domingo, 31 de agosto de 2014

Desafio aceite


Durante o dia de hoje, aqui o estaminé andou a ser desafiado por duas meninas muito simpáticas e que tiveram a generosidade de se lembrarem de mim e do meu cantinho. Claro que com tanto desafio, não poderia ignorar nem a Sara nem a Cynthia e cá estou eu pronta a responder!

1º  Desafio
 
1 - O que você não sai de casa sem?
É impossível sair sem telemóvel, sem tabaco e sem as chaves do carro.
 
2 - Animal favorito?
Adoro animais, mas sou muito mais de cães. No entanto, quem nunca teve um animal de estimação, seja cão ou gato ou outro qualquer, não imagina o tanto que anda a perder.
 
3 - Sapato favorito?
Ai, sapatos. Quem por aqui costuma passar, sabe bem o quanto sou doida por sapatos. Por isso é tão difícil escolher só uns. Adoro a elegância dos saltos altos e sou fã do conforto dos mais rasos. Posso ficar só com um armário de sapatos??
 
4- Produto de maquilhagem indispensável?
Máscara de pestanas! Faz toda a diferença e não nos tira uma vida para colocar.
 
5- Maior sonho?
Ser feliz, realizada e ver todos os que amo bem.
 
6 - Maior defeito?
Sou uma pessoa cheia de defeitos, podem crer. Como posso saber qual o maior? A preguiça ou o orgulho?
 
7 - O que te irrita nas pessoas?
Bem, ficávamos aqui um dia inteiro a falar sobre isto. Vamos resumir. Detesto falsidade e falta de carácter.
 
8 - Comida favorita?
Comida italiana é coisa para me deixar a babar. Por cá, o nosso bacalhau com natas.
 
9 - Doce ou salgado?
Mas existe alguém que escolha apenas um?? Tudo depende dos dias. Às vezes sou mais de doces, outras viro-me mais pros salgados. Desde que sejam bons, pode vir qualquer um.
 
10 - O que te deixa feliz?
Sou pessoa de coisas simples. Dormir faz-me feliz. Estar com os amigos também. Viajar faz-me muito feliz.
 
11 - Escolha 5 blogs para fazer este desafio.
Vou desafiar, como pedido, 5 pessoas, mas quem quiser levar, é livre de o fazer. Só peço que me deixem os links das respostas para também as poder ler.

 
 
2º  Desafio
 
1 - O que te fez criar um blog?
A vontade de escrever e partilhar livremente pensamentos e ideias e tudo o que me vier à cabeça.
 
2 - Como escolheste o nome para o teu blog?
Foi uma ideia rápida e que se revelou óbvia. Ainda tentei procurar outras opções, antes de me decidir. Foi em vão. Este "Não Digas Nada a Ninguém" não me saia da cabeça. O motivo é coisa complexa, mas posso dizer que se trata de uma frase que me acompanha há muitos anos, que se tornou parte de mim, ao ponto de ter uma parte desta frase tatuada, e que ia de encontro ao meu desejo de manter a minha identidade secreta para poder expressar-me de forma livre e sem constrangimentos.
 
3 - Qual o assunto que mais gostas de tratar no teu blog?
Gosto de falar sobre tudo o que me apetece. Seja coisas que me acontecem na primeira pessoa, coisas que vejo passar-se ao meu lado ou apenas ideias soltas que surgem sem razão aparente. Só lamento não ter mais tempo livre para dedicar mais a este espaço e às ideias que por vezes me fogem por entre os dedos antes de ter tempo de as agarrar.
 
4 - Qual foi o post que mais gostaste de escrever até agora?
Peço desculpa, mas não consigo escolher! Gosto de escrever e ponto. Isso é suficiente.
 
5 - O que esperas para o futuro do teu blog? 
Conseguir mantê-lo vivo e chegar a cada vez mais pessoas. Não para ser pseudo-famosa, mas para sentir que existe alguém desse lado que me lê, porque quem escreve precisa de ser lido e a melhor forma de sentir isso é através dos vossos comentários.
 
 
 

sábado, 30 de agosto de 2014

2 anos. Já??


 
Pois que, assim de repente, sem eu dar por nada, no dia de ontem, este blog comemorou o seu 2º aniversário. Não estou assim tão mal, ao ponto de só hoje me ter recordado desse importante facto. Na verdade, depois de publicar o post de ontem, fez-se luz e tive de ir confirmar para ter a certeza se era essa a data correcta. Era, mas já estava atrasada para ir trabalhar e por isso fui obrigada a deixar para o dia seguinte estas palavras que hoje vos trago.
 
O primeiro ano foi de descoberta e, atrevo-me a dizer, foi um pouco uma travessia no deserto, porque passei muito tempo com poucas visitas, ainda menos seguidores e comentários era uma coisa rara. Já durante este último ano, graças a algumas pessoas especiais e que sabem quem são, isto tornou-se mais divertido. Os seguidores começaram a surgir e, consequentemente, os comentários e a interacção, o diálogo, tudo coisas que me aprazem, chegaram.
 
Tenho vos a agradecer a todos que por aqui passam e comigo gastam algum do seu tempo, seja apenas a ler ou também a partilhar comigo as vossas simpáticas palavras. É graças a vocês que, hoje, sinto que este blog faz mais sentido e é também por todos vós que me empenho e, por vezes, quase me obrigo a publicar sempre algo.
 
Tem sido um tempo muito bem passado, este aqui convosco e espero que o que virá me surpreenda positivamente como até agora. É que parece que foi ontem que tudo começou...

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Jorge Palma nas Festas de Corroios


 
É por aqui que tenho andado a trabalhar, mas hoje o programa de festas convida-me a ir até ao palco assistir ao concerto do Jorge Palma. Sei que não vou conseguir chegar logo ao início, por isso é bom que não acabe assim de repente. É esticar a coisa para ainda ouvir umas músicas giras, tá?
 
 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Man from Earth - O Homem da Terra



Sinopse
Numa noite fria numa cabana distante, o Professor John Oldman (David Lee Smith de “CSI: MIAMI”) reúne os colegas da sua maior confiança para um anúncio extraordinário: Ele é um imortal que migrou através de 140 séculos de evolução e tem agora que seguir em frente. Será Oldman verdadeiramente Cro-Magnon ou apenas louco? Agora, um homem irá forçar estes cientistas e estudiosos a confrontarem as suas noções próprias de história, religião e humanidade, conduzindo tudo a uma revelação final que poderá abalar o seu mundo para sempre.

 
Opinião
Descobri este filme através de um blog (infelizmente, já foi há algum tempo e não me recordo qual ao certo), e devido à descrição lá feita, fiquei desejosa de assistir ao dito. Como todos vocês estão cansados de saber, o meu tempo livre, durante este ano, não tem sido assim aos molhos e, por isso, só agora tive tempo de pôr em prática este desejo. E posso vos dizer que valeu mesmo a pena. A história é deliciosa, cheia de pormenores históricos, biológicos, científicos, psicológicos e até filosóficos que nos deixam a pensar na possibilidade de existir alguém assim. Um verdadeiro imortal, sem pertencer aos populares vampiros, mas que tenha ultrapassados 14 séculos e vivido, de corpo presente, vários dos momentos marcantes da História das nossas civilizações. Que tenha, inclusivamente, feito parte integrante de muitos dos mitos até hoje contados e nos quais, muitos de nós, ainda acreditam. Em torno de um sofá e de uma lareira se juntam várias mentes brilhantes de diferentes áreas, decididos a pôr em causa a versão contada por este homem que conhecem à 10 anos. Acima de tudo, porque receiam que isto que ele conta seja verdade.
 
Não posso revelar mais, sem tirar a piada da descoberta que terão se assistirem ao filme. No entanto, ao saber que foi baseado num livro, fiquei ainda mais curiosa, desta vez, em conhecer a obra que inspirou o filme. Acho que não será tarefa fácil encontrá-lo, mas passou a fazer parte dos meus desejos de consumo!

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Sobre o Anjo Branco


 
Sinopse
A vida de José Branco mudou no dia em que entrou naquela aldeia perdida no coração de África e se deparou com o terrível segredo. O médico tinha ido viver na década de 1960 para Moçambique, onde, confrontado com inúmeros problemas sanitários, teve uma ideia revolucionária: criar o Serviço Médico Aéreo.

No seu pequeno avião, José cruza diariamente um vasto território para levar ajuda aos recantos mais longínquos da província. O seu trabalho depressa atrai as atenções e o médico que chega do céu vestido de branco transforma-se numa lenda no mato.

Chamam-lhe o Anjo Branco.

Mas a guerra colonial rebenta e um dia, no decurso de mais uma missão sanitária, José cruza-se com aquele que se vai tornar o mais aterrador segredo de Portugal no Ultramar.

Inspirado em factos reais e desfilando uma galeria de personagens digna de uma grande produção, O Anjo Branco afirma-se como o mais pujante romance jamais publicado sobre a Guerra Colonial - e, acima de tudo, sobre os últimos anos da presença portuguesa em África.


Opinião
Esta foi uma leitura adiada durante este ano, porque o tempo não dá para tudo e em tempo de aulas e trabalho os meus livros é que ficam postos de parte na prateleira a ganhar pó. Mas com as férias que, finalmente, gozei este Verão, fui decidida a ler, por fim, esta obra de José Rodrigues dos Santos.

Depois de ler A Vida num Sopro, a minha curiosidade estava no auge para saber o que ia acontecer ao filho da doce Amélia. Embora não fale nem desvende muito mais acerca do passado, aqui reencontramos inúmeras personagens do anterior romance e que se revelam de forma mais pronunciada.

Mas o mais importante, é mesmo a forma cuidada e repleta de pormenores que quase nos permite sentir o cheiro, o sabor de África. Mais propriamente de Moçambique, local onde moram parte das minhas raízes. Ler este livro foi como voltar no tempo e sentir-me pisar a terra de meu pai. Ouvir novamente as histórias deliciosas da vida em Lourenço Marques, das peripécias de um rapazola sempre pronto a fazer disparates.

Contudo, aqui também se mostra a face do Estado Novo e a revela a forma como as coisas aconteciam por baixo do pano, onde a população comum não via as meadas que se teciam para manter um território que clamava por independência, por liberdade e igualdade. Tudo aquilo que lhe negámos por demasiado tempo. Acresce ainda o quanto se torna interessante perceber que esta história foi baseada na vida do próprio pai do autor.

Para quem ainda não leu, acho que vale a pena cada página e cada minuto que ganhamos ao visitar esta história, que também é a nossa, enquanto país. Pode não ter sido tudo bonito, mas é bom saber que existiram pessoas boas e generosas que procuraram dar o melhor de si a este lugar e a esta gente.
 
Podem encomendar o vosso exemplar aqui, com portes gratuitos.


domingo, 24 de agosto de 2014

Saldos #4 - Primark

 
Como prometido, aqui ficam os meus achados na Primark. Não foi muita coisa, mas foram todas escolhas ou em promoção, como é o caso das sabrinas, ou produtos essenciais no armário de qualquer mulher, como são os soutiens.
 
 
Aqui, o preço foi o grande aliciante. 3€ por umas sabrinas pareceu-me um negócio da China e não resisti a trazer estas laranjinhas comigo.  
 
Soutiens são coisas que nunca são demais. O primeiro porque não tinha nenhum nude e o segundo porque adoro cinzento. E o padrão é giro de doer.  
 
O preço de cada um, como se vê na imagem, foi de 5€, o que também me pareceu um bom negócio por um conjunto, não vos parece?  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...