todos os tempos, é quase um desconhecido. João Gaspar Simões, com a publicação da sua biografia em 1950, teve o grande mérito de reconhecer a importância de Fernando Pessoa numa altura em que o poeta ainda não era justamente apreciado. Mas a obra não se baseou numa pesquisa mais aprofundada e desde há muitos anos que se sentia a falta de uma obra biográfica de referência. 


Wook | Bertrand | Book Depository


10 Novidades para ler nas férias - Pessoa Uma Biografia

6. Empreender Sem Limites, de Filipa Maia

Durante quase toda a minha vida acreditei que era cientista. Racional, lógica e cética em relação a tudo. Depois percebi que podia ser criativa. Que gostava de outras coisas e que queria outro tipo de vida. 

O processo de desenvolvimento pessoal consiste em tornarmo-nos um, em integrar e incorporar tudo o que somos, naquilo que fazemos. Parece simples. Então porque demoramos tanto tempo a conseguir fazê-lo? E porque tantos passam uma vida inteira sem o conseguir fazer? 

Na maioria das vezes, o maior obstáculo ao nosso sucesso e à vida que sonhamos somos nós próprios. O medo de falhar, de perder tudo, o receio daquilo que os outros possam pensar, a paralisação de fazer escolhas, a insegurança sobre se somos suficientes e o medo de aparecer, de nos expormos. Também já estive aí. Eu senti todos esses medos, inseguranças, hesitações e dúvidas. A verdade é que, ao longo do meu caminho, fui aprendendo a ultrapassar todos estes bloqueios internos. 

Talvez já tenhas uma ideia de algo que gostarias de fazer, um projecto para mostrar ao mundo, criar um negócio, ou talvez até já tenhas começado o teu negócio, mas as coisas não estão a correr como imaginavas. 

Neste livro, Empreender Sem Limites convido-te a uma jornada interior, a mergulhar no mais profundo de ti e a enfrentar os medos e dúvidas que surgem a cada passo. Quero mostrar-te como podes ultrapassar estes bloqueios internos, perceber a sua origem e como funcionam. Começar a implementar passos práticos que te vão permitir ultrapassar esses obstáculos. 

Ao fazeres este caminho comigo vais finalmente ter a coragem para viver a vida à tua maneira, tomar decisões por ti, assumir o que queres, encontrar o teu alinhamento e magnetismo radiante, desenhar uma visão de futuro que te motiva, nutre e dá forças para avançar na jornada de criação do teu próprio negócio e ter o impacto que é suposto teres, nas pessoas à tua volta, na humanidade e no mundo. 

Vais finalmente tomar as rédeas do teu destino.


Wook | Bertrand


10 Novidades para ler nas férias - Empreender Sem Limites

7. Senhora do meu Destino, de Lesley Pearse

Esta é a história de três mulheres talentosas e lutadoras. 

É a história de Mabel, cujo amor por um homem viciado no jogo quase a leva à loucura. É a história de Amy, que se casa com um homem destruído pela guerra e pelos seus próprios fracassos. E é a história de Tara, que cedo decide quebrar o ciclo de miséria e violência da sua família. E tenciona fazê-lo através da moda, que a fascina desde criança. 

Para isso, Tara terá de lutar contra o legado que lhe foi deixado pela mãe e pela avó e enfrentar os perigos do popular bairro londrino onde mora e convive com gangues, patifes, comerciantes e mulheres frívolas. 

Mas a maior ameaça à realização dos seus sonhos pode vir de onde menos se espera: ela própria, sobretudo se não contrariar a avassaladora paixão que sente desde sempre pelo encantador - e terrível em igual medida - Harry Collins. 

Conseguirá Tara ser senhora do seu destino e viver de acordo com as suas regras? 


Wook | Bertrand


10 Novidades para ler nas férias - Senhora do meu Destino


8. Marketing Digital O Guia Completo, de Marco Gouveia

Marco Gouveia é um dos nomes mais relevantes do Marketing Digital em Portugal. 

Num mundo digital em constante crescimento, não basta ter um website e contas nas redes sociais para atrair clientes e seguidores. É cada vez mais importante ter uma forte presença online para se conseguir afirmar e ser uma referência. 

Em Marketing Digital O Guia Completo, Marco Gouveia reúne os conhecimentos adquiridos ao longo de quase duas décadas de experiência nas mais variadas áreas de negócio, oferecendo-lhe ferramentas fundamentais para aumentar a notoriedade e melhorar os resultados. 

Neste manual prático vai aprender tudo o que precisa sobre Marketing Digital: 

  • Definição de público-alvo e personas
  • Criação de landing pages e websites em WordPress
  • Marketing de conteúdo
  • Social Media Marketing
  • SEO (incluindo YouTube SEO)
  • SEA (incluindo Google Shopping)
  • Digital advertising 
  • Email marketing e Marketing automation 
  • Marketing de influência
  • Web analytics (incluindo Google Tag Manager e Data Studio) 
Aprenda de forma simples e eficaz todas as competências digitais necessárias para criar uma estratégia online de sucesso. 
Este livro reforça claramente o seu estatuto de referência incontornável do Marketing Digital e é um manual obrigatório para quem hoje em dia procura conhecer de forma mais rigorosa e detalhada este universo digital. 


10 Novidades para ler nas férias - Marketing Digital O Guia Completo

9. Rei do Bluff, de Afonso Noite-Luar


Quando Camila chega a uma ilha paradisíaca para festejar a despedida de solteira de uma amiga, conhecer alguém não é prioritário. Só que Eduardo vai mudar rapidamente as regras do jogo. Sensual, algo enigmático e com uma autoconfiança arrebatadora, é um homem poderoso que enriqueceu graças à sua astúcia nos jogos de azar. Não está habituado a perder. E quer que Camila seja sua. 

O autor bestseller Afonso Noite-Luar está de regresso com um novo romance erótico que vai romper preconceitos e atirar os leitores para um universo glamoroso e envolvente onde nenhuma fantasia fica por concretizar. 


10 Novidades para ler nas férias - Rei do Bluff

10. Zelensky, de Andrew L. Urban e Chris Mcleod 


A 24 de Fevereiro de 2022, o presidente russo lançou aquilo a que chamou uma «operação militar» para invadir a Ucrânia. O objectivo era que a invasão se concretizasse rapidamente e sem oposição. No entanto, interpondo-se firme no seu caminho, encontrou Volodymyr Zelensky, o popular comediante que se tornara o presidente improvável da Ucrânia apenas três anos antes. As ofertas para abandonar o seu país foram céleres, mas ao contrário do que muitos esperariam deu uma resposta que perdurará no tempo: «Preciso de munições, não de uma boleia.»

Zelensky é actualmente o líder inesperado de uma geração, cuja força reuniu cidadãos comuns para defenderem as suas casas, saírem para a rua e lutarem pela sua independência. Mas quem é ele? Como adquiriu as suas capacidades de liderança? Porque é que entrou na política? Que ideologia defende? E como é que se transformou no grande herói do nosso tempo? 

Zelensky - O Herói Improvável oferece-nos a história do líder ucraniano, desde a infância, passando pela família e não esquecendo a surpreendente trajetória pública, de personalidade televisiva a primeiro presidente judeu da Ucrânia, revelando-nos todos os altos e baixos que moldaram o maior protagonista do actual panorama mundial, o homem que uniu o seu povo e o mundo inteiro sob uma única bandeira. 


10 Novidades para ler nas férias - Zelensky

Pessoalmente, já tenho cá em casa o livro do Marco Gouveia e a biografia de Pessoa, que conto ler durante as férias. E tu, o que achaste destas sugestões? Já decidiste o que vais ler este Verão? 

quinta-feira, 16 de junho de 2022

#Filmes - Top Gun Ases Indomáveis

 

#Filmes - Top Gun Ases Indomáveis

Sinopse

Uma formidável e palpitante combinação de acção, música e uma incrível fotografia aérea, fizeram de Top Gun um arrasador sucesso de 1986. Top Gun mostra o perigo e a emoção que aguardam cada um dos pilotos da prestigiada escola de aviação de caça da Marinha. Tom Cruise está soberbo como Maverick Mitchell, um ousado jovem piloto que pretende tornar-se o melhor entre os melhores. Kelly McGillis está estonteante como a instrutora civil que ensina a Maverick algumas coisas que não se aprendem numa sala de aula. 


Opinião 

Como qualquer pessoa que tenha vivido nos anos 90 e 2000, vi vezes sem conta o icónico filme Top Gun, de 1986, com a estrela em ascensão, Tom Cruise.  Era uma presença recorrente nas sessões da tarde dos canais abertos em Portugal e acredito que tenha marcado uma geração de jovens por todo o mundo. Faz parte da geração de ouro do Cinema dos anos 80, que fez escola e deixou uma marca profunda, tornando-se até intemporais. O sucesso foi tanto que, passados mais de trinta anos, estamos perante o regresso de Top Gun, com uma sequela que promete ser épica. 


Como tal, devido a este regresso e como pretendo ver o novo filme numa sala de Cinema, optei por antes rever o filme original, o primeiro, o que conta os acontecimentos que certamente darão o mote para o que agora chegou. E que bela viagem no tempo que foi rever Top Gun e o belo do Tom Cruise na flor da juventude, belo e perfeito como só os jovens conseguem ser. Se não fosse por mais nada, já valeria a pena pelo festival de beleza masculina que se pode ver ao longo de todo o filme. 


Podes ler também a minha opinião sobre Barry Seal


Mas, felizmente, não é só isso que nos traz este filme. Temos a adrenalina proporcionada por todos os aviões que estão constantemente a aparecer, com treinos exigentes, acrobacias entusiasmantes e alunos ambiciosos que parecem dispostos a tudo para ocupar um lugar na elite aérea dos Estados Unidos. Tem também romance, dos mais irresistíveis, que são os proibidos, e que apimenta a história de um modo extraordinário. O romance entre o jovem piloto e a sua instrutora é delicioso, com constantes desafios de parte a parte, muita sedução, que culminam numa paixão desenfreada, que pode colocar em causa a carreira de ambos. 


#Filmes - Top Gun Ases Indomáveis

Estamos a falar de um filme que não se compara aos que hoje se fazem, com tudo o que os avanços tecnológicos permitem, efeitos especiais, inteligência artificial e coisas que tal. Mas acredito que é precisamente nisso que reside o charme de Top Gun, a sua fórmula despretensiosa, focada nos efeitos que só uma boa realização consegue, com uma fotografia de bom gosto, onde o protagonismo está nos homens e nas máquinas e, em especial, na relação entre ambos. As cenas de acção são old school e remetem para as histórias tão próprias dos anos 80 e que fascinaram toda uma geração, onde me incluo, ainda que posteriormente. 


Podes ler ainda a minha opinião sobre O Casamento do meu Melhor Amigo


É uma experiência assistir a este tipo de filme, a este Cinema que era feito noutros moldes, com propósitos tão diferentes dos actuais. Entretenimento puro, mas bem feito, bem executado. Depois de ter revisto pela milésima vez, passados tantos anos desde a última, fico com a impressão de que será muito provável que o novo Top Gun irá ter um trabalho árduo para reproduzir este sucesso, para regressar a uma fórmula de sucesso que, nos últimos anos, ninguém conseguiu recuperar. Depois temos grandes estrelas que abrilhantaram este filme e que, nos anos seguintes, construíram uma carreira extraordinária em Hollywood, como Tom Cruise ou Meg Ryan. 



Será que serão capazes de reproduzir este sucesso? É verdade que a bilheteira indica que Top Gun Maverick é já um êxito estrondoso e as críticas que tenho lido são muito positivas, mas as expectativas estão altas e preocupa-me que possa ser uma decepção, de algum ponto de vista. O que nos espera com este regresso passados tantos anos? Será espectacular como queremos? Será que um Tom Cruise tão mais velho conseguirá manter o seu lugar de protagonista, de galã apaixonante e desejável? 


Agora, conta-me nos comentário: conhecias o filme de 86? Vais ver o novo Top Gun no Cinema? Acreditas que vale a pena? 

terça-feira, 14 de junho de 2022

#Livros - Os Meus Problemas, de Miguel Esteves Cardoso

 

#Livros - Os Meus Problemas, de Miguel Esteves Cardoso

Sinopse

«As crónicas aqui reunidas são de tal forma extraordinárias que é difícil escolher a melhor. Li Os Meus Problemas de ponta a ponta, acabando por nomear dezoito. Após várias releituras, consegui atribuir o prémio a «A Felicidade». Os motivos que me levaram à escolha são variados, mas julgo que o factor decisivo foi o ter descoberto que existia alguém na minha pátria com a ousadia suficiente para se declarar feliz. Os portugueses de quem o Miguel nos fala são analisados com ternura, o que exige um tipo de prosa diferente da usada pelos intelectuais lusos obcecados com a questão da identidade nacional. Ele nunca teve de viver dentro de um labirinto da saudade, não foi obrigado a sentir medo de existir, nem se entregou à autoflagelação. 

A certa altura, o Miguel conseguiu escapar ao destino de um professor catedrático para se instalar na menos prestigiada profissão de jornalista. Foi uma escolha acertada. Nos jornais é hoje clara a divisão entre a época pré-MEC e a pós-MEC. Por outro lado, o que escreve sobrevive ao tempo, o que deve estar ligado ao facto de nunca se ter interessado pela conjuntura política. O que o fascina é o quotidiano.»

Do prefácio de Maria Filomena Mónica


Opinião

Penso que não exista português que não conheça Miguel Esteves Cardoso e as suas crónicas famosas e icónicas, que muitas vezes até aparecem partilhadas nas redes sociais, tal é o impacto que provocam nas pessoas. Pela minha parte, confesso que conhecia maioritariamente as suas crónicas relacionadas com a sua mulher, paixão da sua vida, que transmitem uma profundidade de sentimentos que me deixam até atordoada e me fazem por em causa o meu cinismo crónico. 


No entanto, confesso que estava curiosa para ler mais, de tanto que exaltam as suas qualidades enquanto cronista, e a diversidade de temas que aborda. Por isso, quando encontrei este exemplar de Os Meus Problemas, livro de crónicas publicadas nos anos 80, à venda por um preço impossível de ignorar, soube que tinha de ser meu. Inicialmente, não sabia este pormenor da data de publicação tão antiga das crónicas aqui reunidas, e quando soube fiquei a pensar que talvez não fosse a melhor escolha. Afinal, muitos anos se passaram, e os temas poderiam estar datados ou desactualizados. Não poderia estar mais equivocada. 


Podes ler também a minha opinião sobre Livro do Desassossego


Não encontrei uma única crónica que não fosse possível ler hoje, nos dias que correm, e que não fizesse sentido, tanto quanto deverá ter feito nos anos 80. Primeiro, destaco a forma brilhante, inteligente e sedutora como Miguel Esteves Cardoso escreve, que nos transporta para o seu mundo, ou melhor, para a sua visão de mundo. Com o seu jeitinho muito seu, faz-nos pensar sob o seu ponto de vista e damos por nós, mesmo em situações em que não era suposto concordar, a assentir, a compreender e até a dar-lhe razão. 


"As pessoas sozinhas, que esperam, que sabem o que é a solidão, no que ela tem de bom e no que ela tem de mau, são muito mais desejáveis do que as pessoas super-aderentes que andam de amante em amante, de amigo em amigo, «só para não estarem sozinhas»."


Os temas estão centrados nos sentimentos, nas emoções, nos relacionamentos interpessoais, mas também na peculiaridade do ser português, nas características que partilhamos enquanto povo. Talvez por isso sejam tão intemporais, pois são temas que não passam de moda, nem mudou assim tanto a forma como nos relacionamos, como sentimos e como somos portugueses, passados mais de trinta anos. Durante a leitura, damos por nós a sorrir, a soltar uma gargalhada, a esboçar um ar céptico ou descrente e, como bónus extra, também é possível que nos faça pensar e repensar a vida ou o amor ou os portugueses. 


Podes ler ainda a minha opinião sobre A Célula Adormecida


São mais de quarenta crónicas, onde a política também ocupa o seu lugar, ou não fosse o Miguel também conhecido pela crítica nessa área. Recordo-me particularmente dos seus tempos no icónico A Noite da Má Língua, programa que fez história na SIC e que ganhou recentemente um podcast, embora o autor não se tenha reunido ao painel neste reencontro. Achei especial piada à crónica sobre os PALOPs, que me pareceu tão actual que poderia ter sido escrita ontem, que não ficaria melhor. Será pela escolha dos temas políticos que foram incluídos nesta coletânea? Ou será que em Portugal tudo sempre acaba por girar em torno do mesmo? 


"Os portugueses gostam das vitórias, mas não dos vencedores, da mesma maneira que odeiam as derrotas mas têm um fraquinho pelos derrotados. Olham para os vencedores e sentem um bocadinho de inveja. Olham para os vencidos e sentem um bocadinho de culpa." 


Pessoalmente, adorei a experiência de ler um livro de crónicas e, em especial, do grande Miguel Esteves Cardoso, que continua a não me desiludir. Agora, o objectivo é conseguir reunir todos os seus livros e transformá-lo num dos autores especiais da minha vida, aqueles que procuro ler um livro por ano, todos os anos sem falta. Já segues o trabalho do Miguel? Qual o teu livro favorito do autor? Qual recomendarias que leia em seguida? Conta-me tudo nos comentários! 


Podes encomendar o teu exemplar através dos links abaixo, sem custos adicionais para ti, e assim contribuir para as próximas leituras deste blog


Wook | Bertrand

Subscreve a Newsletter