expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 11 de abril de 2018

#Livros - Dominus, de Tom Fox



Sinopse
A catedral do Vaticano tem a sua lotação completamente esgotada, num dia em que o Papa Gregório XVII celebra uma missa. Um estranho misterioso dirige-se temerariamente na direcção do altar e ordena ao Papa, que está preso a uma cadeira de rodas, que se erga. 

O Papa ergue-se. 
O milagre deixa o mundo siderado. 
Quem é este estranho com tanto poder sobre o Papa?

À medida que mais milagres acontecem e que o Vaticano encerra as suas portas ao mundo por questões de segurança, a agente policial Gabriella Fierro e o jornalista Alexander Trecchio embarcam numa investigação perigosa para encontrar uma explicação que acalme uma nação à beira da histeria. 
Será esta a segunda vinda de Cristo ou o sinal do fim dos tempos? 

Dominus é um thriller cheio de acção e reviravoltas, com um mistério intrigante na sua raiz, e que garantidamente nos vai fazer virar as páginas a uma velocidade furiosa desde a deslumbrante sequência inicial até ao impressionante final.

Opinião
Quem haveria de dizer que iria voltar a encontrar um bom livro sobre temas religiosos? Aviso já que a culpa é da Bertrand, cuja loja é bem perto do meu local de trabalho, que lançou uma campanha com uns descontos bem interessantes e, aproveitando algum saldo que tinha em cartão, lá trouxe este Dominus para casa. 

Depois de ler recentemente Vaticanum, de José Rodrigues dos Santos, não acreditei que fosse possível ser surpreendida por mais uma narrativa passada nos terrenos da cidade do Vaticano. Mas a verdade é que esta é uma história surpreendente e desconcertante. Logo pelo pretenso milagre de colocar de pé, um homem com uma doença sem cura, da qual sofre desde sempre. Isto, que já de si seria dramático, torna-se alegórico quando sucede em plena missa papal na Catedral, com lotação esgotada, e onde a segurança se verga para que um estranho chegue perto do Santo Padre.

O que numa sociedade como a nossa, teria obrigatoriamente de se tornar uma imagem viral em toda e qualquer rede social no mundo inteiro. A discussão instala-se entre os que acreditam na chegada do novo Messias e os que têm a certeza de que só se pode tratar de um burlão que a todos está a tentar enganar. O problema é descobrir qual das hipóteses poderá ser mais acertada no meio de tanta confusão e com constantes notícias contraditórias e invulgares a surgir de todos os lados.

Os nossos protagonistas também são um par interessante, muito embora, teria sido agradável conhecer um pouco melhor a Gabriella. Afinal, uma agente da Polícia tão devota e com uma fé tão profunda, mesmo depois de ver o que os homens são capazes de fazer uns aos outros, é coisa rara e de notar. Por outro lado, um padre que perde a fé e desiste do conforto de uma vida já estabelecida, optando por se manter fiel aos seus princípios e valores não deverá ser algo fácil de encontrar, certo?

Aqui serão explorados todos os escândalos sobejamente conhecidos que assolam o Vaticano, desde a Pedofilia até aos crimes financeiros e corrupção instalada nos seus muros. E a guerra que nos é apresentada é precisamente essa. Entre homens, dentro da Igreja, que querem terminar com esse historial criminoso, e esses criminosos a lutarem contra o seu próprio extermínio. Afinal de contas, ninguém quer perder privilégios nem abdicar da sua forma de viver, sujeitando-se à exposição pública e até ao julgamento sobre os crimes cometidos.

A dúvida paira no ar até ao final. A identidade dos maus da fita vão sendo revelados ao longo do livro, mas as suas motivações são protegidas durante um pouco mais de tempo, o que adensa o mistério. Quanto ao misterioso desconhecido que causa todo este tumulto no seio da Igreja, bem, é tudo uma questão de fé. Da fé que cada um tem e no que é capaz de acreditar.

Pela minha parte, fiquei muito agradada com a escrita de Tom Fox e com muita vontade de conhecer melhor a sua obra, que me parece igualmente interessante. E tu? Já conhecias este livro, Dominus? Deixa o teu comentário sobre o livro ou sobre este autor! 

"O que não esperava, o que nunca podia ter previsto nos seus anos de juventude, como seminarista zeloso ou padre assistente no primeiro ano, enviado para servir o rebanho, era o grau de corrupção que existia naquilo que era agora a sua instituição. Como podia ele, um homem de fé e de crença sincera, ter suspeitado que havia tantas trevas no palácio da luz? Como podia ele ter imaginado, já dentro do seio da Mãe Igreja, que esta se parceria mais com um irmão rabugento e brigão do que com os braços robustos de um progenitor?"

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis, ou em inglês na Book Depository, com 24% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. 

2 comentários:

  1. Eu tentei ler este livro várias vezes, mas não me cativou, o que é pena, pois pela sinopse eu estava cheia de curiosidade, mas não apreciei o tipo de escrita, nem a exaustão das descrições, completamente saturantes :/
    Só para descrever uma sala, quase que ocupa umas duas folhas, só faltava lá dizer quantos grãos de pó andavam pelo ar...

    Quem sabe um dia, com mais paciência, tente novamente :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, concordo. As descrições são demasiado minuciosas e a história é um pouco lenta o que não causa aquela habitual fome de saber mais que nos prende até à última página. Mas não deixa de ser interessante, como resultado final.

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!