expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

Subscreve a Newsletter Semanal

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Desafio de Cinema (31/52) - Alemão



Eu adoraria poupar-te aos meus lamentos e acessos de resmunguice, mas não consigo. Afinal de contas, estamos juntos nos bons e nos maus momentos, certo? O que significa que tenho de aqui deixar registado o meu lamento pelo final das minhas queridas férias e deprimir por amanhã ser obrigada a voltar ao trabalho que paga as contas. 

Pronto, o desabafo está feito e temos de passar ao que interessa, ou seja, ao Desafio de Cinema. Que nos leva para um tema pouco habitual que é o Cinema Alemão. Penso que não serei a única a desconhecer a grande maioria do que se passa em território germânico no que a Artes diz respeito. A malta preocupa-se mais com as decisões da senhora Merkel e do que isso nos poderá afectar cá no nosso cantinho à beira-mar plantado.

Portanto, foi um autêntico desafio encontrar UM filme que pudesse incluir nesta categoria. Eis senão quando me lembrei que assisti a um filme alemão, que me surpreendeu pela qualidade e pelo tema tratado, durante a minha última incursão pela escola, em Setúbal.

E é assim que te tenho para apresentar A Onda, um filme que retrata o ambiente numa escola, onde um professor, para agarrar a atenção da sua turma, decide formar um grupo com tudo o que isso implica e torna-se o seu líder. São criadas fardas, saudações e mecanismos internos que os identificam e diferenciam dos restantes.

Algo que começa como uma experiência, torna-se num movimento sem controlo e que nos revela o quanto estamos perigosamente próximos do passado e de como será fácil voltar a cair no mesmo erro, que tão caro custou a todos.

Já conhecias este filme? Se a tua resposta for negativa, não deixes de ver. Tenho a certeza que irás gostar! 


Sinopse
Numa escola da Alemanha, os alunos têm de escolher entre duas disciplinas electivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de "A Onda" ao movimento, e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controlo da situação, e os alunos começam a propagar "A Onda" pela cidade, tornando o projecto da escola num movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com "A Onda", mas aí já é tarde.


Acompanha o Desafio de Cinema - 52 Filmes em 52 Semanas e vê os próximos temas.

Sem comentários:

Obrigada pela visita e pelo comentário. Terei todo o gosto em responder muito em breve.
*Não esquecer de marcar a caixinha para receber notificação quando a resposta ficar disponível.
Até breve!