expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Desafio de Cinema (3/52) - Preto e Branco



Esta semana, no Desafio de Cinema, a proposta era escolher um filme a preto e branco. Confesso que pensei muito e tive muita dificuldade em lembrar-me do filme certo para colocar nesta categoria. É que, na actualidade, estamos tão habituados a filmes cheios de cor e movimento e efeitos especiais que fica difícil captar o interesse das pessoas para filmes mais antigos, onde esse tipo de coisas não está presente. 

Portanto, percebi que teria de ser um filme tão bom, com uma história tão especial, que ninguém sentiria a falta dos toques do cinema moderno. E assim, ficou muito mais fácil. Só poderia ser um clássico do cinema. Daí a escolher "Casablanca", foi um salto. Um filme passado durante a Segunda Guerra Mundial, numa época onde já se faziam filmes a cores, ainda a preto e branco, com uma história que nos prende ao ecrã até ao último momento, uma banda sonora inesquecível e um leque de actores dos melhores que Hollywood já nos trouxe. 

A história de amor de Ilsa e Rick prende-nos para sempre às dúvidas sobre se o maior acto de amor é ficar com a pessoa amada ou deixá-la ir e cumprir o seu destino. Sem esquecer as tiradas humorísticas fantásticas que se encontram ao longo de todo o filme. Muito importante é também se perceber o clima que se vivia em Casablanca, a cidade que acolhia muitos dos que fugiam do regime de Hitler e que procuravam uma saída para a América e para a liberdade. 

Este filme foi tão marcante e é tão intemporal, que existem frases do filme que utilizamos até aos dias de hoje. Quem não conhece a célebre "We'll always have Paris"? Não deixem de ver porque vale mesmo a pena e se precisam de mais razões para assistir a "Casablanca", vejam o trailer e apaixonem-se por esta história como me aconteceu. 


Sinopse
Casablanca: fácil de entrar, muito mais difícil de sair, especialmente se o seu nome estiver na lista Nazi dos mais procurados. No topo dessa lista está o líder da Resistência Checa, Victor Laszlo, cuja única esperança é Rick Baine, um cínico americano que não arrisca o pescoço por ninguém... especialmente pela mulher de Victor, Ilsa, a sua ex-amante. Ele terá de decidir o que é mais importante: a sua felicidade ou as inúmeras pessoas que esperam por uma saída do país. 


Podes acompanhar o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e ver os próximos temas. 

Sem comentários:

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!