expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Sexo no primeiro encontro. Sim ou não?



Já desde Novembro do longínquo ano de 2016 que aqui não vinha divagar sobre temas variados ou questões que me assolam a alma. A minha e a vossa, claro está. Desta vez, apetece-me voltar ao tão complexo tema das relações amorosas. É um tema recorrente em qualquer parte do mundo, até porque o amor é a melhor coisa do universo. 

O problema é que dá uma trabalheira danada. Lembro-me de aqui responder a uma das questões mais proferidas, em voz alta ou apenas dentro da nossa cabeça, acerca das motivações dos homens para não nos voltarem a ligar, ainda que após um encontro perfeito, fantástico e inesquecível. 

Feliz ou infelizmente, as relações não se encaixam nas ciências exactas e vivem do subjectivo. Cada caso é um caso, embora a experiência de vida nos vá ensinando alguma coisinhas que podem ajudar na hora de avançar para uma furada ou saltar fora. Ou até mesmo no momento de reconhecer alguém que vale a pena e que nos merece. 

O assunto que hoje proponho trata de uma parte importante e essencial das relações, o sexo. Digam o que disserem, amor sem sexo é amizade e isso é uma outra coisa. O sexo não é, de todo, um tema novo por estas paragens. Já antes especulei sobre mulheres que não gostam de sexo e sobre a culpa que cabe aos homens essa situação. 

Ainda que pareça que estou a defender um ponto de vista cínico, tenho de afirmar que uma relação amorosa que envolva mau sexo dificilmente será bem sucedida. Uma vida sexual satisfatória é muito importante. Basta pensar que é o termómetro das relações. Quantas vezes percebes que a relação está a atravessar uma crise pela diminuição das vezes que o casal faz sexo?

Defendo também que o sexo de excelência alcança-se com o tempo. Com a vontade de fazer mais e melhor. Com o desejo de dar ao outro ainda mais prazer. As primeiras vezes são de descoberta. A procura para conhecer o corpo do outro e o que o faz vibrar.

A questão que hoje te trago está relacionada precisamente com a primeira vez que decides ir para a cama, ou outro sítio qualquer que vos aprouver, com a pessoa que te desperta os sentidos e te faz desejar avançar.

A verdade é que ainda existe um preconceito enorme sobre as mulheres que decidem ter relações sexuais num primeiro encontro. Existem inúmeros homens, que espero serem cada vez menos, que consideram que essas mulheres serão só para uma aventura e nunca para levar a sério ou para prosseguir para uma relação oficial.

Pela parte que me toca, um homem que pense dessa forma nunca seria alguém que quisesse na minha vida. Até agradeço que dê à sola e não me faça perder tempo. Com isto não estou a defender que deves enfiar-te na cama desse bonitão no primeiro instante. Nunca me considerei uma mulher fácil, mas também aprendi que existem oportunidades que só nos surgem uma vez e é preciso agarrá-las se a vontade for essa.

Ficaste confusa? Eu explico melhor. O que eu defendo é que se o encontro for extraordinário e o clima for mais do que perfeito, se ele te atrai duma forma inesperada e se for essa a tua vontade nesse momento, não deves dizer que não só para dar uma de durona ou de mulher séria que não faz sexo com o primeiro que lhe aparece.

Agora, se ainda não tens certezas quanto ao que queres, se não te sentes confortável com essa ideia, deves dizer que não, sem culpas ou medos. O que os homens têm de perceber é que quando uma mulher lhes diz que não e se estão verdadeiramente interessados, vão ter de investir tempo para conquistar essa mulher e fazê-la perceber que são alguém que vale a pena conhecer.

E quando uma mulher lhes diz que sim e cai na cama deles para uma noite fantástica de sexo, não significa que essa mesma mulher que lhes despertou o desejo seja uma oferecida ou que o faça com todos. A leitura a fazer é simples e é só que o homem em questão é tão especial que lhes quebrou todas as reservas e defesas.

Percebes agora que a resposta a esta pergunta é simples e está dentro de ti? És a única que pode decidir o que é certo, pois só tu sabes o que estás a sentir e o que desejas. Tudo o que é feito de forma verdadeira e sem prejudicar ninguém é o que está certo. O resto são opiniões e nunca deves decidir nada na tua vida com o único intuito de agradar a terceiros.

Pronta para ser feliz no próximo encontro?

2 comentários:

  1. "Nunca me considerei uma mulher fácil, mas também aprendi que existem oportunidades que só nos surgem uma vez e é preciso agarrá-las se a vontade for essa."
    Excelente! xD Adoro a honestidade, bem dito! E concordo!

    Se a vontade for grande, que se lixe a regra dos "três encontros", se bem que a expectativa também é fixe, mas a impaciência não o é, portanto ou vai ou racha, e se tiver de ser no primeiro encontro e depois o gajo não der para mais, ao menos não tivemos a perder bué tempo com ele, certo? Do que interessa investir em 10 encontros e depois chegar às vias de facto e o inevitável acontece? A não ser que ele pague esses 10 encontros, com jantares e idas ao cinema, ainda compensa financeiramente, agora fora isso.... perda pura de tempo, tão simples e frio assim, na minha opinião, sim!

    O mais importante é mesmo a química entre as duas partes, e o que o coração manda fazer, o que vier depois, se era só mesmo para uma noite, fica a recordação da noite, se der em algo mais, a magia não se vai perder por causa disso, pelo contrário...

    É só a minha opinião, claro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom que concordas comigo! Mais ainda, por assumires isso publicamente. Não que esperasse outra coisa de ti, mas as mulheres em geral sentem muito medo de assumir este tipo de posição devido aos rótulos que referi no post. Enquanto as mulheres se boicotarem a si próprias, não irão terminar com os comportamentos e pensamentos machistas que ainda existem na nossa sociedade.

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!