expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

terça-feira, 3 de julho de 2018

#Livros - O Amante da Rainha, de Philippa Gregory



Sinopse

Numa época em que a segurança de um país não era um dado adquirido e em que a Europa vivia em clima de guerra quase permanente, Isabel sucede ao trono da Inglaterra sob ameaça de inimigos internos e externos. A situação agrava-se quando se apaixona pelo ambicioso Robert Dudley, um dos homens mais odiados do país. Ambos não parecem dispostos a abdicar da sua paixão, mas a segurança da Inglaterra torna-se precária.

Numa fase conturbada da história da Inglaterra, em pleno século XVI, com a Europa mergulhada em sangrentas guerras entre católicos e protestantes, Isabel, a princesa protestante, sucede à sua irmã Maria, a católica. Para conquistar o equilíbrio do poder, Isabel terá de se haver com os inimigos externos, nomeadamente a Escócia e a França. 

No entanto, Isabel é uma rainha ainda jovem e com sede de atenção e de amor. Robert Dudley, saído do cativeiro da torre de Londres sabe disso e a precariedade da prisão não lhe impediu uma ambição sem limites. A antiga amizade com a causa de Isabel transformar-se-á numa tórrida paixão, contudo cheia de obstáculos, a começar pelo casamento de Robert com Amy, sua jovem mulher. Amy, por sua vez, o que mais deseja é uma vida tranquila, fora do bulício da corte, em conjunto com o seu amado esposo. Porém, este tem outros objectivos de vida. 

Opinião

Cada vez estou mais rendida à autora Philippa Gregory e ando numa busca intensiva por todos os livros publicados em português. Alguns, infelizmente, estão esgotados e tenho de procurar usados. Porém, devo informar-te que, entretanto, foi publicado, em Junho, um livro novo, Três Irmãs, Três Rainhas que já se encontra na minha lista de desejos.

Este livro que hoje te trago, O Amante da Rainha, situa-se no início do reinado da famosa rainha inglesa, Isabel I, que se revela muito atribulado e polémico. Ficamos a conhecer as polémicas que rodearam a princesa protestante ainda durante o reinado da sua irmã católica e a forma como dividiu as opiniões dos seus súbditos quando passou a ser a herdeira do trono.

As constantes mudanças durante os reinados anteriores só permitiram que a confusão se instalasse e fosse crescente nos anos que se seguiram. A estabilidade pela qual é conhecida só veio mais tarde, porque no início tudo estava muito confuso e tumultuoso. Durante o livro ficamos também a conhecer as suas crises nervosas e o seu profundo medo de tomar decisões.

Talvez por ser uma mulher a reinar sobre homens, ou ao facto de ter crescido sob ameaças de morte, o que é certo é que esta rainha tinha muito medo de não estar à altura e, pior do que isso, que os outros descobrissem que não era capaz de seguir as pisadas do seu pai. As suas fragilidades são sempre ocultadas da maioria, para que acreditem que existe uma rainha forte e capaz a decidir o futuro da Inglaterra.

Por outro lado, é interessante imaginar Isabel, que ficou conhecida como a rainha virgem, apaixonada por um homem e completamente seduzida e à sua mercê. Apesar de nunca se ter confirmado o grau de envolvimento entre Isabel e Robert Dudley, é inegável a proximidade que existia entre ambos a ponto de ter sido considerado um dos candidatos para casar com a rainha e, mesmo não casando, nunca deixou de estar próximo e de ser um favorito e protegido da sua princesa protestante.

A mulher que mais pretendentes enganou e deixou pendurados, terá tido os seus motivos para se manter solteira e não providenciar um herdeiro directo para o seu trono. Claro que a existência de um herdeiro declarado e oficial, colocaria a sua vida em risco e o seu lugar como rainha estaria ainda mais comprometido. No entanto, não consigo deixar de imaginar que poderá ter decidido manter-se solteira porque o seu coração já tinha um dono e não pretendia trair os seus sentimentos.

Como sempre, somos arrastados para uma das épocas mais interessantes da História do Reino Unido e percorremos os corredores de um dos reinados mais famosos, o de Isabel I, a rainha virgem. Pela pesquisa de Gregory ficamos a conhecer muitos factos reais e com ela também imaginamos o que a História não contou. É uma viagem deliciosa e intensa que vale sempre a pena.

Para quem gostou dos filmes sobre o reinado desta senhora, tenho a certeza de que irão gostar ainda mais deste livro e vão dar por bem empregues o dinheiro e o tempo que ele exige. Deixa o teu comentário, conta-me se já conheces o trabalho desta autora e qual o teu livro favorito de Philippa Gregory!

"Nasci e fui educado para ser um dos homens mais importantes do país, se não o maior. Fui criado com os filhos do rei, como seu igual. Não posso ficar a apodrecer num campo húmido, em Norfolk."

O Amante da Rainha encontra-se esgotado na Wook, mas podes encontrar a versão inglesa na Book Depository, com 12% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. Se quiseres fazer como eu, podes aproveitar as dicas para comprar livros ao melhor preço.

Outros livros de Philippa Gregory com opinião publicada no blog: 


Duas Irmãs, Um Rei
A Herança Bolena

4 comentários:

  1. Nunca li nada desta autora, mas já vi que tens lido imensos livros dela e agora até fiquei curiosa e vou ter de arranjar forma de ler pelo menos um! =P
    Andas a requisitar na tua biblioteca?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para mim, é a rainha do romance histórico e já não lhe resisto! Quero ter todos!
      Portanto, respondendo à tua pergunta, não tenho requisitado na biblioteca porque são tão bons que tenho de ter a colecção completa. Mas para quem quer começar e ainda não sabe ao que vai, requisitar na biblioteca pode ser a melhor opção ;)

      Eliminar
    2. A rainha do romance histórico, a sério??
      Fogo, sendo o meu género literário favorito, não sei como nunca li! :O
      Vou já remediar a situação mal possa! ;)

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!