expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A minha fé ou falta dela



Os assuntos da fé e da religião são sempre espinhosos e alimentam as maiores polémicas do universo. Contudo, como não sou mulher de fugir de discussões e tenho opiniões a dar sobre tudo e mais um par de botas, apeteceu-me aqui explicar a minha posição no que toca a estes assuntos cabeludos. 

Na verdade, não fui bafejada com o poder de acreditar, sem precisar de razões ou provas factuais. Como tal, não sou capaz de acreditar na existência de Deus, menos ainda na imagem que a Igreja Católica nos incute desse Deus. E refiro-me à Católica por ter crescido em contacto com essa religião em particular. 

Contudo, isso não impede que me sinta fascinada por todos os mistérios que giram em torno das religiões e das suas figuras míticas. Exemplo disso são as minhas leituras, como é o caso de Vaticanum e muitos outros que terão a sua opinião publicada no blog muito em breve. É a curiosidade por entender um fenómeno que não vivo nem sinto na pele. 

Respeito imenso quem tem em si a verdadeira Fé, mas não consigo deixar de acreditar que Deus é uma criação do Homem, na tentativa de dar um sentido a esta vida e à inevitabilidade da morte, e não o contrário. Já para não falar da Igreja Católica, poço sem fundo de incongruências e princípios sem qualquer fundamento. 

Claro que nutro uma especial simpatia pelo actual Papa e pela forma como vai ao encontro das pessoas com uma verdadeira missão de amor ao próximo. Ele revela-se aos nossos olhos como deveriam todos as pessoas religiosas deste mundo, em particular os padres e afins. Talvez se a Igreja entender o poder da aceitação, em vez do julgamento fácil, seja capaz de chegar aos que se têm afastado ao longo dos anos. 

Por outro lado, neste tópico volto a mostrar o quanto sou estranha e pouco coerente. Afinal, posso não acreditar na existência de Deus como entidade criadora de tudo, mas acredito profundamente que aqueles que amamos e nos amaram nunca nos abandonam. É algo que não consigo explicar de forma racional, como quase todos os assuntos relacionados com o oculto. 

No entanto, sinto a presença da protecção constante do meu avô a pairar sobre mim e a conjugar energias para que o auxílio chegue no momento que mais preciso. É uma espécie de sorte que me protege das mais variadas situações, pois no momento em que a coisa se poderia tornar grave, tudo se reorganiza de forma a que não passe de mais um episódio com final feliz. 

É por isso que acredito que a minha estrelinha da "sorte", que me protege onde quer que esteja, da mesma forma que me protegeu enquanto viveu, só pode ser o meu adorado avô. Faz algum sentido para ti as minhas incoerências? És pessoa de fé? Alguém desse lado sente essa protecção misteriosa? 

4 comentários:

  1. Bem, creio que sabes o que penso disto, ainda há pouco debati mais um pouco devido a uma das leituras relacionadas com a inquisição que fiz há uns tempos. Temos opiniões e gostos tão parecidos que até faz impressão =P

    Sou como tu, lá por não gostar nem concordar, não quer dizer que não respeite a fé das pessoas, só não respeito quanto a fé se torna intrusiva. A nossa liberdade acaba quando a do outro começa, e há religiões que violam de tal forma esse conceito que deveria de ser crime, pois é pecaminoso, mas infelizmente não recebem o que merecem e falando nos dias de hoje, quanto mais de há dois mil anos para cá em que é um absurdo o que fazem em nome de uns e de outros...

    Que acredito em que "coisas" existem, claro! Muitas coisas existem, com explicações cientificas e outras nem tanto, lá elas existem, mas o que fazemos em nome disso é que distorce tudo completamente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, como sempre digo, o problema não são as religiões, mas as pessoas que a usam para os seus próprios interesses...

      Eliminar
  2. Não sou católica, acho que muitas vezes as religiões aproveitam-se da fé das pessoas e discordo totalmente deste tipo de ações. Acredito em algo superior mas não sei explicar muito bem em quê. Mas de uma coisa estou certa a fé é importante independentemente daquilo em que cada um acredita.


    Participa no giveaway que estou a fazer no meu blog e habilita-te a ganhares um fato de banho e uns brincos da Zaful.

    http://abpmartinsdreamwithme.blogspot.pt/2017/08/giveaway-zaful-swimsuit-earrings.html

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A fé tem um poder incrível sobre as pessoas e deve ser por isso que existe sempre quem queira usar isso em benefício próprio. Não importa no que cada um acredita, desde que exista respeito pela liberdade do outro.

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!