expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quinta-feira, 19 de abril de 2018

#Livros - As Cinquenta Sombras de Grey, de E. L. James



Sinopse
As Cinquenta Sombras de Grey é um romance obsessivo, viciante e que fica na nossa memória para sempre. 

Anastasia Steele é uma estudante de literatura jovem e inexperiente. Christian Grey é o temido e carismático presidente de uma poderosa corporação internacional. O destino levará Anastasia a entrevistá-lo. No ambiente sofisticado e luxuoso de um arranha-céus, ela descobre-se estranhamente atraída por aquele homem enigmático, cuja beleza corta a respiração. Voltarão a encontrar-se dias mais tarde, por acaso ou talvez não. O implacável homem de negócios revela-se incapaz de resistir ao discreto charme da estudante. Ele quer desesperadamente possuí-la. Mas apenas se ela aceitar os bizarros termos que ele propõe... Anastasia hesita.

Todo aquele poder a assusta - os aviões privados, os carros topo de gama, os guarda-costas... Mas teme ainda mais as peculiares inclinações de Grey, as suas exigências, a obsessão pelo controlo... E uma voracidade sexual que parece não conhecer quaisquer limites. Dividida entre os negros segredos que ele esconde e o seu próprio e irreprimível desejo, Anastasia vacila. Estará pronta para ceder? Para entrar finalmente no Quarto Vermelho da Dor? 

Opinião
Como cumpro sempre as minhas promessas, estou de regresso com o início, na versão escrita, da saga que abriu a porta grande para toda a literatura erótica dos últimos anos, As Cinquenta Sombras de Grey. E foi com genuína vontade que o fiz, depois de me ter sido espicaçada a curiosidade com o primeiro filme. Nunca antes me tinha sentido minimamente interessada na história, não existia nenhum motivo que me fizesse interessar de forma genuína, sem ser apenas por se tratar do livro da moda. E eu não sigo modas, muito menos literárias.

Só que, entretanto, fui fisgada e só descansei quando tive nas mãos todos os três volumes, que a pessoa já não tem idade para ficar à espera para saber o que se irá seguir, o que irá acontecer com as personagens com quem desenvolvemos laços. Mais uma vez, caí na armadilha pois descobri que ainda existe um livro que falta ser publicado o que já anda a dar comigo em doida. De uma forma mais suave, mas ainda assim, é mais do mesmo. Mais tarde voltamos a falar disto, ok?

Quero começar por referir algo que me esqueci quando estava a falar do filme, que foi a fantástica banda sonora do mesmo. Ainda antes de assistir, já me tinha apercebido que tinha música muito boa associada a esta saga e, agora que comecei a ler, faz todo o sentido. As referências musicais são uma constante ao longo de todo o livro e são muito agradáveis de perceber e compreender todos os segundos sentidos que lá se encontram.

O que torna esta história especial é mesmo a premissa de termos um homem atormentado pelo seu passado que opta por um estilo de vida onde não existe risco de sentir algo por alguém e, consequentemente, não existe risco de se magoar e de se expor. Até que conhece a nossa doce Anastasia, aparentemente, desejosa de ser dominada e servir. O problema é que as aparências enganam e Christian deveria saber isso melhor do que ninguém.

A atracção que sentem um pelo outro é muito desconcertante para ambos os protagonistas e fá-los questionar tudo o que pensavam ser correcto. Só me parece muito improvável encontrarmos uma mulher de 22 anos, a terminar a sua licenciatura, ainda virgem. Parece feita de encomenda para um homem tão retorcido, não?

O que é certo é que o seu relato, com toques de inocência e de um humor inesperado, torna tudo muito mais ligeiro do que poderia parecer à primeira vista. Os momentos pesados e dramáticos são invariavelmente interrompidos com uma das suas tiradas, faladas ou pensadas, que dão verdadeira vontade de soltar uma gargalhada.

O espaço temporal desde que se conhecem até que se apaixonam é tão curto, o que não seria necessariamente estranho, não fosse o facto de que tudo lhes acontece. Cada dia é uma montanha-russa que ora os aproxima, ora os afasta. Fica muito difícil acompanhar a volatilidade das suas atitudes, sinceramente. Mais difícil ainda é perceber o tipo de relação que estão a criar, dada a inexperiência amorosa de ambos.

Ler o livro permitiu-me, também, verificar que a adaptação ao Cinema do primeiro livre foi muito fiel ao original, sem grandes alterações e sem roubar momentos essenciais da história. Agora, vamos ter mesmo de falar de sexo, pessoas. Porque este livro tem sexo em tudo o que é sítio. E a nossa autora não sofre de qualquer problema de imaginação, pois consegue recriar sempre cenários diferentes, com brinquedos diferentes, posições e lugares estão presentes a todo o momento.

Honestamente, não encontrei neste volume nada que me chocasse a sério. Só posso dizer que Mr. Grey sabe como surpreender uma pessoa e que tem muitos recursos. Considero que fazem sentido as cenas de sexo, pois contam também uma história sobre cada um e sobre ambos enquanto casal. Agora as descrições tornam-se um tanto ou quanto redundantes e repetitivas a dada altura. Não será fácil escrever sobre actos sexuais, mas mesmo assim esperava um pouco mais de criatividade vindo de alguém que a demonstrou em tantos outros aspectos.

Foi a curiosidade que me impeliu a ler os livros para descobrir a fundo o destino destes dois loucos e é isso mesmo que pretendo fazer com o próximo livro que já se encontra na minha mesa de cabeceira! Quanto a ti, conta-me nos comentários se gostas d'As Cinquenta Sombras de Grey. Qual a parte que mais gostas? O que te fez continuar a ler? 

"Não queria que ele se fosse embora. Pela primeira vez, desejava que ele fosse normal - que quisesse uma relação normal que não precisasse de um acordo de dez páginas, um chicote de fitas, e mosquetões no tecto da sala de diversões."

Podes encomendar o teu exemplar na Wook, com 10% de desconto em cartão e portes grátis. Ou encomendar a tua versão em inglês na Book Depository, com 9% de desconto imediato e portes grátis para todo o mundo. 

4 comentários:

  1. "Agora as descrições tornam-se um tanto ou quanto redundantes e repetitivas a dada altura." É mesmo isto! E o segundo livro é TERRÍVEL nesse aspecto. Cheguei a ponderar deixá-lo de parte, só não o fiz porque detesto deixar livros a meio. Mas foi muito puxado a ferros. A banda sonora do filme é amazing, nisso concordo e acho que assenta muito bem na história. A Anastasia tem um bocadinho mais de piada nos livros do que no cinema (ainda só vi o primeiro, no entanto). É um bocadinho sem sal para o meu gosto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, de facto. Também só vi o primeiro e acho que ela é mais engraçada no livro. Se bem que o próprio Grey é muito mais interessante no livro também. Talvez seja a dificuldade de passar para o cinema personagens tão densas e complexas.

      Eliminar
  2. Eis um livro que não tenho interesse absolutamente nenhum em ler...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, acredito que não faça o teu género.
      Mas olha que, tirando as cenas gratuitas de sexo, a história até é interessante.
      Para ser perfeito, bastava um livro a contar a história toda, em vez de encher chouriços em três volumes para fazer render o peixe...

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!