terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Vitória esmagadora e Desafio Final



Se existe algo que dificilmente passará de moda, tenho cá para mim que serão os reality shows. Por muito que todos digam que não gostam, que não assistem, que não percebem como ainda se produz este tipo de programas, a verdade é que estes formatos continuam a ter audiências significativas que comprovam que existe muito boa gente que afirma não ver mas que, protegidos no secretismo das suas casas, assistem religiosamente ao que de melhor, ou pior, de faz em Portugal dentro deste género. 

Falando por mim, o meu fascínio nasceu com o surgimento do primeiro Big Brother e cresceu com aquele grupo inteiramente genuíno, que não sabia bem para o que ia e que nunca almejou fama fácil ou reconhecimento. Foram em busca da aventura. Uma aventura que gostaria de ter vivido na primeira pessoa e que foi perdendo essa inocência em cada nova remessa de concorrentes. 

No entanto, permaneço uma telespectadora assumida destes formatos e não tenho qualquer espécie de vergonha por o dizer. É um programa como outro qualquer e, para quem olhar com atenção, muito se aprende, pelo menos no que diz respeito a relações humanas e comportamentos a evitar nas nossas vidas. 

Esta é a leitura que faço, sem esquecer a quota parte de entretenimento que, no fundo, é para isso mesmo que isto serve. No entanto, quando penso na última Casa dos Segredos, salta à vista algumas mudanças, tanto nos concorrentes como em quem assiste e vota. 

Basta pensar que, na edição anterior, foi uma conquista e uma surpresa ter sido uma mulher a vencedora. Agora, quem levou a taça foi uma mulher, declarada vencedora durante semanas e semanas, com uma margem recordista no que a Casa dos Segredos diz respeito. 



A verdade é que toda esta edição girou em torno de Helena e das inimizades que foi conquistando. Atacada por todos os lados, e apesar de considerar a concorrente a mulher mais inteligente e culta de todas as edições, chegou à vitória empurrada pelos ataques recorrentes dos seus companheiros. 

Foi inclusivamente atacada por Teresa Guilherme, assunto sobre o qual divaguei aqui. Os que a acompanhavam não aprenderam nada com as sucessivas expulsões de quem a atacava. Foram seguindo com os ataques, transformando-a numa vítima, e oferecendo-lhe o prémio de bandeja. 

Tirando o incidente do racismo, que para mim foi grave, só se falou em Helena. E isso ditou a sua vitória esmagadora. E é assim que chegamos ao derradeiro Desafio Final. Aquele que, segundo se diz, irá ditar o final do formato Casa dos Segredos e da Voz. 

Não acredito que seja o fim dos reality shows em Portugal, mas a verdade é que este formato está gasto e é cada vez mais difícil encontrar concorrentes fortes, interessantes e carismáticos para suplantar os mais antigos. No fundo, é o que torna estes desafios tão especiais. É a oportunidade para rever concorrentes que ficaram na memória e que souberam se mover nos meandros da casa como ninguém. 



O que tornou este desafio ainda mais interessante foi a mistura com concorrentes de outros formatos, como o Love on Top ou A Quinta. Revolucionou de tal forma que, em vez de discussões violentas e lavar de roupa suja, tivemos muito mais amor e ciúme. Em três semanas, é obra! 

O lote de finalistas, a meu ver, foi perfeito. Foram os mais importantes e que mais deram a este desafio. Quanto ao vencedor, o que se pode dizer? Acho o Filipe um gato cheio de classe e com uma inteligência fascinante, mas sou completamente fã do meu Carlinhos desde o primeiro instante em que o rapaz nos entrou pelos ecrãs a dentro. 

Inclusivamente, já tive a oportunidade de estar com ele quando fez uma presença por terras próximas e percebi perfeitamente o motivo para continuar a ser requisitado para as mesmas tantos anos passados após a edição onde surgiu pela primeira vez. Posto isto, considero a vitória do Carlos inteiramente justa. A primeira vitória de um concorrente que tanto nos deu e que ficará nas nossas memórias. 

Concordaste com estas vitórias? Foram, a Helena e o Carlos, justos vencedores?


segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Passatempos da Trintona - By the Book



Eu até sei que o número três é considerado por muitos o número da perfeição e coisas que tal, mas não resisto a lançar um último passatempos que promete tirar o fôlego até à mais fria das pessoas. E como eu sei que estás longe de ser uma pessoa fria e sem coração, respira fundo, mantém a calma e prepara-te para o que aí vem de seguida. 

O parceiro é recente, mas vez para revolucionar e, certamente, ficará na história dos passatempos realizados neste blog pela sua generosidade. Assim sendo, a Editora By the Book chega para te oferecer uma pilha de livros, cada um mais giro que o outro. 

Com isto, significa que neste último passatempo iremos fechar com chave de ouro. Não teremos um, mas sim nove vencedores. Assim, cada vencedor irá receber, no conforto do seu lar, um exemplar de um livro oferecido pela By the Book. 

Agora já sei que estás em pulgas para saber que livros afinal podes ganhar. E eu, como não te quero em sofrimento nem ser causadora de qualquer maleita cardíaca, mostro-te já que livros estarão a concurso e que serão sorteados de forma aleatória.

1 exemplar 

2 exemplares

1 exemplar

1 exemplar

1 exemplar

2 exemplares

1 exemplar

Para te habilitares a seres um dos vencedores só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome dos vencedores será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 15 de Fevereiro.

Boa sorte a todos! ;) 

sábado, 28 de janeiro de 2017

Passatempos da Trintona - Edições Vieira da Silva



Como sou uma pessoa de palavra, vamos continuar na saga dos passatempos. Afinal de contas, não é todos os dias que se faz 31 anos (graças a Deus!). Agora que o primeiro e o segundo passatempo já foram lançados, é o momento para lançar o terceiro passatempo da trintona. 

Voltamos aos repetentes, porque em equipa que ganha não se mexe. Depois do sucesso do passatempo de Natal, não poderia abrir mão de uma das parcerias que se tem mostrado sempre tão disponível. E por isso, o terceiro passatempo da trintona conta com o apoio das Edições Vieira da Silva, que tem mais um prémio fantástico para te oferecer. 

O prémio que podes ganhar hoje é um exemplar do livro "Fruto Proibido", de Catarina Broco. Um romance que promete polémica e momentos inesquecíveis. Confesso que fiquei altamente curiosa com esta história e conto com o vencedor ou vencedora para me dizer se é tão bom como parece. Posso contar contigo?


Para te habilitares a ganhar este livro só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 15 de Fevereiro.
Boa sorte e continua com atenção, pois as surpresas não vão ficar por aqui! ;) 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Passatempos da Trintona - Chiado Editora



Ontem saiu o primeiro passatempo comemorativo do meu aniversário e hoje já vai sair o segundo, para não perdermos o embalo. Vais ter mais prémios a sorteio ao longo desta semana, mas para seres um dos vencedores tens mesmo de participar.

Fruto de uma parceria de sucesso, e que muitos bons momentos me tem proporcionado, com a Chiado Editora, mas que também se tem estendido a outras pessoas através de passatempos lançados, como foi o caso do passatempo de Natal

O fantástico prémio que podes ganhar é um exemplar do livro "Quem tem coragem?", de José Canita. Assim que recebi o livro que escolhi para este sorteio, fiquei com uma imensa inveja do vencedor deste passatempo, porque o livro parece ser mesmo interessante e promete ajudar em termos de orientação pessoal e profissional.

Só para ficares com uma ideia, a primeira edição deste livro esgotou em apenas três semanas! Dá para acreditar? Tenho cá para mim que vou ter de arranjar um exemplar para mim para descobrir o segredo do sucesso desta obra. 


Para te habilitares a ganhar este livro motivador só tens de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 15 de Fevereiro.
Boa sorte e continua com atenção aos próximos passatempos da trintona! 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Passatempos da Trintona - The Power*Babes Collection



Como prometido ontem, celebrei o meu 31º aniversário e pretendo celebrar contigo. Para isso, reuni uma série de prémios, graças aos fantásticos parceiros que a mim se juntaram, para que possas celebrar esta data comigo. 

É uma efeméride que sempre me causa algum desconforto mas que, com a tua ajuda, espero que se torne bem melhor. E para começar esta saga de passatempos, que se irá estender pelos próximos dias, nada como uma repetente nestas andanças dos passatempos neste blog. 

Falo da loja The Power*Babes Collection, cujo passatempo de Natal foi um sucesso, que está repleta dos produtos mais giros que tenho visto nos últimos tempos. Já para não falar da simpatia da Marta, com quem tem sido um enorme prazer conversar e planear estes passatempos. Imaginem que, sabendo que o meu aniversário seria agora em Janeiro, teve a gentileza de me enviar um presente lindo de morrer e que conto partilhar aqui muito em breve. 

Mas o que agora interessa não é o meu fabuloso presente, mas o que podes ganhar com este passatempo imperdível. O prémio será um Planner Babe Borboleta, que acredito que será uma excelente ajuda para planificares as próximas semanas e alcançares todos os teus sonhos e objectivos. 


Para te habilitares a ganhar só precisas de:



Algumas regras:
  • Só é permitida uma participação por pessoa.
  • Passatempo válido para Portugal Continental e Ilhas.
  • O nome do vencedor será divulgado aqui e será contactado por e-mail, ao qual terá de responder em 48 horas. Se o prémio não for reclamado nesse prazo, será realizado novo sorteio.
  • Termina em 15 de Fevereiro.
Boa sorte e presta atenção, pois os passatempos vão continuar e existem mais prémios fantásticos para ti! 

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Que venham os 31!



O tempo não se cansa e está sempre a avançar, sem se deter por nada nem ninguém. E é assim que se passa mais um ano completo e chego aos 31 anos de idade. Prossigo pela década dos trinta, em busca do meu caminho e do que me faz feliz. 

No aniversário em que entrei nos 30, acreditava que este seria um ano repleto de coisas boas e, de facto, não me posso queixar. Não correu tudo como imaginei nem alcancei todos os meus objectivos, mas sinto que estou no bom caminho e com sérias chances de tornar esta década memorável. 

Começo o ano com um emprego muito interessante e que me desafia e obriga a saber mais e melhor para realizar um bom trabalho. Além do bónus extra de ter como colegas de trabalho pessoas que certamente ficarão para a vida. 

Depois a nível pessoal, as minhas amizades são as melhores do mundo. Mesmo os que estão longe, pelas circunstâncias geográficas, têm um lugar enorme no meu coração pelas pessoas fantásticas que são. Em tudo o que me corre menos bem, sou sempre compensada com amizades fortes e que, com toda a certeza, ficarão para a vida. 

Para este aniversário, lá terei de trabalhar, coisa que me agrada e que me permite fugir a grandes celebrações. A folga só virá amanhã e com ela começarão algumas surpresas que tenho reservadas para ti que me lês e acompanhas este blog. Porque apesar de ser eu quem está de parabéns, os presentes serão teus, se assim quiseres. 

Posto isto, feliz aniversário para mim e que venham os 31 e que sejam fantásticos!


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

O negócio das adopções



Este assunto tem dado muito que falar, tanto na Comunicação Social, como nas redes sociais. Tudo começou quando uma repórter da TVI decidiu investigar uns rumores que nos chegavam do Reino Unido. Relatos de portuguesas que ficaram sem os seus filhos, retirados pelas autoridades britânicas, alegadamente por não terem condições e por colocarem em risco o bem-estar desses menores. 

A polémica instalou-se quando se percebeu que existiam uma série de histórias mal explicadas e onde se praticava uma quase perseguição a estas mães, muitas vezes, sem motivos sólidos e bem fundamentados. É claro que defendo a protecção das crianças acima de tudo, mas não me parece que seja suficiente um comentário de uma criança na escola, sem qualquer prova adicional, para retirar essa mesma criança à sua família.

Ainda concordo menos com a forma acelerada com que colocam essas crianças portuguesas para adopção, sem dar grandes hipóteses aos pais de recuperarem os seus filhos. A coisa ainda se agrava quando percebemos o negócio que se formou em redor deste assunto.

Perceber que se pode receber uma quantia avultada para ser família de acolhimento, onde as restrições e exigências para tal são mínimas, é assustador. Bem como o pormenor de que as próprias assistentes sociais estão relacionadas com empresas privadas que vivem desses processos de entregar crianças a famílias de acolhimento e processos de adopção plena.

É óbvio que não acredito que todas as situações sejam exageradas para se poder retirar crianças, bonitas e fáceis de colocar para adopção, às famílias e ganhar dinheiro com isso. Tal como cá se passa, certamente existem casos em que as acusações são legítimas e o mais correcto é mesmo retirar essas crianças e protegê-las das próprias famílias.

Contudo, com o que vi nesta reportagem, a sensação que se fica é que as pessoas envolvidas não serão as mais isentas para julgar cada caso e que existem inúmeras situações injustas e onde as famílias são as vítimas. Vítimas que não conseguem pedir ajuda, pois vivem sob a ameaça de serem totalmente impedidos de ver os seus filhos e outras ameaças do género.

Apesar de não acreditar que todos sejam vítimas inocentes, considero importante que lhes seja dado o direito de uma defesa e um juiz sem interesses próprios nos casos. E que o Governo Português ganhe consciência do que se passa por terras de Sua Majestade, preste auxílio a estes portugueses e peçam contas a quem de direito.

Como sabem, não tenho filhos nem previsão para os ter a curto prazo, mas não sou capaz de ficar indiferente a estes testemunhos. A angústia de quem está acusado, sendo inocente, deve ser gigantesca e a sensação de impotência enorme. Emigrar nunca foi algo que estivesse nos meus planos, embora ninguém possa prever o dia de amanhã, mas depois de tudo o que se disse, o Reino Unido está completamente riscado da minha lista.

E tu? O que pensas desta polémica em torno do negócio das adopções no Reino Unido?

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Desafio de Cinema (9/52) - Sessão da Tarde



Começo já por dizer que, até ao momento, este foi o desafio mais difícil de escolher. Primeiro, debati-me com este conceito abstracto que é o filme da sessão da tarde. Qual o tipo de filme que se enquadra melhor? Foi a dúvida que me perseguiu desde que comecei a debruçar-me sobre o desafio desta semana. 

Depois lá me decidi por encontrar um filme com uma história mais leve. Ainda ponderei em escolher uma comédia, mas não sou a maior fã deste tipo de filme e as poucas que me agradam não seriam apropriadas para um horário como o da tarde. Posto isto, lá passei mais umas horas em busca do filme perfeito para aqui partilhar.

Eis senão quando, a solução atingiu-me em cheio e senti que o difícil dilema tinha, enfim, solução. A escolha recaiu num filme de animação, outro género que não me costuma chamar a atenção, dos mais bem conseguidos dos últimos anos. 

É certo que o mercado de animação tem crescido e evoluído bastante e que estes filmes são direccionados cada vez mais a adultos e não tanto para crianças. As piadas são mais elaboradas e inteligentes. Mas o que mais me deixou rendida foi o tão popular "Shrek". 

As aventuras de um ogre verde, que se cruza com uma princesa amaldiçoada têm sido mais do que muitas e que nos têm mantido presos aos ecrãs, na ânsia de mais episódios e de mais motivos para rir a bandeiras despregadas.

Admitam lá que esta foi uma escolha perfeita e capaz de agradar a todos? 


Sinopse
Quando um ogre verde, chamado Shrek, descobre que o seu pântano foi "inundado" com todo o tipo de criaturas de contos de fadas pelo intrigante Lord Farquaad, Shrek sai com um burro muito falador ao seu lado para "persuadir" Farquaad a dar a Shrek o seu pântano de volta. Em vez disso, um acordo é feito. Farquaad, que quer se tornar rei, envia Shrek para resgatar a princesa Fiona, que está à espera do seu amor verdadeiro numa torre guardada por um dragão. Mas assim que eles voltam com Fiona, começa a tornar-se evidente que não só Shrek, um ogre feio, começa a apaixonar-se pela linda princesa, mas Fiona também esconde um enorme segredo.


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Uma noite com... #121










Filipe Vilarinho

O senhor Top Boy, vencedor do Love on Top e que podemos ver no Desafio Final Agora ou Nunca, a espalhar charme como sempre

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Sexo no primeiro encontro. Sim ou não?



Já desde Novembro do longínquo ano de 2016 que aqui não vinha divagar sobre temas variados ou questões que me assolam a alma. A minha e a vossa, claro está. Desta vez, apetece-me voltar ao tão complexo tema das relações amorosas. É um tema recorrente em qualquer parte do mundo, até porque o amor é a melhor coisa do universo. 

O problema é que dá uma trabalheira danada. Lembro-me de aqui responder a uma das questões mais proferidas, em voz alta ou apenas dentro da nossa cabeça, acerca das motivações dos homens para não nos voltarem a ligar, ainda que após um encontro perfeito, fantástico e inesquecível. 

Feliz ou infelizmente, as relações não se encaixam nas ciências exactas e vivem do subjectivo. Cada caso é um caso, embora a experiência de vida nos vá ensinando alguma coisinhas que podem ajudar na hora de avançar para uma furada ou saltar fora. Ou até mesmo no momento de reconhecer alguém que vale a pena e que nos merece. 

O assunto que hoje proponho trata de uma parte importante e essencial das relações, o sexo. Digam o que disserem, amor sem sexo é amizade e isso é uma outra coisa. O sexo não é, de todo, um tema novo por estas paragens. Já antes especulei sobre mulheres que não gostam de sexo e sobre a culpa que cabe aos homens essa situação. 

Ainda que pareça que estou a defender um ponto de vista cínico, tenho de afirmar que uma relação amorosa que envolva mau sexo dificilmente será bem sucedida. Uma vida sexual satisfatória é muito importante. Basta pensar que é o termómetro das relações. Quantas vezes percebes que a relação está a atravessar uma crise pela diminuição das vezes que o casal faz sexo?

Defendo também que o sexo de excelência alcança-se com o tempo. Com a vontade de fazer mais e melhor. Com o desejo de dar ao outro ainda mais prazer. As primeiras vezes são de descoberta. A procura para conhecer o corpo do outro e o que o faz vibrar.

A questão que hoje te trago está relacionada precisamente com a primeira vez que decides ir para a cama, ou outro sítio qualquer que vos aprouver, com a pessoa que te desperta os sentidos e te faz desejar avançar.

A verdade é que ainda existe um preconceito enorme sobre as mulheres que decidem ter relações sexuais num primeiro encontro. Existem inúmeros homens, que espero serem cada vez menos, que consideram que essas mulheres serão só para uma aventura e nunca para levar a sério ou para prosseguir para uma relação oficial.

Pela parte que me toca, um homem que pense dessa forma nunca seria alguém que quisesse na minha vida. Até agradeço que dê à sola e não me faça perder tempo. Com isto não estou a defender que deves enfiar-te na cama desse bonitão no primeiro instante. Nunca me considerei uma mulher fácil, mas também aprendi que existem oportunidades que só nos surgem uma vez e é preciso agarrá-las se a vontade for essa.

Ficaste confusa? Eu explico melhor. O que eu defendo é que se o encontro for extraordinário e o clima for mais do que perfeito, se ele te atrai duma forma inesperada e se for essa a tua vontade nesse momento, não deves dizer que não só para dar uma de durona ou de mulher séria que não faz sexo com o primeiro que lhe aparece.

Agora, se ainda não tens certezas quanto ao que queres, se não te sentes confortável com essa ideia, deves dizer que não, sem culpas ou medos. O que os homens têm de perceber é que quando uma mulher lhes diz que não e se estão verdadeiramente interessados, vão ter de investir tempo para conquistar essa mulher e fazê-la perceber que são alguém que vale a pena conhecer.

E quando uma mulher lhes diz que sim e cai na cama deles para uma noite fantástica de sexo, não significa que essa mesma mulher que lhes despertou o desejo seja uma oferecida ou que o faça com todos. A leitura a fazer é simples e é só que o homem em questão é tão especial que lhes quebrou todas as reservas e defesas.

Percebes agora que a resposta a esta pergunta é simples e está dentro de ti? És a única que pode decidir o que é certo, pois só tu sabes o que estás a sentir e o que desejas. Tudo o que é feito de forma verdadeira e sem prejudicar ninguém é o que está certo. O resto são opiniões e nunca deves decidir nada na tua vida com o único intuito de agradar a terceiros.

Pronta para ser feliz no próximo encontro?

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Eu fui aos Saldos - Stradivarius e C&A



Depois de ter analisado os posts mais populares de 2016, percebi o quanto a malta gosta de ver as minhas compras no geral e os achados dos saldos em particular. Portanto, como estamos em plena época de saldos e já andei a espreitar as lojas do meu coração, não podia deixar de aqui partilhar as minhas compras nestes saldos de Inverno. 

A minha última incursão no que diz respeito a compras foi na Black Friday e correu-me muito bem. Como tal, as expectativas estão em alta, pois espero continuar a encontrar peças especiais a preços simpáticos. Uma busca que dá muito trabalho e implica algumas horas passadas entre lojas confusas ou a navegar nos sites das marcas, bem mais organizados, por sinal.

As minhas primeiras compras foram na Stradivarius e deixaram-me muito felizes. Acontece-me muitas vezes comprar roupa de Verão nos saldos de Inverno e desta vez não foi excepção. Encontrei uma blusa muito fluída e com um tom bem mais claro do que é meu hábito. Só para perceberem o quanto não fui capaz de lhe resistir, ainda por cima estava a um preço imperdível, uns meros 5,99€.


Pois é, acabei de comprar uma peça de roupa rosa. Mas não é um rosa qualquer, ok? Mas não se preocupem com a minha sanidade mental, pois a segunda peça que veio morar cá para casa é preta, como manda a tradição.

Aliás, é algo que muita falta me fazia e que me vai fazer companhia por muito tempo, tenho a certeza. Comprei uma clutch preta, totalmente a minha cara e com um preço de perder a cabeça. Veio comigo por apenas 7,99€.


Em seguida, fui passear até à C&A, que nem é uma loja que esteja presente nas minhas preferências. Contudo, nos últimos tempos tem-me surpreendido pela positiva e nunca deixo de ir até lá espreitar as modas. E foi numa dessas visitas que encontrei a minha mais recente mala.


Desta forma, ganhei uma nova mala castanha - embora, ainda me falte encontrar uma preta fantástica -, por apenas 9,99€. Diz lá se não foi um bom investimento?

A minha saga pelos saldos continua, sempre em busca da melhor compra do ano. E tu? Já foste aos saldos? Conta-me qual a loja que achas que tenho mesmo de visitar?

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Prémio Recebido - A Pipoca mais doce e Phillippe by Almada



Hoje, voltamos com a saga dos prémios recebidos, pois é sempre bom saber onde é possível participar em passatempos onde, de facto, se recebe os prémios sorteados. Pois, de prémios fantasmas já anda meio mundo farto e promessas leva-as o vento. 

E se em Novembro fiquei super hiper mega contente com o meu livro da Editorial Presença, o prémio que recebi em Dezembro é ainda mais surpreendente. Não tanto pelo prémio, que não deixa de ser fantástico e de me permitir ficar a conhecer uma marca muito falada pela blogosfera, mas porque consegui vencer um passatempo da Pipoca! 

É verdade, meus amigos. Aquilo afinal não é mito urbano! Não pensem que estou a dizer que desconfio dos passatempos que decorrem por lá. Nada disso. Até porque conheço alguém que venceu um passatempo da Pipoca mais doce. Digo isto porque é tão improvável ser vencedor que a pessoa quase desanima. 



Mas, por fim, a sorte sorriu-me e fui uma das vencedoras de um dos muitos passatempos de Natal e recebi cá em casa um creme de mãos, que irá ser de grande utilidade, da Phillippe by Almada. Os tais cremes com leite de burra. É uma marca da qual só oiço maravilhas e agora, finalmente, irei ter a oportunidade de confirmar a veracidade de todos esses elogios. 

Apesar de estarmos em Janeiro, não posso afirmar que comecei o ano de 2017 a ganhar passatempos e a receber prémios. No entanto, é verídico que terminei 2016 a vencer um passatempo da Pipoca e isso já me deixa com uma sensação de bom augúrio. Terei razão para tanta confiança? É o que vamos ver nos próximos 12 meses que se seguem. 

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Desafio de Cinema (8/52) - Lançado em 2016



O desafio proposto para esta semana era escolher um filme tão recente que tivesse sido lançado em 2016. Mais uma vez, a resposta surgiu-me logo no mesmo instante em que parei para pensar um pouco sobre o assunto. Penso até que serei óbvia tão fácil será adivinhar qual seria a minha escolha para esta tema. 

Afinal de contas, não é segredo para ninguém, muito menos para ti que me segues aqui, que sou uma fã assumida e orgulhosa de Harry Potter. É verdade que sou fã e defensora da saga literária e que considero os filmes os parentes pobres. Servem, principalmente, para visualizar e, de certo modo, uniformizar as imagens que cada um criou na sua imaginação.

No entanto, sabendo quem se tinha dedicado a escrever o argumento para este filme, não podia ignorá-lo. Era-me fisicamente impossível e por isso este foi o pretexto perfeito para ir espreitar o mais recente presente de J. K. Rowling. 

Como já perceberam, falo do tão falado "Monstros Fantásticos e Onde Encontrá-los". Só a promessa de voltar a ver no cinema o universo mágico já vale a pena. Isso e a emoção de ouvir a música inicial, claro. E o filme não desilude. É certo que se nota claramente que é apenas o início da história, o levantar do véu de forma muito ligeira. O que aguça ainda mais a curiosidade para o que se segue. 

Até porque as referências a personagens conhecidas do universo Harry Potter nos deixam a pensar quantas surpresas iremos encontrar nos próximos filmes. É o começar de uma nova saga e que me deixou ainda com mais vontade de comprar o roteiro original e mergulhar de cabeça neste novo mundo. 

Pela minha parte, vou ficar com as antenas ligadas e não irei perder os próximos filmes. E tu? Já te viciaste nesta história? 


Sinopse
O excêntrico magizoologista Newt Scamander (interpretado pelo vencedor do Óscar, Eddie Redmayne) chega a Nova Iorque (por motivos que não iremos revelar) com a sua velha mala de viagem. Esta mala tem características que a tornam muito, muito, muito maior por dentro do que por fora, o que permite a Newt carregar consigo em viagem vários habitats com os mais variados monstros mágicos no seu interior. Ele descobre que a comunidade mágica americana vive escondida e amedrontada da comunidade Muggle (conhecidos por No-Maj nos Estados Unidos) e o risco de serem descobertos é ainda maior do que no Reino Unido (Lembra-se dos julgamentos de Salem?). "Monstros Fantásticos" é a história sobre o que acontece quando um feiticeiro inglês com um conjunto de aptidões bastante particulares viaja para uma Améica temente de maga e vê algumas das suas criaturas, algumas bem perigosas, escapar da sua mala. 



Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Uma noite com... #120










Jeremy Meeks
O ex-presidiário mais famoso do mundo
(e mais bonito também...)

Podes ver os gatos das semanas anteriores aqui. 

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Os melhores posts de 2016



Este ano, decidi olhar com atenção para os posts que publiquei no ano anterior e tentar perceber quais os que tiveram mais visibilidade para tentar perceber um pouco melhor o que mais agrada a quem me lê. Não contabilizei, como é óbvio, com os posts referentes a passatempos e respectivos resultados, pois são sempre dos mais vistos pelas razões evidentes.

Portanto, decidi fazer também este balanço e registá-lo no blog para que possam ver ou rever os melhores posts de 2016. Gostaste da ideia? 



JANEIRO

FEVEREIRO

MARÇO

ABRIL

MAIO

JUNHO

JULHO

AGOSTO

SETEMBRO

OUTUBRO

NOVEMBRO

DEZEMBRO

Como podem verificar, é possível encontrar uma variedade de temas entre os favoritos que me faz acreditar que é viável continuar a escrever sobre tudo o que me interessa no mesmo espaço e cativar os leitores com essa mesma diversidade de temáticas.

Muito se fala em focar num nicho e explorá-lo sem grandes divagações. No entanto, não consigo aplicar essa prática neste meu espaço pois só me faz sentido ter um blog enquanto pequeno reflexo de mim. E eu sou tudo o que me interessa e apaixona. Desde os livros, passando pela política ou pelos temas da actualidade, sem esquecer as compras e tudo o que está relacionado com moda e beleza, até aos gatos que tanto gosto de partilhar.

Portanto, em 2017 vou continuar este caminho. Sempre em busca de fazer mais e melhor, mas sem fugir à minha essência e ao que me faz feliz. Só espero poder continuar a contar contigo que comentas, que partilhas ou que apenas lês os meus devaneios.

Encontraste o teu post favorito de 2016 aqui? Qual foi, para ti, o melhor dos melhores?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...