expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 22 de março de 2017

Amar pelos dois e o Festival da Canção 2017



Ora aqui está um tema que tem andado a morder-me nos últimos tempos, que é como quem diz, desde que conhecemos os finalistas do nosso tradicional Festival da Canção 2017. Muito se tem dito e escrito sobre o assunto e não podia ignorá-lo.

Primeiro, porque sou pessoa que tem opinião sobre tudo e mais um par de botas. Depois, porque gosto de música e tenho uma ligeira queda pelo Festival de Canção. Não pelo dos anos mais recentes e que só nos envergonham.

Falo da época em que o Festival era um acontecimento que parava o país e que de lá saíam algumas das melhores músicas existentes no reportório nacional. Quem não conhece, pelo menos, uma música saída do Festival da Canção?

Eu lembro-me de várias e que se encontram entre as minhas favoritas, cantadas na língua portuguesa. Já merecemos ganhar por diversas vezes e, por razões alheias à música, ficámos sempre longo do resultado esperado e merecido.

Nos últimos anos, tem sido um espectáculo degradante e que só me faz apagar da memória qualquer vestígio dos mesmos. Eis senão quando surge Salvador Sobral, qual D. Sebastião, com uma música deliciosa, escrita pela talentosa irmã, Luísa Sobral. com uma melodia que nos envolve e devolve a magia e o encanto inicial, perdido e, pensava eu, irrecuperável.


Nasceu um milagre em 2017, com "Amar pelos dois". Esta não será uma música para namorar, mas teria lugar garantido na minha Playlist para corações partidos. Nem vou perder tempo a divagar com os tantos comentários de pura maledicência que povoaram as redes sociais. Esta música devolveu-me a esperança no nosso querido e saudoso Festival e a vontade de ver a cerimónia da Eurovisão.

Já para não falar dos imensos comentários de estrangeiros que, mesmo sem compreender o belo significado da letra, se fascinaram com esta música e estão rendidos ao Salvador. É impossível não sentir orgulho e depositar as minhas esperanças neste miúdo.

Ainda que venha de lá sem a Taça, continuamos orgulhosamente a cantar na nossa língua, porque é ela que nos representa e faz parte da nossa identidade enquanto povo. Ainda que fique em último, como tantos portugueses parecem acreditar, levamos uma música que não nos envergonha de forma alguma.

Para mim, estas já são razões de sobra para nos sentirmos vencedores. Agora, que sabia bem vencer, lá isso sabia sim! E tu? Acreditas na vitória do Salvador ou nem por isso? 

4 comentários:

  1. Uhg. A minha opinião sobre esta música nada tem a ver com os tiques e o ar de pedinte com que o rotularam nas redes sociais. Mas que não gosto da música, não gosto. Não me cativa, dá-me sono, não me seduz, não consigo sentir a música... não acho nada de especial e, definitivamente, não a vejo merecedora de uma vitória.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não concordo contigo, mas respeito muito a tua opinião. Precisamente por ser uma opinião legítima de quem tem o direito de não gostar da música. Ao contrário dos ataques que referiste nas redes sociais, que se limitam ao insulto gratuito e desinformado.

      Eliminar
  2. Eu simplesmente ADORO esta música! Não me canso de a ouvir. É certamente uma das melhores letras e melodias portuguesas dos últimos tempos.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não poderia estar mais de acordo e, pelo menos, não passamos vergonhas com este tema, independentemente do resultado final.

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!