expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

domingo, 30 de junho de 2013

O que me faz falta


- No topo desta lista (que se prevê infinita), encontra-se dinheiro. Muitos dirão que o dinheiro não traz felicidade mas o que é certo é que ajuda muito! No meu caso, dinheiro na conta significa poder oferecer uma melhor qualidade de vida à minha mãe - coisa que a reforma dela não permite -, significa poder eu própria viver de forma mais desafogada.

- Que as encruzilhadas que estão eminentes entrem na fase decisiva que teima em ser adiada e que não me permite iniciar novos projectos.

- Um novo amor, daqueles de nos deixar sem fôlego e com as pernas bambas. Com direito a borboletas no estômago e tudo e tudo e tudo.

- Um carro novo também era muito bem vindo.

- As férias - e falo de férias à séria, não das que o desemprego nos obriga - que não tenho pelo segundo ano consecutivo. De preferência, e já que pedir não custa, as dos meus sonhos: Nova Iorque.

E é melhor ficar por aqui, antes que isto se torne aborrecido e deprimente. É sempre preferível pensar no que temos e dar o devido valor a essas coisas. Mas também pode ser útil uma lista como esta para traçar objectivos. Espero que seja este o caso e daqui a uns meses tenha alguns itens desta lista cumpridos.

8 comentários:

  1. Não faz mal sonhar e pode ser que alguns (e porque não todos) se realizem....Acredita!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com o vosso apoio acreditar torna-se mais fácil ;)

      Eliminar
  2. Quando se trata de pedir (nem que seja ao Universo), temos que pedir por cima... talvez a probabilidade da dádiva seja maior.

    http://www.lavarcabecas.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo! Pedir muito para vir pouco porque se pedirmos pouco, por vezes, não recebemos nadinha. :)

      Eliminar
  3. O que desejas é o que todos queremos, estabilidade e bem-estar, continua a desejar eu por cá desejo que alcances.

    Beijos

    ResponderEliminar
  4. Primeiro acho que temos que desejar que o país se estabilize primeiro, e depois desejar melhor qualidade de vida (uma coisa vem com outra, espero!).
    Ou então encontras um "gajo" rico (ou se já tiveres um, que lhe calhe algum prémio bem chorudo).

    E se não puderes ter férias, ao menos que tenhas folgas e as aproveites para esquecer os problemas da vida na praia, piscina ou nem que seja sentada numa cadeira na varanda, a apanhar solinho com uma bebida refrescante ao lado, a ler um livro ou simplesmente a ouvir os sons à volta e a relaxar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, quando escrevi este post ainda a crise política não tinha vindo se somar aos tantos problemas do nosso país e a esperança na estabilidade estava mais acesa, devo dizer.
      Mas como não tenho gajo (nem rico nem pobre) só me resta fazer-me à vida como se pode... Desistir é que não :)

      Eliminar

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!