sexta-feira, 24 de março de 2017

Uma noite com... #126











Ljubomir Stanisic
Ou o homem que nos mostra o que de pior existe na Restauração em Portugal, no programa Pesadelo na Cozinha, da TVI.

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.  

quinta-feira, 23 de março de 2017

Parceria - Recebidos Oriflame



Agora que a parceria com a Equipa Orineves está apresentada, é chegado o momento de te dar a conhecer todos os produtos que vieram morar para minha casa e sobre os quais tecerei comentários e opiniões, assim que tiver experimentado tudo devidamente. 

Para começar, tenho de salientar a simpatia do Joaquim Neves, sempre incansável e prestável para me aturar esclarecer todas as minhas dúvidas e solicitações. Não poderia estar mais satisfeita com outra equipa que não esta. E quando vires a caixa que recebi cá em casa, vais concordar ainda mais comigo! 


Como vês, a primeira remessa de produtos Oriflame que recebi para experimentar foi generosa e tem um pouco de tudo. No entanto, de seguida não irás ver todos os produtos que se encontram dentro da caixa. Apenas irei incluir aqui os produtos que vou experimentar durante os próximos dias. Os que ficarão em falta, serão sorteados na próxima semana e podes ser tu a ficar com eles e ficar a conhecer melhor a Oriflame. Parece-te bem? 


Por incrível que pareça, andava há imenso tempo para comprar um conjunto de pincéis minimamente decente e que não custasse os olhos da cara. Eis senão quando, o meu problema ficou resolvido com a chegada destes pincéis que serão, com toda a certeza, os meus mais recentes melhores amigos. 


Aqui temos o Sabonete Suavizante Milk & Honey Gold, que deixou um perfume delicioso que senti assim que abri a minha encomenda; um BB Lip Balm The One e uma embalagem de  Toalhitas Demovedoras de Verniz The ONE, com 26 unidades.


Por último, recebi um conjunto de produtos bem cheirosos. Um Creme Protetor de Mãos e Unhas SoftCaress e dois perfumes: o Eau de Toilette Eclat Femme e o Eau de Parfum My Destiny. Confesso que já coloquei o meu querido nariz nos dois e ainda não consegui escolher qual será o meu aroma para os próximos tempos. Resta-me ir alternando enquanto não tomo uma decisão. 

Enquanto vais preparando o coração para o passatempo que está a ser preparado para ti, podes visitar a Loja Online, espreitar o eCatálogo e, caso queiras experimentar ser Cliente VIP ou Acessor/a Oriflame, inscreve-te e ainda recebes um belo de um presente. 

Agora conta-me, qual o produto que mais te chamou a atenção? Aquele que mal podes esperar para ler a review? 

quarta-feira, 22 de março de 2017

Amar pelos dois e o Festival da Canção 2017



Ora aqui está um tema que tem andado a morder-me nos últimos tempos, que é como quem diz, desde que conhecemos os finalistas do nosso tradicional Festival da Canção 2017. Muito se tem dito e escrito sobre o assunto e não podia ignorá-lo.

Primeiro, porque sou pessoa que tem opinião sobre tudo e mais um par de botas. Depois, porque gosto de música e tenho uma ligeira queda pelo Festival de Canção. Não pelo dos anos mais recentes e que só nos envergonham.

Falo da época em que o Festival era um acontecimento que parava o país e que de lá saíam algumas das melhores músicas existentes no reportório nacional. Quem não conhece, pelo menos, uma música saída do Festival da Canção?

Eu lembro-me de várias e que se encontram entre as minhas favoritas, cantadas na língua portuguesa. Já merecemos ganhar por diversas vezes e, por razões alheias à música, ficámos sempre longo do resultado esperado e merecido.

Nos últimos anos, tem sido um espectáculo degradante e que só me faz apagar da memória qualquer vestígio dos mesmos. Eis senão quando surge Salvador Sobral, qual D. Sebastião, com uma música deliciosa, escrita pela talentosa irmã, Luísa Sobral. com uma melodia que nos envolve e devolve a magia e o encanto inicial, perdido e, pensava eu, irrecuperável.


Nasceu um milagre em 2017, com "Amar pelos dois". Esta não será uma música para namorar, mas teria lugar garantido na minha Playlist para corações partidos. Nem vou perder tempo a divagar com os tantos comentários de pura maledicência que povoaram as redes sociais. Esta música devolveu-me a esperança no nosso querido e saudoso Festival e a vontade de ver a cerimónia da Eurovisão.

Já para não falar dos imensos comentários de estrangeiros que, mesmo sem compreender o belo significado da letra, se fascinaram com esta música e estão rendidos ao Salvador. É impossível não sentir orgulho e depositar as minhas esperanças neste miúdo.

Ainda que venha de lá em a Taça, continuamos orgulhosamente a cantar na nossa língua, porque é ela que nos representa e faz parte da nossa identidade enquanto povo. Ainda que fique em último, como tantos portugueses parecem acreditar, levamos uma música que não nos envergonha de forma alguma.

Para mim, estas já são razões de sobra para nos sentirmos vencedores. Agora, que sabia bem vencer, lá isso sabia sim! E tu? Acreditas na vitória do Salvador ou nem por isso? 

segunda-feira, 20 de março de 2017

Desafio de Cinema (16/52) - Inspirado num livro



Já é certo e sabido que Segunda-feira é sinónimo de Desafio de Cinema por estas paragens. Já se passaram dezasseis semanas e tem sido sempre um gosto escrever estes posts. Como não ser, com o tanto que eu gosto de cinema? E dado que este Desafio tem-se mantido entre os mais vistos, quer-me parecer que também tens gostado deles, não é mesmo?

Para esta semana, o desafio proposto era escolher um filme inspirado num livro. Bem, tendo em conta que, regra geral, leio os livros antes de ver e até de existirem versões cinematográficas, defendo que os livros ganham em 99,9% dos casos existentes. O que até entendo, uma vez que é muito difícil colocar num tempo limitado toda a informação que nos é transmitida em livros com páginas sem fim. 

Portanto, a lição a reter é que se viste um filme que adoraste e descobres que existe um livro, deves ir a correr muito comprar um exemplar e atirar-te à leitura, porque é muito provável que ainda te apaixones mais pela história em questão e descubras um mundo de pormenores fascinantes. 

Posto isto, vamos ao que interessa que é o filme que escolhi para ti esta semana. Como seria de esperar, já li este livro era ainda uma adolescente e fiquei fascinada pela escrita envolvente de Oscar Wilde e nunca mais esqueci esta história fantástica e empolgante. Portanto, foi impossível resistir e fiz questão de ver o filme "O Retrato de Dorian Gray". 

E devo dizer que gostei bastante desta adaptação, pois captou com muito sucesso a essência da história e, mesmo sabendo como se desenvolve a história, prende ao ecrã como poucas. Tem interpretações excelentes e posso te garantir que irás dar por bem empregue o teu tempo. 

E caso não tenhas lido esta obra-prima de Wilde, era capaz de apostar que, no fim do filme, vais ficar com uma vontade imensa de ler esta história. Ou, no caso de já teres lido, de reler, que foi o que aconteceu comigo. Que te parece o filme desta semana?

Sinopse
Um jovem ingénuo. Um artista apaixonado. Um Senhor corruptível. Um acordo com o Diabo. Tudo pinta uma imagem escura de uma Londres Vitoriana e os perigos das festas ricas e infames. Aqui, o relato do tempo e das suas consequências pelas experiências dos tesouros da vida têm o seu impacto no corpo, na mente e na alma. O assombroso e triste relato de poder, ganância, vaidade e inevitável autodestruição está sempre presente entre o engano, o ópio e o pecado.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

sexta-feira, 17 de março de 2017

Uma noite com... #125











César Peixoto
A nova aquisição do Masterchef Celebridades, da TVI.

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Parceria - Equipa Orineves



Esta coisa de criar e manter um blog por mais de quatro anos dá muita dor de cabeça, crises motivacionais e até bloqueios criativos. No entanto, não posso negar que me traz tantas coisas positivas que é impossível pensar seriamente em desistir disto. 

Uma dessas coisas positivas que me aquecem o coração são as parcerias. E não é por receber produtos de borla, que nunca o são, dado que não deixa de ser uma troca comercial. Recebo produtos, devolvo opiniões, visualizações e, se correr bem, compradores para os produtos ou serviços divulgados. 

Sem esquecer que, como a maioria dos bloggers comuns mortais, tenho um emprego a tempo inteiro que me "rouba" imenso tempo útil para investir neste espaço que me apaixona. O que significa que, por vezes, não tenha capacidade para me lançar em tudo o que gostaria. 

Nisto das parcerias, tenho tido muita sorte. Primeiro, pelas pessoas extraordinárias que tenho conhecido. Depois, pelos produtos fantásticos que, de outra forma, dificilmente conheceria. Falo, por exemplo, da parceria mais antiga deste blog, e que dura até hoje, a Brainwavz

Já para não falar nas parcerias que consigo e que se traduzem em prémios para ti que me segues com tanto afinco, como são exemplo os tantos passatempos que já aconteceram por cá e que certamente voltarão em breve. 

Passando ao que interessa, tenho muito gosto em te apresentar à mais recente parceria do estaminé, onde irei experimentar os tão famosos e conceituados produtos Oriflame, através da Equipa Orineves. Para começar em beleza já recebi uma caixinha repleta de produtos cinco estrelas, dos quais falarei nas próximas semanas. 


Enquanto vou experimentando o que recebi cá em casa e planeando outras coisas que acredito que irás gostar, vou-te apresentar esta equipa de sucesso. Para começares a perceber o potencial desta marca de renome internacional, podes espreitar o Catálogo Online

De seguida, caso sejas uma mulher como a maioria, vais te apaixonar e tentar resistir a uma, senão várias, das promoções imperdíveis que vais encontrar por lá. Portanto, não resistas e faz a tua encomenda aqui ou aqui.

Por fim, se és uma pessoa empreendedora e com vontade de ganhar dinheiro ou se, simplesmente, és uma pessoa inteligente e que compreendeu que pode poupar uns trocos valentes ao comprar como Cliente VIP, podes - e deves - inscrever-te neste link, com o bónus de ganhares, sem sorteio, um Kit de Maquilhagem no valor de 25€. 


Será que ainda precisas de mais razões? Não seja por isso, que não queremos que te falte nada! Além do prémio acima mencionado terás também:
  • Sorteio de 3 em 3 catálogos de um conjunto de produtos de valor igual a 20€,
  • Prémios Extra e objectivos de equipa,
  • Material de Apoio, Formação, Amostras e Produtos gratuitos,
  • Possibilidade de participar em eventos exclusivos da marca. 
Posto isto, agora tu é que sabes da tua vida. ;) 
Como sabes, estarei à inteira disposição, caso precises de algum esclarecimento adicional, bem como o próprio do Joaquim, Chefe desta equipa fantástica, que podes contactar através do e-mail joaquimnevesoriflame12@gmail.com. 

As apresentações estão feitas e no entretanto vou mas é experimentar as coisas boas que chegaram cá a casa. Mas como não sou uma pessoa egoísta, já sabes que irei dividir contigo. Portanto, atenção no máximo porque teremos passatempo para breve. Quem quer muito??

terça-feira, 14 de março de 2017

Livros físicos vs eBooks



Este novo ano tem-me apanhado com algum (muito) défice de leitura. A verdade é que o tempo, e o dinheiro, não dá para tudo e não me tem sido possível debruçar sobre novos livros, coisa que tanto gosto de fazer e aqui partilhar. 

Já vamos em Março e limitei-me a escrever sobre apenas um livro, o Mors tua, vita mea, da Vanessa Santos. Enquanto não actualizo esta minha falha, decidi trazer até cá um tema muito discutido entre todos os amantes de ler. 

O que é melhor? Ler em papel ou num aparelho electrónico? É assunto para inspirar discussões épicas, como acontece sempre que alguém discute assuntos que apaixonam. O meu objectivo não é esse. Apenas partilhar contigo a minha opinião sobre este tema, até porque já me foi pedido algumas vezes e tenho vindo a adiar. 

Se vamos analisar a questão pelo ponto de vista da qualidade, não existe nada melhor do que segurar um livro nas mãos, sentir o seu cheiro, mergulhar nas suas páginas. Nenhum gadget pode substituir estas sensações. E depois, olhar para a minha estante, ver e poder tocar nos meus meninos é coisa que não tem preço. 

Até ao momento, não me decidi a investir num eReader, precisamente por acreditar que não iria tirar verdadeiro partido dele. Inclusivamente, recebi algumas propostas para escrever opiniões sobre livros de autores estrangeiros, como este e este, no seu formato digital. Contudo, após as minhas experiências de leitura no tablet, preferi esperar um pouco mais, mas receber o livro no seu formato em papel.

No entanto, sou uma pessoa que gosta de tecnologia e não ignoro as grandes vantagens deste tipo de equipamento face aos tradicionais livros físicos. Por exemplo, tenho uma especial predilecção por livros com 500 páginas ou mais, o que se torna complicado para levar na mala e ler nas horas mortas do dia.

Com um eReader esse problema estaria resolvido, pois torna-se possível carregar tantos livros quantos a memória do equipamento permita, sem com isso dar cabo das costas. Outra questão fundamental está relacionada com os custos.

É muito mais económico publicar um livro em formato digital, uma vez que os custos de produção são reduzidos ao mínimo. O que significa que na hora do leitor comprar isso vai-se reflectir no preço. Resumindo, é muito mais barato comprar um eBook do que um livro físico.

Portanto, é normal que se tenham tornado muito apetecíveis nos últimos tempos, sobretudo com a oferta de eReaders a preços variados e acessíveis a todas as carteiras. O que, no meu caso, não são motivos suficientes para se tornarem nos meus favoritos.

Claro que preços baixos deixam qualquer um satisfeitos, mas a verdade é que, como já referi, gosto demasiado dos meus livros para os substituir por versões digitais que não ficam ao alcance dos meus olhos e das minhas mãos.

A outra vantagem, relacionada com o facto de ser mais prático de transportar e ler em qualquer lugar, não é coisa que me faça vacilar e ceder à moda digital. É que sou uma leitora compulsiva que não se sente feliz ao ler umas páginas por dia, enquanto espera pelo autocarro ou pela consulta do médico.

O ideal é ler no conforto da minha cama, antes de dormir, sem grande limitações de tempo. E para isso um eReader não substituí em qualidade os meus queridos livros em papel. E tu? O que preferes? Livros físicos ou eBooks?

segunda-feira, 13 de março de 2017

Desafio de Cinema (15/52) - Década de 70



Segunda-feira é sinónimo de desafio por estas paragens. Um desafio que tem corrido muito bem e que tenho cumprido com muito empenho e dedicação. Claro que a temática deste desafio também ajuda bastante a manter os meus níveis de motivação em alta. Nada como começar a semana a falar de bons filmes contigo. 

O tema proposto para esta semana era escolher um filme da década de 70. O que vem ao encontro do que tenho tentado fazer ao longo das últimas catorze semanas, uma vez que tenho dado preferência a filmes mais antigos e, à partida, menos conhecidos da maioria, em detrimento dos mais recentes e sobejamente falados e comentados. 

A minha primeira escolha seria o meu amado "Star Wars", que teve os seus melhores filmes nesta década. No entanto, esta seria uma opção tão óbvia e que, dificilmente, seria novidade para alguém. O que me obrigou a pesquisar muito e puxar pela memória para encontrar o filme certo para esta semana.

E foi desse modo que cheguei ao filme que hoje te trago. Um filme protagonizado por dois actores brilhantes e dos mais reconhecidos de Hollywood. Falo de "Kramer contra Kramer". Neste filme fala-se de amor, da vida de casal, no papel das mulheres nos relacionamentos e na vida doméstica e familiar, do papel dos pais na educação das crianças. Enfim, tudo temas que não poderiam ser mais actuais, não te parece?


Sinopse
"Kramer contra Kramer" é uma história de relacionamentos contemporâneos, valores e escolhas.

Uma noite já tarde, de regresso a casa do escritório, o obcecado pelo trabalho Ted Kramer (Dustin Hoffman) é confrontado pela sua mulher, Joanna (Meryl Streep), que diz que o vai deixar. Depois de uma vida a ser a "mulher de alguém", ela vai partir para tentar encontrar-se, deixando Ted a cuidar do filho de ambos, de seis anos de idade. Ted, enquanto tenta manter o seu emprego, começa a conhecer bastante bem o seu filho, como poucos pais o fazem: cozinha as suas refeições, leva-o ao parque, percebe os seus medos e receios. Pela primeira vez na sua vida, ele sente-se como um pai completo. Mas então, Joanna regressa. E ela quer o seu filho de volta.

"Kramer contra Kramer" foi vencedor, em 1979, de cinco Óscares da Academia, incluindo o de Melhor Filme, Melhor Actor (Dustin Hoffman), Melhor Actriz Secundária (Meryl Streep), Melhor Realizador (Robert Benton) e Melhor Argumento Adaptado (Robert Benton).


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

sexta-feira, 10 de março de 2017

Uma noite com... #124











Dan Stevens
Ou o novo gato da Disney em "A Bela e o Monstro"

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Playlist para corações partidos



A música dá cor, textura e sabor a todos os momentos da vida. Serve para nos acordar e dar mais energia. Para celebrar com as amigas numa noite louca de dança desenfreada. Para nos animar e puxar para cima quando estamos mais tristes. Para matar saudades. Para namorar muito e bem

Foi precisamente nessa altura, quando andava à procura das melhores músicas para namorar em português, que percebi da quantidade absurda de músicas que existem, e que gosto muito, sobre corações partidos e desgostos de amor. 

Ao contrário do que muita gente defende, eu acredito que é necessário e de grande ajuda mergulhar de cabeça nos desgostos de amor, chorar tudo o que há para chorar, tecer todas as teorias mirabolantes que nos passarem pela mente e só depois disso, emergir da fossa, pronta para superar e ultrapassar o mau momento. 

E que melhor companhia existe para esses momentos, com uma intensidade proporcional, por vezes até superior, à sentida durante a própria relação, senão a música certa? Quanto mais deprimente, melhor. E para que não percas tempo, vou aqui reunir uma bela playlist para carpires as tuas mágoas em grande estilo. Vamos a elas?

"Quem de nós dois", por Ana Carolina

"Falando Sério", por Maurício Manieri

"Mentira", por João Pedro Pais

"Não me ame", por Alexandre Pires e Tânia Mara

"Convite de Casamento", por Gian e Giovani

"Sol de Inverno", por Simone de Oliveira

"Ouvi Dizer", por Ornatos Violeta

"Telepatia", por Lara Li

"Chuva", por Mariza

"E depois do adeus", por Paulo de Carvalho

"Primavera", por The Gift

"Amar pelos dois", por Salvador Sobral

Como viste, também é possível criar toda uma playlist para corações partidos apenas com músicas em português. Não foi planeado, desta vez. Mas, de facto, na nossa língua materna as dores tornam-se mais claras e as músicas mais nossas. Será que ainda existe, desse lado, alguém que duvide da qualidade da nossa música? 

quarta-feira, 8 de março de 2017

O Dia da Mulher ainda faz sentido?



A efeméride está plenamente divulgada e é do conhecimento de todos. Hoje, dia 8 de Março, comemora-se o Dia Internacional da Mulher. Uma data que, como tantas outras, tornou-se um fenómeno comercial.

Nas últimas semanas só se fala em presentes para oferecer às mulheres lá de casa, jantares para reunir as amigas ou colegas, noites de farra para atrair as mulheres aos bares da moda. Uma noite que promete a loucura e que muitos homens adoram, pois encontra-se muitos exemplares femininos que só saem de casa nesta altura e que tiram a barriga de misérias. De divertimento e, por vezes, de álcool. 

É a loucura e, pela parte que me toca, já tenho jantar marcado com as amigas mais malucas da história da amizade. No entanto, não me esqueço que este dia não existe para celebrarmos a nossa condição de mulheres. Pelo contrário, existe para nos lembrarmos que a liberdade e a igualdade de direitos não existe para todas nós. 

Este dia só faz sentido, em pleno século XXI, porque existem mulheres tratadas como objectos, como propriedade dos seus homens, agredidas, mutiladas, humilhadas. É certo que muitas destas coisas acontecem a muitos quilómetros de distância das nossas vidinhas pacatas e civilizadas. Contudo, todos os dias ouvimos casos de violência doméstica, do aumento da violência por parte de namorados cada vez mais jovens, entre tantas outras coisas.

Estes casos acontecem no nosso mundo civilizado e evoluído. Por vezes, mesmo debaixo do teu nariz. Recentemente, muito se falou nas diferenças salariais entre homens e mulheres que desempenham as mesmas funções. Já para não falar nos preconceitos de que ainda somos vítimas. Até eu, neste meu/nosso blog, já referi algumas situações onde isso acontece, como aqui ou aqui.

Para mim, continua a fazer sentido celebrar este dia e todas as vitórias que já conquistámos no decorrer de séculos infinitos. Mas te esqueças que ainda existe um longo caminho a percorrer até que chegue o dia em que o Dia da Mulher seja uma lembrança do passado e não exista necessidade de defender direitos que já adquirimos para todas as mulheres deste mundo. 

É um caminho longo e que levará, certamente, muitos anos. Mudar mentalidades é das coisas mais difíceis e penosas, mas acredito que iremos lá chegar. No entretanto, desejo-te um feliz dia e que o possas gozar em liberdade e em total plenitude de direitos e desejos. Vamos beber um copo esta noite? 


terça-feira, 7 de março de 2017

A inteligência dos Doutores



Já não é segredo para ninguém, até porque gosto muito de espalhar aos quatro ventos esta minha predilecção por pessoas inteligentes e interessantes. Inclusivamente, já aqui deixei algumas dicas para ficar mais inteligente. 

Felizmente, tenho tido a sorte de encontrar bastantes espécies humanas que utilizam o cérebro e o estimulam por forma a não ficarem estagnados e parados no tempo. Essa é uma das grandes vantagens deste requisito: não está sujeita à passagem do tempo. Pelo contrário, se bem trabalhada, só aumenta com a idade, experiência e conhecimentos adquiridos. 

Porém, também tenho de admitir que, essas ditas pessoas inteligentes de que falo, não são tantas quanto gostaria. Ainda por cima, conheço algumas que nem sequer se preocupam com isso. Não tentam aumentar os seus conhecimentos, alimentar a sua cultura, no fundo, não estão interessadas em ser interessantes. 

O que é uma grande chatice, porque não sabem o que perdem nem o quanto se perdem e desperdiçam. O quanto poderiam ganhar em termos pessoais, interpessoais e sociais. Então e onde entram os doutores?, perguntas tu. Passo a explicar.

Existe nesta nossa província, chamada de Portugal, um culto em torno dos nossos licenciados. Do meu ponto de vista, associo isso a muita gente humilde, que trabalhou no duro para proporcionar aos seus filhos a educação que não tiveram, e que colocaram esses filhos num altar, ao ponto dessas pessoas se considerarem acima das restantes e chegarem ao cúmulo de terem vergonha dos que lhe permitiram serem gente e agarrar as oportunidades na vida. 

Isto não serve para todos, como é óbvio, mas consigo visualizar alguns casos particulares, da geração anterior à minha, em que isto estava a olhos vistos. No fundo, continua a existir em Portugal um certo provincianismo que nos faz olhar para pessoas que estudaram e tiraram um curso universitário, como obrigatoriamente inteligentes e detentores de saberes sobre tudo e mais um par de botas. 

Como está bom de ver, algumas das pessoas mais inteligentes que conheço não são detentores de um canudo e isso não lhes retira ou diminui a própria da inteligência. Provavelmente, perderam ou nunca tiveram essa oportunidade. Ao passo que, quando penso em alguns senhores doutores deste país que se cruzam, por lapso, nas nossas vidas, sinto uma espécie de vergonha alheia. 

Porque teria muita vergonha de ter andado tantos anos a foder estourar o dinheiro dos paizinhos, para sair de lá, passados três, quatro ou cinco anos sem o mínimo de conteúdo. Porque teria uma vergonha imensa de ter um filho "doutor" que nem português básico soubesse escrever e que nem falar em modos sabe. 

Estás a perceber o flagelo de que falo? É que é uma coisa que me inquieta. Será que esta geração de licenciados é mesmo do pior que temos - salvo as merecidas e reconhecidas excepções, que terminam a emigrar pelo mundo -, ou são as nossas Universidades tão más que permitem que pessoas assim alcancem um grau académico que, provavelmente, não seria merecido? 

Agora, conta-me dos teus amigos inteligentes! Licenciados broncos? Escolaridade obrigatória com interesse? Ou andarei eu a conhecer os licenciados errados? 

segunda-feira, 6 de março de 2017

Desafio de Cinema (14/52) - Dramático



O Desafio de Cinema continua de vento em popa e já vamos entrar na décima quarta semana. O tema proposto para hoje será escolher um filme dramático para que possas ver ou rever comigo. E como existem filmes dramáticos, minha gente. 

Fartei-me de pensar em filmes, uns atrás dos outros. Escolher um, e só um, é que estava difícil. São tantos e sobre tantos assuntos, que se torna uma missão impossível eleger só um filme para aqui partilhar. 

Depois de passar as vistas pelos títulos mais conhecidos e reconhecidos do Cinema, lá os meus olhos pararam num filme não tão famoso e que me falou ao coração como poucos. Refiro-me ao filme "À procura da Terra do Nunca", com a linda Kate Winslet e o mais louco dos gatos, Johnny Depp. 

O filme está ligado à criação do personagem icónico, Peter Pan. Aqui conhecemos quatro crianças que perderam o pai e que vivem com a mãe, que está muito doente. São estas crianças e a sua energia que inspira o autor a criar o universo mágico da Terra do Nunca, como uma forma de as distrair do mal que as rodeia. 

É uma história triste, mas com uma mensagem de esperança e um toque de magia, como só os olhos de uma crianças conseguem ver. No fundo, é esse olhar de criança que é tão importante, e ao mesmo tempo tão difícil, não perder. A inocência e o deslumbramento com que se olha para o mundo e que nos permite manter viva a criança que vive dentro de cada um de nós. 

A tua criança continua viva dentro de ti? Gostas deste filme ou ainda não conhecias?


Sinopse
A imaginação prodigiosa de um homem e sua pungente jornada, entrelaçam-se numa emocionante história inspirada em acontecimentos da vida do escritor escocês James Mathew Barrie.

Após o insucesso da sua última peça, e com uma vida amorosa algo decepcionante, J. M. Barrie, desafiando as convenções de uma Londres eduardiana, torna-se acompanhante de uma viúva solitária e pai substituto para os seus quatro jovens filhos.

Na companhia dessa nova família, Barrie encontrará a grande inspiração para criar o ficcional herói Peter Pan, o famoso clássico da literatura infantil que fala directamente com a criança que existe em todos nós.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

quinta-feira, 2 de março de 2017

Best of Óscares 2017



A tradição ainda é o que era - pelo menos em algumas pequenas coisas - e, portanto, não podia deixar passar a maior cerimónia do Cinema em branco. É certo que estou um pouco atrasada, mas a culpa não é toda minha. 

É verdade que andei a viver em off, mas a minha Internet também não ajudou nadinha. O que resultou neste atraso descomunal para a eleição do que de melhor e pior se viu na passadeira vermelha dos Óscares em 2017. 

Este ano a coisa foi um pouco morna e não me aqueceu demasiado o coração. As escolhas foram a modos que monótonas, as que acertaram não surpreenderam. E depois temos os eternos casos pavorosos, de bradar aos céus. 

Assim sendo, decidi dividir os vestidos desta cerimónia em três categorias. Serão elas: os bons, os maus e os péssimos. Parece-te bem? Que bom, porque agora vamos passar aos vestidos que é o que interessa agora. 

Os bons

Chrissy Teige

Charlize Theron
Não a favorece mas, ainda assim, gosto do vestido. 

Emma Stone
Só lhe acrescentava um pouco de sol na pele para ficar perfeita.

Halle Berry
O cabelo está pavoroso, agora o vestido podia vir morar para minha casa, já hoje!

Olivia Culpo

Viola Davis
Para mim, a mulher mais bem vestida da noite. 

Os maus

Brie Hamilton
Aquele decote é muito mau e compete seriamente com aquela cauda pavorosa.

Felicity Jones
Querida, eu sei que estávamos em época de Carnaval, mas não era necessário vires fantasiada de bailarina clássica...

Jessica Biel
A moça está em grande forma e quem me dera a mim enfiar-me num vestido destes e fazer a boa figura que ela faz. O que não invalida que o mesmo seja horrível!

Kirsten Dunst
O vestido não é mau de todo, mas não consigo gostar dele.

Naomi Harris
O tecido acabou e ficou mesmo assim.

Priyanka Chopra
Aquele decote é tão mau que nem consigo encontrar adjectivos que qualifiquem o suficiente. Ocorre-te algum?

Salma Hayek
Tão viúva negra que até dói.

Sofia Boutella
Começou tão bem e estragou tudo com esta espécie de espanador branco para confirmar que a passadeira estava mesmo imaculada. Tipo, "algodão não engana", percebes?

Os péssimos

Alicia Vikander
Mais uma que veio para o Carnaval, mascarada de Dama Antiga Dark, e acabou, sabe Deus como, a assistir aos Óscares.

Blanca Blanco
A moça que foi aos Óscares para mostrar o pipi ao mundo. Ainda por cima, mal vestida!

Cynthia Erivo
A MINHA MARCHA É LINDAAAAAAAAA!!!!

Dakota Johnson
A moça já tem um ar sem sal em modo normal e manteve o registo.

Ginnifer Goodwin
Aqui, só a cor é que se safa!

Janelle Monae
Este vestido tem tanta informação e toda tão má, que os meus olhos se perdem e fogem para não confundir ainda mais o meu cérebro.

Leslie Mann
Eu já não sou pessoa que gosta de amarelo, mas esta coisa assemelha-se tanto a um bolo cheio de babados que não o imagino a ficar melhor, fosse qual fosse a cor dele.

Nicole Kidman
Longe vão os tempos em que esta mulher sabia escolher e estava sempre na lista das melhores...

Raphaela Neihausen
Esta menina também podia desfilar pela Avenida da Liberdade, em Junho próximo.

Ruth Negga
Medo. Muito medo...

Scarlett Johanson
Tenho para mim que alguém ficou sem cortinados em casa.

Que tal? Gostaste deste pequeno best of dos Óscares de 2017? Qual o teu vestido favorito? Ou, se quiseres, qual o pior?

Podes também ver os vestidos das edições anteriores, comentadas aqui no blog:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...