expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

domingo, 28 de abril de 2019

#Livros - Giuseppe Garibaldi, Memórias Autobiográficas


#Livro - Giuseppe Garibaldi, Memórias Autobiográficas

Sinopse

Giuseppe Garibaldi nasceu em Nice, em 1807, numa família ligada à actividade marítima. Impulsionado pelas suas ideias políticas e sociais avançadas e imbuído de um fervoroso patriotismo, desde cedo se envolve na política, ligando-se ao movimento a favor de uma Itália unida. Comprometido em conspirações, acaba exilado na América do Sul onde conhece Ana Maria Ribeiro da Silva, Anita Garibaldi, que se torna sua companheira de armas e de vida. No Brasil e no Uruguai, no mar e em terra, combate ao lado de movimentos de inspiração republicana e liberal, ganhando uma excepcional experiência de liderança e militar. No regresso a Itália, em 1848, somando êxitos decisivos, empenha-se directamente, sempre com tropas de voluntários, nas guerras que conduzem à unificação italiana. Morre em 1882 na ilha de Caprera, onde reviu as suas memórias autobiográficas.

A excepcional vida de Garibaldi e os seus feitos foram de tal monta que ganhou não só uma enorme admiração dos seus compatriotas, como também o seu nome retumbou por muitas partes do mundo. As presentes memórias autobiográficas, escritas na primeira pessoa, são uma oportunidade única de ler o relato de uma vida rara, plena de aventuras caracterizadas por uma coragem sobre-humana, dedicada a uma luta sem tréguas em nome da liberdade e que fizeram do seu autor uma das figuras chave do ressurgimento e unificação italiana.

Opinião

Depois de ter lido o romance sobre a vida de Anita Garibaldi, descobri que a Autobiografia do próprio Garibaldi seria lançada novamente em Portugal e tinha de a ter na minha estante. Aliás, fiz questão de deixar como sugestão numa Banda Sonora da Semana este mesmo livro de que hoje te venho falar, tal era o meu entusiasmo pelo dito.

Gentilmente, as Edições Sílabo enviaram-me este livro para que o lesse e partilhasse a minha opinião sincera, coisa que sempre faço com todo o gosto e respeito por quem me lê. Este é um livro longo, com imensos pormenores técnicos, militares e políticos. No entanto, também nos é apresentado o lado humano do homem, da sua infância e da sua juventude, e dos ideais que com ele foram crescendo desde tenra idade.

Ficamos a conhecer o início de vida em Nice e os acontecimentos que o levaram para a América onde se destacou na luta pela sua amada liberdade no Brasil e no Uruguai. Além de ter aprendido novas formas de combater, conhecer grandes figuras do seu tempo e de se admirar com a coragem dos sul americanos, ainda teve tempo para se apaixonar e reconhecer em Anita a companheira feita à sua imagem e semelhança.

É tal a sua importância na vida de Garibaldi que é a única mulher que menciona nas suas memórias, apesar de ter deixado corações partidos por todos os portos por onde passou. Em Anita encontra uma mulher feita à sua medida, capaz de o acompanhar nas duras batalhas, combater ao seu lado e apaixonada pelas mesmas causas que ele. A tristeza pela perda da mulher da sua vida e a culpa que sente percebem-se sempre que escreve sobre ela.

No entanto, o grande foco destas memórias são as batalhas e os cenários políticos que impedem a sua Itália de se unificar e se tornar no país livre dos seus sonhos. É esse o seu grande objectivo e pelo qual combate até ao fim. Tudo o que aprendeu nos países onde viveu, é utilizado em prol da sua pátria. Com todos os seus feitos heróicos, com toda a experiência que acumulou nos longos anos a comandar voluntários, a sua humildade é inacreditável e é o que mais me surpreendeu.

Ao longo do seu texto, desdobra-se em agradecimentos e a prestar homenagens aos companheiros, nunca ficando com os méritos dos feitos alcançados, mas partilhando com todos os que fizeram parte da sua jornada. Os vivos e sobretudo os mortos não são esquecidos, ainda que os seus nomes se tenham desvanecido e Garibaldi guarde apenas uma memória vaga dos seus rostos.

Para quem tenha conhecimentos ou interesse por estratégia militar, este é certamente um relato fascinante e repleto de pormenores, escrito na primeira pessoa, por um homem que esteve presente e assistiu e participou nas batalhas nos mais diversos lugares, com as condições mais adversas, sem nunca perder o foco na vitória. Para os leigos, como eu, por vezes, os relatos tornam-se demasiado exaustivos, muito embora as notas de rodapé, sejam as escritas pelo tradutor como as escritas pelo próprio autor, forneçam uma grande ajuda na compreensão dos aspectos mais técnicos.

Todo o fascínio que tem crescido em mim em torno deste herói italiano, fruto de romances históricos e séries televisivas, não sofreu qualquer dano depois da leitura das suas memórias, pois o próprio revela-se tão fascinante e apaixonado quanto tem sido retratado na ficção. Provavelmente, porque todos foram beber às suas palavras para criar o retrato do homem por trás do herói.

Assim, além da minha opinião que é a melhor sobre este livro, este deverá ser mais um motivo para dares uma oportunidade a este género literário e abraçares as memórias autobiográficas do herói italiano, Giuseppe Garibaldi. Parece-te uma boa ideia? Costumas ler biografias? 

"A minha Anita era o meu tesouro, não menos entusiasta do que eu pela sacrossanta causa dos povos e por uma vida aventurosa. Encarava as batalhas como uma espécie de jogo e os incómodos da vida como um passatempo. Consequentemente, qualquer que fosse a situação, o futuro sorria-nos em tons de felicidade, e, quanto mais selvagens se apresentavam os vastos desertos americanos, mais deliciosos e belos nos pareciam."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto imediato e portes grátis. 

terça-feira, 23 de abril de 2019

Primeiras Impressões no Tinder


Primeiras Impressões no Tinder

O mundo anda de cabeça para baixo e o mundo das relações está um caos digno de qualquer génio capaz de encontrar uma solução que facilite este processo. As televisões estão a tentar ganhar com esta trapalhada, tal como a Internet fez antes dela. Muito embora acredite que a segunda tem muitas mais vantagens, o deslumbramento que a fama traz faz com que, por estes dias, a televisão dê tanto que falar. 

A verdade é que, a cada dia que passa, fica mais difícil conhecer pessoas e a missão torna-se mais complicada se pedirmos por pessoas interessantes e que acrescentem algo positivo às nossas vidas. O mercado tem muito pouco por onde escolher ou então a malta anda muito pouco sociável, pelo menos quando se trata de aproximações directas e cara a cara.

Podes gostar de ler Porque não tens namorado?

É por isso que decidi dar uma oportunidade à mais famosa aplicação deste género, o Tinder. Afinal, o mundo inteiro fala dela e do que por lá se passa. Logo, pessoa curiosa que sou, tinha de descobrir por mim própria o motivo de tanto sucesso. E, deste modo, descobri todo um novo mundo para explorar. Percebi o potencial desta aplicação, algumas das razões para o seu sucesso e bastantes problemas em alguns dos perfis apresentados. 

O potencial reside no eterno problema que pessoas adultas encontram em determinado ponto das suas vidas que é: onde se conhecem pessoas novas? Esta lacuna é muito bem preenchida por uma aplicação como o Tinder, que nos coloca em contacto com pessoas mais ou menos próximas geograficamente, conforme preferirmos engates perto ou longe de casa.

Primeiras Impressões no Tinder

Claro que o grande factor de sucesso e que a diferencia das outras é a forma intuitiva com que funciona, permitindo apenas o contacto quando as duas pessoas estão interessadas, de forma simples e descomplicada. Podemos decidir com base apenas nas fotos ou explorar um pouco mais o perfil dos utilizadores antes de tomar uma decisão.

Podes ler também Onde engatar em 2018?

O grande problema surge quando se passa demasiado tempo na aplicação e se começa a analisar com mais atenção os perfis de algumas almas que por lá andam. Gostava tanto de perceber o que acham que andam a fazer e que resultados pensam obter com uma estratégia patética e infantil que me causa estranheza que sejam capazes de persuadir uma única mulher a deslizar para a direita.

No entanto, penso que esta divagação pelos erros mais encontrados em perfis no Tinder deverá ter lugar num post próprio e onde poderei argumentar mais e melhor, pois não é coisa para se comentar logo nas primeiras impressões, não te parece? Quem gostaria de ler um post com os erros mais encontrados nos perfis do Tinder ponha o dedo no ar, que é como quem diz, deixe o seu comentário, sim? 

Posto isto e voltando às minhas primeiras impressões sobre o Tinder, devo dizer que fiquei com uma excelente opinião sobre esta aplicação e compreendi porque se tornou líder a nível mundial. Gostei tanto que pretendo continuar a utilizar, não só para ser capaz de elencar todos os erros nos perfis, mas pelo puro prazer de encontrar gente interessante nas redondezas.

Agora conta-me tudo, também já te rendeste aos encantos do Tinder? Que opinião tens sobre este tipo de aplicação para encontros? 

segunda-feira, 22 de abril de 2019

A Banda Sonora da Semana #47


A Banda Sonora da Semana #47 com uma biografia acabada de lançar em Abril e uma grande música interpretada por duas das melhores vozes portuguesas da sua geração

Ainda estou viva, gente! A vida continua a interpor-se, sem aviso prévio, e fica difícil conciliar as obrigações às quais não podemos fugir com os imprevistos agradáveis que têm surgido. A somar a isto tudo ainda tivemos a Páscoa para complicar ainda mais a vida da malta. No entanto, serviu para tentar acertar o calendário e voltar às publicações de forma um pouco mais regular. Será que serei capaz? 

Efemérides de 22 de Abril


Dia da Terra
1500 - O navegador português Pedro Álvares Cabral torna-se oficialmente o primeiro europeu a chegar ao Brasil. 
1451 - Nasceu Isabel I de Castela. 
1724 - Nasceu Immanuel Kant, filósofo alemão. 
1994 - Morreu Richard Nixon, 37.º presidente dos Estados Unidos. 

A Banda Sonora da Semana #47 com uma biografia acabada de lançar em Abril e uma grande música interpretada por duas das melhores vozes portuguesas da sua geração

Está visto que ando mesmo muito voltada para as biografias, género literário que tem ganho novo vigor com tantas edições recentes sobre figuras tão fantásticas de todas as áreas, que chegam para interessar seja qual for o teu gosto ou preferência. Este mês, foi lançada a biografia de Friedrich Nietzsche, Eu sou Dinamite!, que foi directamente para a minha lista de desejos e que espero agarrar em breve. 


Não me canso de elogiar a incrível Marisa Liz e esta versão com a Raquel Tavares é simplesmente espectacular. Já era fã destas duas e esta música só me veio confirmar o seu talento e sensibilidade. A prova de que é possível criar bons momentos nos programas de TV no day time. Que me dizes desta versão? 

segunda-feira, 8 de abril de 2019

A Banda Sonora da Semana #46


A Banda Sonora da Semana #46 com um livro solidário e música dos Imagine Dragons

Começo por pedir desculpa por esta ausência mais prolongada e inesperada que me fez ficar afastada destas paragens por demasiado tempo. Era suposto ter sido só uma semana, mas a vida acontece e acabou por se transformar em duas semanas. E é com esforço que não permito que se prolongue por mais tempo ainda. Esforço que existe pelo meu desejo de manter este espaço vivo e aqui debitar o que tenho para dizer ao mundo e a ti em particular. 

Independentemente de 2019 se estar a transformar num ano agitado e com tudo a acontecer ao mesmo tempo, não quero deixar de lado este projecto que tantos dias felizes me deu, pessoas interessantes trouxe para a minha vida e me relembra o que verdadeiramente gosto de fazer que é escrever. Assim, vamos lá iniciar mais uma semana com as sugestões possíveis que pretendem inspirar. Vens comigo?

Efemérides de 8 de Abril 


Dia Mundial da Luta contra o Cancro
1513 - O explorador Ponce de León declara a Florida um território de Espanha. 
1320 - Nasceu D. Pedro I de Portugal. 
1938 - Nasceu Kofi Annan, político ganês. 
1973 - Morreu Pablo Picasso, pintor espanhol. 

A Banda Sonora da Semana #46 com um livro solidário e música dos Imagine Dragons

Depois da tragédia que se abateu em Moçambique, a Porto Editora e a Fundação José Saramago irão lançar, no dia 12 de Abril, este livro do grande José Saramago, cuja receita reverte para ajudar o povo moçambicano nesta hora tão difícil. Trata-se de O Conto da Ilha Desconhecida e já se encontra em pré-venda, portanto não existem desculpas para não ajudares, certo?


E para música da semana temos um hit que não sai dos primeiros lugares em todas as tabelas e que me agrada de verdade. Também és fã dos Imagine Dragons?