expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

#Livros - O Sentido das Palavras, de Isabelle Fochier



Sinopse
A primeira vez... o primeiro amor... o primeiro perdão.
E se todos beneficiássemos da oportunidade de retroceder no tempo, e reviver momentos de outra maneira?
A complexidade das escolhas na idade das incertezas. 

Brian Russel é um adolescente de dezassete anos, que vive em perfeita harmonia com os pais, Christopher e Laura, e uma irmã mais nova, a Emma. 
O entendimento entre todos é perfeito, o percurso académico de Brian é idêntico, com o sonho de seguir as pegadas do pai e ingressar na universidade de engenharia. 
Quando conhece Marie Benoit, quase fruto de um acaso, a paixão entre ambos nasce instantaneamente. O que poderia ser uma simples história entre adolescentes banais, rapidamente se revela muito mais intensa e também preocupante, pois quando Marie engravida e escolhe uma saída, que a seus olhos é a melhor para o momento, as suas vidas vão precipitar-se numa sucessão de problemas graves. 

Que consequências surgem na vida de todos, quando se opta pelas soluções mais simples?
Até onde aguenta um cérebro sobrecarregado, quando sente que a vida lhe escapa por entre os dedos?
E como pode o pai, libertar o filho e deixá-lo à deriva, quando o seu próprio passado tem uma história carregada de intensidade, perigo e mentira?

Opinião
Antes de mais, tenho de agradecer à Chiado Editora, que gentilmente me cedeu este livro que tanto queria ler. Já todos conhecem a minha curiosidade mórbida, e não podia dormir descansada, depois de ler O Peso de um Segredo e descobrir que existia um outro livro que acompanhava a vida dos mesmos personagens, alguns anos depois. Não era possível ignorar que existia mais coisas para descobrir e, portanto, tive mesmo de me agarrar à sequela que, na verdade, foi publicada primeiro. 

Ao contrário do que seria de esperar, para mim fez todo o sentido começar pelo livro anterior, pois ajudou-me imenso a entender com muito mais clareza todas as referências que estão implícitas, por vezes, em pequenos pormenores, aparentemente insignificantes. Ou seja, permitiu-me compreender esta história e, especialmente, as consequências para todos os membros desta família invulgar e os seus sentimentos perante os acontecimentos. 

Já tinha acontecido, de forma ligeira com O Peso de um Segredo, mas foi radicalmente acentuado agora o meu antagonismo com este Brian. É impossível não admirar a sua inteligência invulgar e a sua capacidade de absorver o que importa e se adequar sem provocar tumultos na vida familiar, pelo menos até dada altura. Só que o rapaz tem uma forma insolente de ser e uma vontade irritante de querer impor aos outros as suas convicções e o que acha estar certo. 

Este fundamentalismo, por muito boa vontade que exista e por muito boas que sejam as intenções, é coisa para me encanitar e dar ânsias de dar um par de tabefes no menino que se acha o dono da verdade e do correcto. Depois, aquela mãe também me irrita um pouco pela forma submissa como trata o primogénito, sem se atrever a confrontar de forma directa e merecida, impondo os limites para o respeito que lhe é devido e colocando o garoto no seu lugar. 

Por fim, tenho mesmo de manifestar a minha preferência pela figura do pai de Brian, Christopher Russel. Gosto muito da forma coerente como é construída esta personagem e que nos apresenta, em cada detalhe e em cada atitude, um carácter acima da média, uma abnegação poucas vezes vista e uma capacidade de amar os seus que lhe marca inexoravelmente a vida. 

Em suma, o verdadeiro segredo do êxito destes livros são as personagens ricas e com imensas matizes, como são as pessoas que conhecemos, com coisas boas e más, e obrigando-nos a encontrar pontos de identificação com uns e de afastamento com outros. Por acaso, também aprecio bastante o final encontrado, pelo simbolismo de ciclo que encerra, por provar que o mesmo tipo de história de amor, com as devidas diferenças, pode ter desfechos paradoxalmente diferentes e, ainda assim, igualmente felizes. 

Agora, resta saber se a nossa autora nos irá brindar com mais episódios desta família ou, quem sabe, de personagens secundários que poderiam revelar alguns segredos e mistérios que ficaram por contar. Se a Isabelle ler este post, fica a dica de que gostaria muito de saber mais sobre o que se passa entre o melhor amigo da família e a irmã de Laura. Poderá ser um caminho? Ou teremos outros protagonistas em próximas obras? 

"Eu desesperei, quis estar de novo grávida, quis sentir-te dentro de mim, quis que tomasses conta de mim, como só tu sabes fazer, e por isto tudo que perdi, cometi o acto mais vil que um ser humano pode cometer, porque não pude voltar atrás no tempo. Não consegui recuperar-te e já não sei se me amas, mas peço-te que consigas, pelo menos perdoar-me, por te ter magoado tanto."

Podes encomendar o teu exemplar aqui, com 20% de desconto imediato e portes grátis. 

2 comentários:

  1. Fantástica critica. Eu também sou viciada nas personagens de Isabelle Fochier, e estou ansiosa para ler mais e mais... Vamos torcer para que rapidamente saia outro livro cá para fora :)

    ResponderEliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!